Unir-se a Deus: O segredo para se ter paz

Unir-se a Deus: O segredo para se ter paz

Atualizado: Quinta-feira, 17 Setembro de 2009 as 12

"Une-te, pois a Deus, e tenha paz, e, assim, te sobrevirá o bem. Aceita, peço-te, a lei da sua boca e põe as suas palavras no teu coração. Se te converteres ao Todo-Poderoso, serás edificado; afasta a iniqüidade da tua tenda" ( Jó 22: 21-23).  

Se formos fazer uma pesquisa junto a nossa sociedade, sobre quais necessidades que o indivíduo tem para se viver de maneira plena, um dos aspectos mais citados será a paz, muitas vezes confundida com segurança ou tranqüilidade financeira. 

Compartilharemos, nesse espaço, algo de suma importância para a saúde física, emocional e espiritual.   

Paz é geralmente definida como um estado de calma ou tranqüilidade, uma ausência de perturbações ou agitação. Pode referir-se a ausência de violência ou guerra.    

No plano pessoal, paz designa um estado de espírito isento de ira, de desconfiança e de um modo geral, todos os sentimentos negativos. Assim ela é desejada por cada pessoa, para si próprio e, eventualmente para os outros, a ponto de ter-se tornado uma freqüente saudação (que a paz esteja contigo) e um objetivo de vida.    

A Palavra de Deus afirma que devemos nos unir a Deus para termos paz e, assim, sobrevir-nos o bem. E, ainda, que se nos unirmos a Ele, somos um só: 

"Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito" ( 1 Co 6: 17).   

Esse  versículo é de suma importância para nós, pois nos garante viver de modo diferenciado daqueles que não compartilham da mesma fé no Senhor Jesus. Algo que transcende todo entendimento humano, e que nos capacita a vivermos de maneira vitoriosa, pois não estamos sós; contamos com o auxílio do Todo- Poderoso.    

Muitos entendem a paz como ausência de conflitos. Não foi isso que Cristo nos declarou: 

"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize" ( Jo 14: 27).

Essa paz que o Senhor Jesus se refere é a confiança de que é Ele quem nos fortalece e capacita a enfrentarmos as adversidades. A paz que o mundo dá é irreal, enfeitada por um "marketing" , como uma propaganda de margarina, onde toda família se apresenta feliz e sorridente.   

Há pessoas que não conseguem se desprender dos problemas, carregando-os como fardos pesados, como se isso lhes garantisse solucioná-los. Não dormem, não comem; enfim, não vivem.   

"Lançando sobre Ele toda vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós" ( 1 Pd 5:7).   

A ansiedade, juntamente com colesterol alto e sedentarismo, é uma das causas de infartos do miocárdio.  Precisamos aprender a depender de Deus. Isso não é utopia, mas inteligência espiritual. A inquietação que toma conta das mentes na tentativa de ver seus problemas solucionados também contribui para o stress. E isso é perigoso.  

"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças. E a paz de Deus que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e mentes em Cristo Jesus" ( Fl 4: 6, 7).

O apóstolo Paulo, escrevendo aos irmãos de Colossos, nos revela qual é a vontade de Deus para que seus filhos sejam bem sucedidos em todos os aspectos ( física, emocional e espiritual):   

"Por esta razão, nós também, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual ; para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra e crescendo no conhecimento de Deus" (Cl1:9, 10).       

Para sermos frutíferos em todas as áreas no nosso viver precisamos desses três aspectos bem ativos em nossas vidas: sermos cheios do conhecimento da vontade de Deus, termos sabedoria e inteligência espiritual.   

Quando nos unimos a Deus, nos tornamos um com a Palavra Dele. Em consequência disso, vem a paz, independente se as coisas ao redor se apresentam desfavoráveis. O filho de Deus de posse das suas promessas estará equipado para vencer os desafios.    

Além de unir-se a Deus precisamos aceitar a lei da Sua boca e por Suas palavras em nosso coração . De nada adiante dizermos que somos de Deus e menosprezarmos Sua Palavra; escolhermos aquilo que seja mais conveniente a nós e descartarmos aquelas que exigirão de nós alguma renúncia. E como é difícil renunciarmos o nosso Ego!    

Davi disse "Escondi a Tua Palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti" ( Sl 119: 11) . Esse é o segredo para nos mantermos firmes e livres do pecado que tão de perto nos rodeia, e não nos enredarmos em coisas que com certeza nos roubarão a paz. 

A promessa da Palavra também diz respeito a sermos edificados . A condição: nos convertermos ao Todo-Poderoso .

Converter-se aponta para mudança de direção. Quando um carro muda de faixa ou vira para a direita ou esquerda ele faz uma conversão.    

Se estamos seguindo o rumo do restante da população não estamos convertidos ao Senhorio de Cristo. Conversão é muito mais do que levantar as mãos respondendo a um apelo. É decisão por mudança total de vida. É mudança de senhor; deixamos de pertencer a nós mesmos, ao nosso EU, e passamos a ser guiados pelo Espírito de Deus.    

"Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus (Rm 8:14). 

Sermos edificados implica em vivermos sobre a base da Palavra de Deus, guiados pelo Espírito Santo e fortalecidos no conhecimento da Verdade; aptos a discernir os aspectos espirituais que permeiam nossas escolhas, não permitindo que nossos instintos mais primitivos dêem vazão e nos afastemos da vontade perfeita de Deus.   

Quando verdadeiramente nos convertemos a Jesus Cristo, a iniqüidade é mandada para bem longe da nossa tenda .    

"Qualquer que comete pecado  também comete iniqüidade, porque o pecado é iniqüidade" ( 1 Jo 3: 4).  

O pecado nos afasta de Deus. E, assim como uma criança pequenina se inquieta, não sente paz e fica desprotegida quando se vê longe de seus pais, nós também perdemos a paz quando nos afastamos do nosso Pai Celestial. 

Quando nossa consciência nos acusa ( e ela é a voz do Espírito em nosso espírito), a primeira coisa que perdemos é a paz. Parece que nada mais dará certo (e realmente não dá) e que todos os nossos esforços resultarão em nada.   

Precisamos educar o nosso coração para que possamos ouvir o Senhor falar conosco, pois ele falará de paz.   

"Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti" ( Is 26: 3).        

Uma mente firmada nas promessas de Deus é garantia de paz, ainda que estejamos passando por lutas. Jesus nos garantiu que venceríamos porque Ele já conquistou a vitória para nós.  

"Tenho-vos dito, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo" ( Jo 16: 33).    

A verdadeira paz só tem aqueles que se tornam um com o Senhor; guardam Sua Palavra no coração e decidem mudar de direção: deixando de ser guiados pelos sentidos para serem guiados pelo Espírito Santo; Deus que habita em nós!    

SHALOM

Mônica Valentim

Mônica Valentim é pedagoga, com expecialização em Orientação Educacional e Profissional; pós- graduada em Psicomotricidade. Possui especialização em Modificabilidade Cognitiva PEI- Nível I, Jerusalém, Israel. Bacharelanda em Teologia.    

veja também