"Senti o poder da música diabólica na minha mente", diz ex-fã de Michael Jackson

"Senti o poder da música diabólica na minha mente", diz ex-fã de Michael Jackson

Atualizado: Terça-feira, 24 Novembro de 2009 as 12

Desde 1983, quando ainda só tinha 3 anos, ouvi e vi algo que até conhecer Jesus não sairia da minha mente. O lançamento do Álbum Triller do Michael Jackson me inspirou a viver a minha adolescência em dedicação às suas músicas e suas danças.

Com 14 anos, em um trabalho de escola, apareci dançando em público. Desde então minha vida não foi mais a mesma. No principio houve um pouco de rejeição por parte do meu pai, que acabou cedendo pouco tempo depois. Nunca fui gay, nem viciado em nenhum tipo de droga ilegal, mas era viciado na dança e nos vários tipos de música que falavam a minha mente (principalmente internacionais americanas como Madona, Tinna Turner, Pet Shop Boys, Elvis, Beatles, AC-DC, Guns, Erase, Alphaville, ABBA e outros). Eu me sentia como um Jhon Travolta dos anos 80.

Deixei meus cabelos crescerem, malhava bem o meu corpo, as vezes usava maquiagem, só para chamar a atenção e ficar mais parecido com meu ex-ídolo. Comecei a ficar famoso como dançarino na minha cidade, surgiram os convites para vários eventos, daí surgiram também as prostituições, os perigos, a angústia de ter todos por perto e ao mesmo tempo está só, por esta escolha de não querer servir a Jesus, em 1997 no município de Senador Canedo - Go.

Vi a morte várias vezes, rugindo como leão querendo tragar minha alma pecadora. Até que em dezembro de 1999 em Porangatu - Go, fui visitar uma igrejinha pequena e simples. Cabeludo, malhado, adorador de mim mesmo, Jesus me falou ao coração quem eu era, da onde vim e para onde iria com Ele ou para onde iria sem Ele. Tinha na minha cabeça toda uma filosofia zen, espírita Kardecista. Jesus quebrou estes conceitos e preconceitos. Senti o poder da música diabólica na minha mente, Jesus me fez sentir o seu poder nos louvores entoados para Ele.

Hoje sou diácono, prego a palavra viva e verdadeira. Jesus me tirou dos palcos para subir nos púlpitos. Sou grato a Ele, sei por que existo, sei que sou perdoado, liberto e salvo por sua obra redentora na Cruz.

Talvez você não use drogas, mas pode ter outros vícios que lhe impeçam de conhecer o Verdadeiro Jesus da Bíblia. Gostaria de dar detalhes do meu testemunho e dizer como a mídia influencia crianças e jovens, e como Jesus liberta os escravos das mensagens ocultas do inimigo, mas paro por aqui dizendo: Hoje sou feliz com Jesus!

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também