Rede Globo satiriza Martinho Lutero e a Reforma Protestante

No clipe, o ambiente remonta o que seria um festa com pagode e churrasco na época renascentista e letra da música sugere que Lutero acreditava que somente o protestantismo seria libertador.

Fonte: Guiame, com informações do GShowAtualizado: sexta-feira, 18 de março de 2016 12:35
Marcelo Adnet (ao centro) e outros atores do 'Tá no Ar', durante a gravação do clipe 'Já Tive Teses'. A paródia satirizou a história de Martinho Lutero. (Renato Rocha Miranda / TV Globo)
Marcelo Adnet (ao centro) e outros atores do 'Tá no Ar', durante a gravação do clipe 'Já Tive Teses'. A paródia satirizou a história de Martinho Lutero. (Renato Rocha Miranda / TV Globo)

Na noite da última quinta-feira (17), a rede Globo exibiu o programa 'Tá no Ar', que teve entre suas sátiras, a do primeiro reformador protestante, Martinho Lutero.

Com o personagem fictício 'Martinho da Vila Lutero', o ator e humorista Marcelo Adnet fez uma paródia do conhecido samba 'Mulheres' para falar da história do reformador alemão.

Porém alguns pontos dessa abordagem podem gerar debates e polêmica entre cristãos.

No clipe, o ambiente remonta o que seria um festa com pagode e churrasco na época renascentista e letra da música sugere que Lutero acreditava que somente o protestantismo seria libertador.

"Tem igreja careta que não pode nada, igrejas olhudas que cobram demais, mas só a minha reforma, o protestantismo é que livre te faz", diz a letra.

Outros pontos da vida de Lutero, como a libertação das 12 freiras, que fugiram do convento beneditino, na cidade de Brehna (Alemanha), seu posterior casamento com uma delas e até mesmo a polêmica obra "Sobre os Judeus e Suas Mentiras" - atribuída ao reformador - também foram abordadas na música.


Contexto

Esta não é a primeira vez que o programa 'Tá no Ar' usa o cristianismo em suas sátiras. Em fevereiro de 2015, o mesmo programa satirizou os evangélicos em dois quadros da mesma edição.

Após ter exibido trailer "Crents" (uma paródia da famosa série Friends na qual satirizada uma família de evangélicos), o programa testou mais uma vez os limites entre humor e ofensas com o cristianismo, ao mostrar a "Galinha Preta Convertidinha".

No quadro, crianças (que seriam supostamente evangélicas) assistem à propagando da personagem na TV. Além da Galinha, o desenho animado estende sua sátira com os personagens "Cãozinho Pastor" e "Ovelinha de Jesus".

"Ir pro inferno é fogo/ A Verdade é Universal/ Cuidado com a Hora/ do Juízo Final", diz o jingle do "comercial" infantil.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições