Análise de CD: Something Big, da dupla Mary Mary

Análise de CD: Something Big, da dupla Mary Mary

Atualizado: Segunda-feira, 7 Novembro de 2011 as 2:24

Definitivamente 2011 é um dos melhores anos na carreira de Mary Mary. Nesse ano a dupla recebeu diversos prêmios, entre eles o ASCAP e o BET Awards, foram destaque na mídia secular e, é claro, lançaram um ótimo disco. Something Big não é o melhor disco de Erica & Tina, mas fica entre os 10 melhores discos lançados neste ano.

Novamente as irmãs fizeram um ótimo trabalho, ministrando canções que exaltam o nome do Senhor pela sua morte na cruz, pela segurança e por tudo que tem feito por nós diariamente. Elas também falam sobre o amor e relacionamentos de forma simples e objetiva. Tenho certeza que você vai se surpreender novamente com esse novo trabalho da dupla.

Nesse disco Mary Mary faz um pequeno passeio por algumas vertentes da música negra. SOMETHING BIG tem uma mistura de funk com Rock n Roll dos anos 70, sampleando "Mama is Pearl" do Jackson 5. A base da melodia é formada por um baixo Edgy, e bateria, tendo alguns complementos de piano e palmas - dando a impressão que a canção foi gravada em um culto matinal de domingo, em uma igreja negra americana, como vemos em filmes. “Eu conheci este homem chamado Jesus / E eu nunca mais fui o mesmo”.

SOMETHING BIGGER é praticamente a continuação da anterior, porém com uma "levada" diferente - e também sem variações no sampler. "Apesar da canção ser simples, os efeitos vocais ficaram ótimos, tanto nos refrões [que tem efeitos “robóticos”], quanto durante a canção, onde é possível ouvir vozes ao fundo.

Gostei muito dos tambores de BLIND, pois eles deixaram a música mais envolvente. Os sintetizadores e os claps [vou citar muito essa palavra] também ficaram ótimos. Se prestar atenção, o ouvinte vai perceber que não existe apenas um, eles são variados e um é mais "carregado" que o outro [o mais pegajoso t]. Na última estrofe o beat [tempo] muda, e são inseridos baixo, piano e alguns efeitos vocálicos ao fundo. Depois desses 24s, o beat volta ao seu curso normal.

Em IT IS WELL a dupla faz uma acappela, acompanhadas por uma voz [novamente] com um efeito robótico. Essa canção foi produzida pelo esposo de Erica, o produtor Warryn Campbell. Warryn já produziu canções para diversos artistas, entre eles, Kanye West, Alicia Keys, Miss Ellioty e Yolanda Adans, entre outros.

NEVER WAVE MY FLAG tem variações de r&b e eletro-pop, que só ficam “visíveis” nos refrões. Os bumbos ficaram incríveis – gravíssimos -, sem contar os diversos sintetizadores, acompanhados por claps “pegajosos”. Sempre fico impressionado com a altura do tom que o duo atinge – isso é só pra quem pode mesmo.

O primeiro single que virou hit nas rádios e chegou ao topo dos rankings, WALKING, tem pitadas de Hip Hop, mas o R&B prevalece com um groove suave e dançante - não tanto quanto parece - puxado por um sintetizador. O som é muito gostoso de se ouvir. Os vocais seguem a mesma suavidade da harmonia. Deus diz pra você não ficar correndo pra lá e pra cá; olhe para Cristo e vá devagar dando um passo de cada vez – não dê um passo maior que a perna.

Após o declínio do último refrão de WALKING e a contagem da menininha até 3 pela segunda vez, o interlúdio SLOW WALK se inicia com batidas fortes e "grudentas", tendo algumas colagens dos vocais da faixa anterior - whaii... Na segunda parte os bumbos ficam mais contidos e os claps sobressaem. Se ela fosse estendida um pouco mais, seria uma bela canção!

SURVIVE fala sobre relacionamentos. A letra conta o drama de uma pessoa que foi magoada e abandonada por alguém que amava, mas com a força do Senhor não desanimou e “sobreviveu”. A melodia é linda, gostei muito do órgão e da guitarra que ficam no background - só na marcação -, os naipes dos metais nos intervalos também dão um brilho no arranjo; nos vocais as cantoras prezam pela simplicidade, mas as firulas (melismas) não foram descartadas. "Oh, Senhor, eu tinha muito em mim / verdade seja dita, ele quase me "quebrou" / mas estou tão feliz / Eu sobrevivi, sobrevivi".

“Você estará onde estiverem seus pensamentos”. Essa é a mensagem principal de ARE YOU READY. Ela segue a mesma linha soul/neo-soul da anterior. Destaque para o violão aço que abre a canção belamente, mas na maior parte dela fica em segundo plano, “reaparecendo“ novamente nos refrões e nas últimas estrofes. A interpretação também segue a suavidade da melodia. Essa é mais uma bela canção que nos incentiva a enfrentar cara-cara os nossos medos e dúvidas.

CATCH ME abre a última parte do disco, com "levadas" de spirituals - que aqui no Brasil pode ser chamado de louvor e adoração, se é que esse estilo/ritmo musical existe. Em um tom dramático Erica & Tina falam das fraquezas dos seres humanos e da misericórdia de Deus, que perdoa nossos pecados. Sem ele não sabemos e não podemos viver. Mary Mary sempre nos impressiona tanto nas canções mais "swingadas”, quanto nas mais delicadas. “Precisamos do seu amor / Tão forte eu estou falha / Mas sei que seu eu cair / Você vai me pegar/ Sua misericórdia, Sua graça / Minha fé me dá força /Para sentir perfeitamente seguro /Porque Você vai me segurar”.

SETTING WITH ME tem uma letra fantástica; é uma narrativa de uma pessoa que se sentia excluída de tudo e de todos, mas que buscou força em Deus e no exemplo de Jesus, que mesmo sendo justo foi julgado e morto injustamente pela sociedade. Mesmo sendo hostilizado e excluído não perca o foco, olhe pra Jesus, porque o dia de você brilhar vai chegar [Não posso deixar de dizer que a melodia também ficou linda].

HOMECOMING GLORY fecha o disco com ares de despedida. O unppluged caiu muito bem nessa canção; voz, violão, piano, leves sintetizadores no BG e a percussão ficaram lindos. A música é “simples” e objetiva.     Via Supergospel

veja também