Tiroteio deixa pelo menos 50 mortos e 200 feridos, em Las Vegas

Há divergências entre as autoridades do estado sobre classificar ou não este massacre como um ataque terrorista.

fonte: Guiame, com informações do Independent

Atualizado: Segunda-feira, 2 Outubro de 2017 as 8:38

A polícia está investigando o tiroteio em massa que ocorreu em um festival de música em Las Vegas (Nevada, EUA) no último domingo (01), e afirmou que ainda não está tratando o incidente como um ato de terrorismo.

Até o momento foram registradas pelo menos 50 mortes e 200 pessoas feridas. O ataque está sendo considerado o mais violento da história dos Estados Unidos.

Mas as autoridades do estado de Nevada sugere que o massacre ocorrido na noite do último domingo , à noite pode pode ser definido realmente como uma ação terrorista.

O estatuto do estado diz que "um ato de terrorismo significa qualquer ato que implique no uso ou tentativa de uso de sabotagem, coerção ou violência que se destine a causar grandes danos corporais ou a morte para a população em geral".

A lei do estado de Nevada define separadamente um terrorista como "uma pessoa que comete, causa, auxilia, promove ou ocultará um ato de terrorismo, ou tentará comprometer, causar, ajudar, afastar ou ocultar um ato de terrorismo".

No entanto, a polícia, que já iniciou a investigação do tiroteio, disse que era muito cedo para rotular o incidente como terrorismo. O atirador já foi localizado e morto pela polícia.

O incidente ocorreu no final do domingo, quando um homem armado, chamado Stephen Paddock, de 64 anos, disparou centenas de rajadas de tiros (possivelmente usando uma metralhadora) do 32º andar do Casino Mandalay Bay.

Os tiros foram disparados contra um festival de música country que estava sendo realizado ao ar livre, com cerca de 40.000 espectadores. MUitos relataram ouvir o que eles descreveram como disparos de uma arma automática.

Milhares fugiram, enquanto as rajadas de tiros podiam ser ouvidas por mais de cinco minutos.

ATUALIZAÇÃO:

Um vídeo divulgado meses atrás (em maio) pelo Estado Islâmico anunciava a ação de um lobo solitário na região de Las Vegas Strip, onde se localiza a maioria dos hotéis e cassinos da cidade.

Na época da divulgação do vídeo, policiais e antiterroristas estiveram em alerta máximo sobre Las Vegas.

Embora não tenha sido confirmado que o ataque a Vegas esteja relacionado a uma ação terrorista, o vídeo poderia ter sido um apelo do Estado Islâmico a ação de jihadistas naquela localidade.

O vídeo do grupo terrorista que mostrou imagens do 'Caesar's Palace', do Hotel Bellagio e de outros grandes cassinos da região de South Las Vegas Boulevard.

Embora a filmagem tivesse sido possivelmente gravada em 2015, as autoridades o consideraram uma ameaça, considerando que ela foi divulgada logo após o massacre no Manchester Arena às vésperas do 'Memorial Day' no fim de semana seguinte. O evento próximo levaria grandes multidões para Las Vegas Strip.

À medida que as imagens de Las Vegas Strip, bem como a Times Square de Nova York e Washington DC, eram mostradas no vídeo, um porta-voz do Estado Islâmico, Abu Al-Hassan Al-Muhajir, anuncia ataques de lobos solitários na América, Rússia e Europa, de acordo com uma análise de vídeo do Instituto de Pesquisas Sobre o Oriente Médio.

"Saiba que nossa guerra contra o nosso inimigo é uma guerra total e os interesses do inimigo podem ser facilmente direcionados", diziam as legendas em inglês que traduziam o discurso em árabe do terrorista.

"Certifique-se de que eles estão preocupados com sua própria segurança, desviando a atenção do seu califado", disse Al-Hassan.

 

veja também