Escrava sexual conta como Deus a livrou de 10 anos de cativeiro: "Orei por liberdade"

Rosa Castillo foi vítima do tráfico sexual, quando tinha apenas 12 anos de idade e sofreu diversos tipos de abuso, enquanto estava em cativeiro. Hoje, ela quer alertar a todos sobre o tráfico humano.

Fonte: Guiame, com informações do Gospel HeraldAtualizado: sexta-feira, 17 de março de 2017 18:14
Rosa Castillo foi vítima do tráfico humano e hoje trabalha para conscientizar a todos sobre este crime. (Foto: Palm Beach Post)
Rosa Castillo foi vítima do tráfico humano e hoje trabalha para conscientizar a todos sobre este crime. (Foto: Palm Beach Post)

Uma mulher que foi vítima do tráfico sexual tem compartilhado seu testemunho impactante, relatando que ficou presa em uma gaiola e foi estuprada por mais de uma década. Depois muito orar por sua liberdade, ela conseguiu escapar do cativeiro onde foi mantida.

Rosa Castillo - que atualmente está com 34 anos - foi sequestrada por traficantes quando tinha apenas 12 anos de idade e foi contrabandeada de um lado para o outro durante décadas, entre o México e os Estados Unidos. Ela disse ao Palm Beach Post que foi raptada por um homem que a enganou, dizendo que a levaria para junto de sua família nos EUA. Os parentes dela haviam fugido da Nicarágua, durante a guerra civil no país.

"Eu fui mantida em cativeiro pelo contrabandista durante 14 anos", disse Castillo, que se mudou para o sul da Flórida, depois de escapar dos domínios de seu sequestrador, há uma década. "Eu estava sempre presa em uma gaiola. Eles só nos alimentavam duas vezes por semana, eu era mantida com outras mulheres e crianças".

O sofrimento piorou depois que ela tentou escapar pela primeira vez. Rosa relatou como ela foi estuprada e até usada como um "cinzeiro pessoal" dos traficantes.

"Eu sei o que é ser punida e humilhada. Por vários anos, eu não falei nada, cheguei a pedir a Deus para morrer, orei para que Deus me levasse, eu não poderia mais aguentar aquilo", ela compartilhou.

No decorrer dos anos em cativeiro, a jovem acabou ficando grávida do homem que a sequestrou, após diversos estupros. No entanto, o que parecia ser apenas o fruto do mal, Deus usou para o bem: o nascimento de sua filha fortaleceu ainda mais sua determinação para fugir dali.

"Decidi que já não iria mais orar, pedindo para morrer", disse ela. "Passei a orar pela minha liberdade".

Rosa Castillo passou anos planejando sua fuga e então, uma noite, enquanto os traficantes participavam de uma festa no Texas, ela escondeu sua filha dentro de uma mala e empurrou-a através de uma cerca.

Em sua fuga, Rosa foi atingida com um tiro de raspão na testa. Ela desmaiou perto de uma estrada, mas foi resgatada por um transeunte que a levou a um hospital.

"Eu estava correndo, gritando", ela lembrou. "Quando eu acordei, estava naquele lugar, rodeada de médicos, policiais, e contando o que aconteceu comigo. Eles me disseram que todos estavam procurando por mim".

Depois do resgate, as agências de serviços sociais transferiram Rosa e sua filha para a região de 'West Palm Beach' em 2008, onde ela recebeu aconselhamento do Centro de Serviços para a Família. Hoje, ela compartilha sua história na esperança de aumentar a conscientizar sobre o tráfico humano.

"Quando eu estava em cativeiro, eles só tinham meninas de países estrangeiros", disse Castillo. "Agora os traficantes estão de olho também em meninas locais. Esse problema agora é doméstico. Isso foi o que realmente me tocou, porque eu tenho uma filha. Ele é agora tem 13 anos. Eu quero sempre protegê-la e se esta é uma maneira de salvar a minha filha e cada criança nos EUA, eu vou falar sobre isso".


Estatísticas
A Organização Internacional do Trabalho estima que existem 20,9 milhões de vítimas de tráfico de seres humanos a nível mundial; 68% delas estão presas em regime de trabalho forçado, 26% delas são crianças e 55% são mulheres e adolescentes. A ONU estimou que os traficantes lucram 150 bilhões de dólares anualmente, com diferentes formas de tráfico de seres humanos.

Linda Geller-Schwartz, a presidente do Coligação de Defesa das Vítimas do tráfico humano de 'Palm Beach', disse a faixa etária de 12 anos é a média para crianças que se tornarem alvo dos traficantes.

"Há muitas coisas que tornam as crianças vulneráveis", disse Geller-Schwartz. "Inadvertidamente elas acessam a internet e acham que fizeram um novo amigo. Mas muitas vezes, esse 'amigo' trabalha para uma organização de tráfico humano".

Em janeiro, um total de 55 vítimas do tráfico de seres humanos - incluindo 28 crianças - foram resgatadas em uma série de incursões, lideradas pela Força-Tarefa Regional de Tráfico de Humanos de Los Angeles, em toda a Califórnia (EUA).

Conforme relatado, 474 pessoas foram presas; 142 homens foram acusados ​​de solicitação, enquanto 36 homens foram mantidos sob suspeita de proxenetismo. As crianças foram entregues aos cuidados de várias agências e foram ajudadas por duas organizações, Saving Innocence e a Coalizão para Abolir a Escravidão eo Tráfico.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições