Tenho por hábito acessar a Bíblia todo dia e tentar seguir o que está lá, diz Bolsonaro

Inspirado por um provérbio bíblico, o presidente da República disse que tem o hábito de ouvir conselheiros antes de tomar decisões.

fonte: Guiame, com informações do Correio Braziliense

Atualizado: Quarta-feira, 4 Dezembro de 2019 as 11:36

Presidente Jair Bolsonaro na abertura do fórum “O Controle no Combate à Corrupção”. (Foto: Marcos Corrêa/PR)
Presidente Jair Bolsonaro na abertura do fórum “O Controle no Combate à Corrupção”. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (3) que suas decisões são tomadas ouvindo “conselheiros”, seguindo uma orientação apresentada na Bíblia.

Em seu discurso na abertura do fórum “O Controle no Combate à Corrupção”, organizado pela Controladoria-Geral da União (CGU), ele citou Provérbios 24:6, que diz: “Quem sai à guerra precisa de orientação, e com muitos conselheiros se obtém a vitória.”

Parte dos “conselheiros” mencionados por Bolsonaro foram algumas das autoridades presentes no evento, como o ministro da CGU, Wagner Rosário, e o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, Augusto Heleno. 

Bolsonaro destacou ainda que as “primeiras pessoas aos nossos lados são entes familiares”. 

“Por mais que me acusem de autoritário, as decisões que tomo eu ouço grande parte desses atores que acabei de citar, porque a chance de errar é mínima, e a chance de vitória realmente passa a ser a maior possível”, explicou.

Bolsonaro disse que, coincidentemente, leu Provérbios 24:6 nesta terça. Em sua fala, ele citou Augusto Heleno e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, que também estava presente.

“Sou católico, cristão e tenho por hábito, Dias Toffoli, todo dia ter acesso à Bíblia, para ter um versículo e, naquele dia, eu tentar seguir o que está lá. E, por uma tremenda coincidência, o que vi hoje no Provérbio 24:6 tem a ver com nosso trabalho. Trabalho de todos nós, e diz lá: quem sai à guerra precisa de orientação. Até tudo certo, meu prezado general Heleno. E termina: com muitos conselheiros, obtém a vitória. Nós não conseguimos nada sozinhos, nós precisamos interagir”, afirmou.. 

Também compareceram ao evento o Tribunal de Contas da União (TCU), José Múcio e Carlos Vilhena, subprocurador-geral da República, que compareceu como representante do procurador-geral, Augusto Aras. 

veja também