Prefeita de Bauru autua McDonald’s por banheiros multigênero

Em nota, a prefeitura diz que a lanchonete tem até 15 dias para apresentar justificativa ou recorrer.

Fonte: Guiame, com informações do JP e Correio BrazilienseAtualizado: terça-feira, 16 de novembro de 2021 12:20
Prefeita Suéllen Rosim e porta do banheiro do McDonald’s, em Bauru. (Foto: Creative Commons / vídeo Internet)
Prefeita Suéllen Rosim e porta do banheiro do McDonald’s, em Bauru. (Foto: Creative Commons / vídeo Internet)

A prefeita de Bauru Suéllen Rosim anunciou sansão a uma unidade do McDonald’s na cidade por instalação de banheiros multigêneros após um vídeo com a denúncia feito por uma moradora, ter causado polêmica sobre o assunto.

“Em relação a um vídeo que circula na internet sobre os banheiros de uma rede de lanchonete em Bauru, a Vigilância Sanitária esteve no local e as exigências do código sanitário do município não estão sendo cumpridas, portanto as providências foram tomadas!”, declarou a prefeita no Twitter.

Em nota, a prefeitura diz que a lanchonete tem até 15 dias para apresentar justificativa ou recorrer. Caso isso não ocorra ou a prefeitura refute os argumentos dados pela rede, a lanchonete pode ser multada e até mesmo interditada.

Segundo o artigo 96 do Código Sanitário de Bauru, os banheiros devem “ser separados e identificados para cada sexo”.

A assessoria do McDonald’s informou que promover ambientes inclusivos é um compromisso da empresa e que por isso “adotou cabines individuais e de uso independente para que todas as pessoas se sintam bem-vindas e possam utilizá-las com conforto e privacidade”.

A rede também disse que está em contato com as autoridades locais para “manter suas unidades de acordo com as orientações determinadas por elas”.

O vídeo que causou a polêmica foi gravado por uma mulher, que não revela a identidade. Ela filma as portas do banheiro, que indicam o uso por pessoas de todos os gêneros. "Tem que fechar essa imundice. Eles estão fazendo isso em todas as cidades. Mas na minha cidade eu não vou permitir", reclamou a mulher, chamando a rede de lanchonetes americana de "comunista".

Ela continua dizendo que não quer usar o mesmo banheiro "com homem, com mulher, onde todo mundo usa o mesmo banheiro". A placa na porta do banheiro indica, porém, que o uso das cabines é "individual".

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições