Todos os 17 missionários mantidos reféns no Haiti foram libertados, diz polícia

O grupo sequestrado incluiu 16 americanos e um canadense, sendo 5 crianças.

Fonte: Guiame, com informações do CBS NewsAtualizado: sexta-feira, 17 de dezembro de 2021 12:36
Os 17 missionários sequestrados no Haiti eram afiliados à Christian Aid Ministries. (Foto: Reprodução/CBN News).
Os 17 missionários sequestrados no Haiti eram afiliados à Christian Aid Ministries. (Foto: Reprodução/CBN News).

O porta-voz da polícia haitiana Gary Desrosiers confirmou à CBS News na quinta-feira (16), que os 12 missionários reféns restantes no Haiti foram libertados.

Agora, todos os 17 afiliados ao grupo americano Christian Aid Ministries estão livres. Dois reféns foram libertados em novembro e outros três foram libertados no início deste mês.

"Nós glorificamos a Deus pelas orações respondidas - os doze reféns restantes estão livres! Junte-se a nós louvando a Deus porque todos os dezessete de nossos entes queridos estão agora seguros”, disse a Christian Aid Ministries em comunicado oficial.

“Obrigado por suas orações fervorosas nos últimos dois meses. Esperamos fornecer mais informações conforme pudermos", finalizou em sua última atualização.

O grupo sequestrado incluiu 16 americanos e um canadense. Cinco são crianças, segundo a Associated Press.

Negociações

Os dezessete missionários estavam sendo mantidos como reféns por uma gangue haitiana, após terem sido sequestrados enquanto voltavam da construção de um orfanato para casa, em 16 de outubro.

Chamada "400 Mawozo", a gangue controla a área de Croix-des-Bouquets no Haiti, que inclui Ganthier - uma comunidade onde realizam sequestros e roubos de carros, informou a Associated Press.

"Hoje é o dia pelo qual esperamos, oramos e trabalhamos tanto para conseguir", disse o congressista Bill Huizenga, de Michigan, de onde eram alguns dos reféns, em um comunicado na quinta-feira.

"Quero agradecer aos membros da equipe de negociação de reféns por sua diligência em garantir a libertação segura de todos os reféns. Este é um grande dia para as famílias em Michigan e em todo o país que se preocupam com a segurança de seus entes queridos."

Michèle Montas, jornalista haitiana e ex-porta-voz da ONU, disse à CBS News "o sequestro desses missionários americanos e sua detenção prolongada chamaram a atenção do mundo para a deterioração da situação de segurança no Haiti".

O marido de Montas, Jean Dominique, foi morto em 2.000 depois que a dupla fundou a Radio Haiti, a principal mídia de notícias do país.

 

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições