Último membro da comunidade judaica no Afeganistão deixa o país

Zebulon Simentov, de 62 anos, morava sozinho numa antiga sinagoga em Cabul e resistiu décadas de guerra.

Fonte: Guiame, com informações do The GuardianAtualizado: quinta-feira, 9 de setembro de 2021 15:04
Zebulon Simentov toca um Shofar na sinagoga, localizada em um antigo prédio em Cabul. (Foto: Wakil Kohsar/AFP/Getty Images).
Zebulon Simentov toca um Shofar na sinagoga, localizada em um antigo prédio em Cabul. (Foto: Wakil Kohsar/AFP/Getty Images).

O último membro da comunidade judaica do Afeganistão deixou o país recentemente numa operação de evacuação. Zebulon Simentov, de 62 anos, era o único judeu na nação islâmica. Morando numa antiga sinagoga em Cabul, ele sobreviveu a décadas de guerra, enquanto a comunidade judaica diminuia rapidamente.

Porém, com a retomada do grupo extremista Talibã ao poder, tudo mudou e se tornou muito mais perigoso para um judeu permanecer no Afeganistão. 

Nesta quarta-feira (8), Moti Kahana, um empresário israelense-americano que dirige o grupo de segurança privada que organizou a evacuação, disse que Simentov e 29 de seus vizinhos, a maioria mulheres e crianças, foram evacuados em segurança e levados para outro país.

Kahana relatou que Simentov, que já viveu sob  domínio do Talibã anteriormente, não estava preocupado com o grupo extremista. Mas, Kahana lhe explicou que agora ele corria risco de morte ou de sequestro, já que que os talibãs atuais são mais radicais.

Seus vizinhos também ajudaram a convencer Simentov a sair do Afeganistão. Então, ele concordou em fugir, assim como outros milhões de afegãos que escaparam do país no mês passado.

Segundo Kahana, agora o seu grupo de segurança está em contato com as autoridades americanas e israelenses para encontrar um refúgio para Zebulon Simentov. Sua ex-esposa e seus filhos vivem em Israel.

Nascido na cidade de Herat, em 1959, Simantov sempre considerou o Afeganistão o seu lar. Por vários anos, durante o governo anterior do Talibã, entre 1996 a 2001, ele compartilhou o prédio da sinagoga com o único outro judeu do país, Isaak Levi.  

Certa vez, os talibãs prenderam os dois judeus e os espancaram. Além disso, os extremistas roubaram o antigo rolo da Torá da sinagoga, que se perdeu depois que o Talibã foi retirado do poder na invasão liderada pelos Estados Unidos, em 2001.

Repórteres que visitaram Simentov ao longo dos anos descreveram o homem como um judeu que orava em hebraico, seguia a dieta judaica e mantinha uma perdiz de estimação. Simentov também administrava uma loja de kebab, um prato típico da região. 

Manuscritos hebraicos encontrados em cavernas no norte do Afeganistão indicam que uma comunidade judaica viveu na região há mil anos. No final do século 19, havia cerca de 40 mil judeus no Afeganistão, muitos deles de origem persa que fugiram da perseguição no Irã.

O número de judeus no país começou a diminuir a partir de 1948, quando o Estado de Israel foi criado e o êxodo de judeus iniciou. Assim como outros grupos islâmicos, o Talibã é hostil em relação a Israel, mas durante seu governo anterior, tolerou a pequena comunidade judaica no Afeganistão.




Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições