A decadência do louvor e a expansão do mercado gospel - Introdução

A decadência do louvor e a expansão do mercado gospel - Introdução

Atualizado: Quarta-feira, 15 Fevereiro de 2006 as 12

A Decadência do Louvor e a Expansão do Mercado Gospel   "Como detectar que o louvor da igreja não glorifica mais ao Rei"

  Abraão Lincoln

[email protected]

I ntrodução

Tudo o que se canta ou se toca na igreja local glorifica ou profana o nome de Deus.

NB.: Profanar e tratar com irreverência as coisas sagradas; desconsagrar." Dic. Aurélio

"Porque fostes comprados por bom preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus."" I Coríntios 6:20.

"E, quando fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por Ele graças a Deus Pai."" Aos Colossenses 3:17.

"E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens; sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis. Mas, se alguém fizer agravo receberá o agravo que fizer; pois não há acepção de pessoas."" Aos Colossenses 3:23-25.

"Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória pois a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura"." Isaias 42:8. Felizmente este assunto não é de minha particular preocupação. Em Fevereiro de 2004 a revista evangélica "eclésia" publicou uma ampla  e muito boa reportagem a este respeito, sob o título "EVANGÉLICOS BUSCAM CELEBRIDADE " Cada vez mais crentes correm atrás da fama" - analisando e divulgando diferentes opiniões, principalmente o que sucede com relação às gravadoras, à mídia e aos artistas evangélicos em geral.

 Pergunta-se:  O que há de errado nisto"

 A propósito, quando se fala de "CELEBRIDADE" ou "fama", de acordo com o texto da reportagem (busca de celebridade; correr atrás da fama), há de se ter em conta o que a Bíblia diz a este respeito, pois em I a Timóteo 3:6 está escrito assim:

 "Não neófito (isto é: na Igreja primitiva,  indivíduo recentemente convertido ao cristianismo) para que, ensoberbecendo-se (a busca por celebridade ou correr atrás de fama pressupõe a existência da soberba ou orgulho que não são frutos do Espírito " Aos Gálatas 5:22) não caia na condenação do Diabo".

 NB.: A causa da condenação do Diabo foi a soberba; e a condenação foi a expulsão dos céus, a exclusão dentre os filhos de Deus.

 Diante disto, alguém pode estar questionando consigo mesmo, dizendo: "Mas, o texto diz respeito àqueles que aspiram ao ministério". De fato o texto diz respeito àqueles que aspiram ao ministério. Porém, de acordo com as Escrituras, se Deus não poupou a um querubim ungido (Lúcifer) poderá poupar um artista evangélico" Não. Absolutamente não; tanto porque Deus é justo juiz, quanto porque  está escrito "Deus resiste aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes " S. Tiago 4:6". Além disto ouve-se muito falar de "ministério do louvor", que a meu ver na realidade mais oculta a fuga da oração do que propriamente tal ministério, no qual é indispensável a prática freqüente da oração.

  Retomando o texto da revista "eclésia", enquanto eu me ocupo do que está ocorrendo dentro das igrejas evangélicas, a revista enfoca o lado externo, com muitas entrevistas, dentre as quais transcrevo algumas partes e informações mais importantes, pois acredito que tais fatos estejam se multiplicando dentro das igrejas evangélicas que estão se deixando levar por esta avalanche.  Seja o caso, por exemplo, da entrevista com o psicólogo e professor de psicologia da Universidade de São Paulo, Roberto Goldberg, 45 anos, evangélico:

 Revista: Quando a fama acaba, quais são os efeitos"

 Isso pode desencadear uma verdadeira crise interior. A pessoa que foi famosa, quando se vê em decadência ou mesmo no anonimato, sente-se um lixo. A auto-estima vai embora, e às vezes é impossível recupera-la. É o caso de artistas que se entregaram ao vício depois que caíram no esquecimento. Já atendi alguns casos assim, inclusive no chamado meio gospel.

 No que se refere ao mercado em expansão, o crescimento do mercado gospel, por si só, explica o fenômeno. Com aproximadamente 26 milhões de crentes, o Brasil é um dos maiores consumidores mundiais de música evangélica, setor que movimentou em 2003 R$ 100 milhões. Já existe, no país, cerda de 50 gravadoras dedicadas ao segmento, inclusive empresas de grande porte, estruturadas profissionalmente e com forte presença de mídia; alguns lançamentos de CD"s evangélicos superam até grandes artistas populares.

 "Na briga pela fama e na ânsia de aparecer na mídia, muitos cristãos acabam imitando o mundo", opina o teólogo e maestro Flávio Almeida Santos, 40 anos, regente do Coral Jovem do Rio de Janeiro; ele trabalha ainda como produtor musical e compositor. Tem gente " diz ele - que faz covers (explique-se), transformando músicas populares e românticas em canções de louvor e adoração (isto é profanação " ex. a canção da novela Terra Nostra).  O risco, diz o maestro,  é a mistura de valores evangélicos com práticas mundanas. As estratégias de marketing dos artistas gospel, segundo o maestro Flávio, vão por esse caminho. Basta verificar que grande parte das capas de CD"s e do material promocional é feito nos moldes seculares, onde o artista é mais importante que o conteúdo. Os encartes são verdadeiros "books" fotográficos de cantores, com pouco ou nenhum espaço para a mensagem religiosa.

 No mundo, canta-se e toca-se para divertir multidões. Mas, na Igreja de Deus não; nela, toca-se e canta-se somente para louvar a Deus.

Abraão Lincoln  é pianista atuante. Atua como pianista correpetidor em diversos coros. Leciona e em diversas escolas e categorias musicais. É Bacharel em Música Sacra com especialização em piano pela FAC. Teológica Batista e FAC FITO.

 Leia também:

A decadência do louvor e a expansão do mercado gospel - Introdução A decadência do louvor e a expansão do mercado gospel Audição: Amostragem Causas Internas Sugestões para eliminar as causas internas

   

veja também