Trump designa divisão do Exército do Irã como entidade terrorista

Os americanos serão proibidos de fazer negócios ou fornecer suporte ao IRGC, e seus ativos dentro dos Estados Unidos serão congelados.

fonte: Guiame, com informações do Jewish News

Atualizado: Segunda-feira, 8 Abril de 2019 as 3:36

Treinamento militar como parte de um exercício maciço de defesa aérea no sul do Irã. (Foto: Tasnim News / Wikimedia Commons).
Treinamento militar como parte de um exercício maciço de defesa aérea no sul do Irã. (Foto: Tasnim News / Wikimedia Commons).

O secretário de Estado, Mike Pompeo, anunciou segunda-feira (08) que a Administração Trump designará oficialmente o Corpo dos Guardiões da Revolução Islâmica do Irã como um grupo terrorista. A resolução entrará em vigor no dia 15 de abril e, segundo o secretário, fazer isso é “reconhecer uma realidade básica”.

O presidente Donald Trump disse que “hoje, estou anunciando formalmente o plano de meu governo para designar o Corpo Iraniano de Guardas da Revolução Islâmica (IRGC), incluindo sua Força Quds, como uma Organização Terrorista Estrangeira (FTO) sob a Seção 219 da Lei de Imigração e Nacionalidade”.

Esta é a primeira vez que uma parte de um estado estrangeiro foi oficialmente designada como um grupo terrorista.

Em retaliação, o Irã disse que designaria os militares dos EUA como um grupo terrorista.

O IRGC tem sido uma parte importante das ambições do Irã para a hegemonia regional através de sua presença em países como a Síria e o Iraque, ajudando os representantes do regime, incluindo o Hezbollah.

A medida norte-americana faz parte da campanha de “pressão máxima” do governo Trump contra Teerã desde que se retirou do acordo nuclear com o Irã de 2015 e voltou a impor sanções, além de aprovar novas sanções financeiras e outras.

Com a designação aprovada, os americanos serão proibidos de fazer negócios ou fornecer suporte ao IRGC, e seus ativos dentro dos Estados Unidos serão congelados.

O Departamento de Estado alertou que os agentes iranianos poderiam retaliar as embaixadas e consulados americanos, e que medidas de segurança reforçadas foram garantidas à luz do anúncio.

Atualmente, existem 60 grupos na lista de terroristas do Departamento de Estado dos EUA, incluindo ISIS, Al-Qaeda, Hamas e outros.

O Congresso terá sete dias para revisar a designação e emitir objeções antes de entrar em ação.

veja também