Acappella no Brasil - Confira a entrevista com George Pendergrass

Acappella no Brasil - Confira a entrevista com George Pendergrass

Atualizado: Sexta-feira, 21 Outubro de 2011 as 3:33

Newton Kern, mantenedor do acappella.com.br e do Yahoo Grupos Acappella Brasil é admirador do Acappella há muitos anos. Ele conversou com George Pendergrass que em novembro, vem com a formação do Acappella Classic ao Brasil.

NK: Como você se sente em cantar com o Acappella Classic no Brasil?

GP: Eu sempre fico absolutamente empolgado quando viajo e e canto com Acappella Classic e eu simplesmente amo o Brasil, as pessoas, a comida e o clima.

NK: Esta não será a sua primeira vez no Brasil, certo? Você já esteve em Vitória, ES, em 98 (ou 99)? Você trouxe alguns cantores com você daquela vez. Alguns deles já haviam cantado na TAC (The Acappella Company), certo?

GP: Sim, eu acredito que foi em 98, quando eu fui para Vitoria, ES, e todos, exceto Geoff Thurman e Joey Richey tinhma cantado em algum momento na TAC.

NK: Quando você esteve no Brasil, você estava promovendo seu álbum solo, o Purpose, certo? Este foi seu único álbum solo? Você cantou em um grupo com Barry Wilson? Things in Common?

GP: Eu não sabia que você acompanhava minha carreira tão bem! Sim, eu cantei com Barry Wilson, seus irmãos e Medula Debbie (Spence), em um projeto a cappella chamado Things in Common (coisas em comum).

NK: Como você ingressou no Acappella?

GP: Eu conheci o Acappella quando eu morava na Califórnia em 1988. Eu fui ver o Acappella em Redding, Califórnia, e depois eu soube que Keith tinha ouvido falar sobre os projetos musicais que eu tinha feito. Encontrei-me com Keith depois do concerto e ele convidou-me para ir a Paris, TN (sede do Acappella) para ver se eu estaria interessado no ministério. Contei-lhe sobre Wayburn, que na época estava morando em Hobbs Novo México. Ele convidou nós dois para irmos a Paris TN, para um seminário de uma semana. Wayburn e eu trouxemos nossas esposas com a gente para o seminário em Paris TN,. Vimos o ministério, e nós amamos o que vimos, eles desfrutaram de nossa música, e o resto é história.

NK: Você já cantou com o U2 (I Still Haven’t Found -Rattle And Hum, 1988) Como isso aconteceu? O Keith não aproveitou para convidar o Bono para cantar no Acappella?

GP: Um amigo meu e ex-diretor de um coral de Nova York em que eu cantei quando adolescente era também um produtor e decidiu produzir uma das músicas do U2 no que ele chamou de estilo Rockspel. Ele enviou a demo para a Island Records. O U2 ouviu e gostou e decidiu chamar o grupo Novas Vozes da Liberdade para cantar ao vivo com eles quando vieram ao Madison Square Garden, em Nova York em sua turnê. Não, infelizmente o Keith não convidou o Bono para participar do Acappella. Teria sido algo! Foi uma emoção, mas definitivamente uma daquelas ocasiões em que tem muito pouco a ver com quem ou o que você faz, mas é só uma questão de estar no lugar certo e na hora certa.

NK: Você é o compositor de Hush, umas das músicas de mais sucesso do Acappella, e outras canções, como Talk to Jah. Em relação ao seu atual grupo, Merging Blue – você compõe algumas das canções?

GP: Eu tenho a sorte de poder dizer que eu tenho composto músicas que as pessoas têm de fato ouvido e apreciado. Isso é uma benção dos céus. Deus tem sido duplamente bom comigo para me dar a oportunidade de trabalhar com um grupo como Merging Blue.Eu continuo a ter oportunidades para criar e escrever.

NK: Sobre o Acappella Classic – Eu acredito que o grupo só tenha cantado duas vezes: na África e nos EUA. Esse é o terceito concerto?

GP: Este é o terceiro concerto internacional, mas já cantamos algumas vezes dentro dos EUA.

NK: Este evento do Acappella & Classic vai ser um evento único para nós! Algumas pessoas sempre sonharam em ver o “antigo” Acappella, mas o Acafest acontece muito longe daqui. O público vai enlouquecer! Kevin Schaffer disse uma vez que se surpreendeu com o público brasileiro, e não estava acostumado a ser tratado como uma estrela. Você está pronto para o público brasileiro?

GP: Bem, não importa quão loucas as coisas estejam, se a minha mulher estiver comigo me dando apoio, terei equilibro e realidade em minha vida. Pode trazer o público brasileiro, estou pronto!

NK: Alguma questão que eu deveria ter perguntado?

GP: Eu acho que você fez bem! Bom trabalho!

NK: Por favor, diga algo ao público brasileiro, convidando para estarem no concerto.

GP: Você gosta de boa música? Você quer se divertir? Venha se juntar a nós enquanto cantamos e entrar em contato com Aquele que nos dá vida em abundância. Você não vai querer perder!

veja também