Tradicional “bênção” é realizada por descendentes dos sacerdotes do Templo de Jerusalém

A “bênção dos sacerdotes” é realizada na esplanada do Muro das Lamentações, o lugar mais sagrado de oração para o Judaísmo.

fonte: Guiame, com informações da IstoÉ

Atualizado: Terça-feira, 6 Outubro de 2020 as 9:24

O embaixador americano para Israel, David Friedman, usa máscara de proteção durante o passado do Muro das Lamentações, na Cidade Velha de Jerusalém. (Foto: Reprodução / AFP)
O embaixador americano para Israel, David Friedman, usa máscara de proteção durante o passado do Muro das Lamentações, na Cidade Velha de Jerusalém. (Foto: Reprodução / AFP)

O rabino do Muro das Lamentações, Shmuel Rabinowitz, conduziu as orações durante a tradicional “bênção dos sacerdotes”, realizada nesta segunda-feira (05), em Jerusalém.

Neste ano, por causa da pandemia, puderam participar da comunhão apenas os moradores da Cidade Velha de Jerusalém e figuras proeminentes, como os dois grandes rabinos de Israel.

Diagnosticado com a covid-19, o presidente Donald Trump recebeu uma oração especial. “Que Deus cure completamente o presidente americano”, orou o rabino Rabinowitz.

O evento, que acontece em meio à Festa dos Tabernáculos, costuma concentrar dezenas de milhares de pessoas na esplanada do Muro das Lamentações, o lugar mais sagrado de oração para o Judaísmo.

Entre os fornecimentos da informação estava o embaixador dos Estados Unidos em Israel, David Friedman, de origem judaica e sacerdote, segundo um fotógrafo da AFP.

A bênção é recitada por membros da casta Kohanim (sacerdotes hebreus), que são, segundo a tradição, descendentes dos sacerdotes do Templo de Jerusalém.

O Muro das Lamentações está localizado na parte palestina da Cidade Velha de Jerusalém – ocupada e anexada por Israel – e abaixo da Esplanada das Mesquitas, o terceiro local mais sagrado do Islã.

veja também