Recordista foi criticada por falar de Jesus nas Olimpíadas: “As pessoas rejeitam a verdade”

A medalhista Sydney McLaughlin diz que está sendo rejeitada porque dá a Deus a glória por seu sucesso.

fonte: Guiame, com informações do Faithwire

Atualizado: Sexta-feira, 27 Agosto de 2021 as 11:50

Sydney McLaughlin, dos EUA, estabeleceu recorde mundial nas Olimpíadas. (Foto: AFP/Getty Images)
Sydney McLaughlin, dos EUA, estabeleceu recorde mundial nas Olimpíadas. (Foto: AFP/Getty Images)

A americana Sydney McLaughlin, medalhista de ouro e recordista dos Jogos Olímpicos de Tóquio, se abriu em um vídeo publicado no Instagram ao falar sobre a parte “tóxica” da fama, que a tornou alvo de rejeição por causa de sua fé em Jesus.

McLaughlin, de 22 anos, gravou o vídeo após as seletivas olímpicas, mas publicou só esta semana no Instagram. No entanto, ela decidiu retirá-lo do ar dias depois.

A atleta compartilhou detalhes de suas lutas com os feedbacks negativos, pouco depois de estabelecer o recorde mundial de 400 metros com barreiras feminino nas Olimpíadas. “Eu realizei um dos sonhos da minha vida e, para ser sincera, muitas pessoas não reagiram como pensei”, disse ela. 

Confessando a dor das críticas, a atleta disse que tem sido “muito cautelosa em como me comporto, nas coisas que posto, porque quero glorificar Deus e eu queremos ser um bom exemplo para as pessoas, mas nosso mundo só aceita a ignorância.”

McLaughlin, que tem falado abertamente sobre sua fé em Cristo, sente que está sendo rejeitada porque dá a Deus a glória por seu sucesso.

“As pessoas rejeitam a verdade”, explicou. “Eu sei que elas não estão me rejeitando. Elas estão rejeitando o Jesus que vive em mim. Tudo bem, mas estou apenas sendo sincera, tipo, às vezes minha carne tem um problema com isso.”

“Sou muito grata por ter um relacionamento com Deus da maneira que tenho, porque, sem Ele, acho que eu estaria enlouquecendo agora”, ela continuou. “Há tantas coisas que não entendo sobre o mundo, sobre o nosso esporte, sobre a nossa cultura. Muitas vezes não faz sentido.”

Apelo por cura e reconciliação

A corredora pediu respeito por seu trabalho árduo — algo que ela teve dificuldade de encontrar até mesmo entre suas companheiras de equipe.

“Isso me surpreende”, disse ela em prantos. “As pessoas que foram minhas companheiras de time, que me viram morrer todos os dias nos treinos, acreditam que estou aqui hoje porque tenho seguidores [no Instagram], porque tenho a pele clara. Não consigo controlar a cor da minha pele. Não posso controlar quem pressiona o botão de seguir, mas posso controlar o que faço naquela pista e isso não é respeitado”.

Por fim, McLaughlin observou que “há muita coisa boa” no mundo, mas também há “muita doença”. “Estou orando por cura”, disse ela. “Eu realmente espero que as pessoas vejam que não precisam viver neste mundo de ódio. Existe uma maneira muito melhor.”

Na legenda do vídeo, McLaughlin disse que mesmo com o sucesso pode haver dor, mas as tribulações servem para o crescimento. “Estou muito grata por tudo o que aconteceu este ano. Mas a coisa pela qual sou mais grata é uma mente renovada que me permitiu assistir a um vídeo como este e ver as mudanças que Cristo está fazendo em minha vida”, disse ela.

veja também