Banda Rap Sensation: "Qué Colá?"

Banda Rap Sensation: "Qué Colá?"

Atualizado: Sexta-feira, 15 Agosto de 2008 as 12

Por Adriana Amorim

Com uma formação diferente da incial, o Rap Sensation tem quase 21 anos de história e seis álbuns gravados. A banda de rap é composta hoje por dois MCs, Luiz Cláudio Siqueira (Cacau) e Nino Whelington Rocha, e três outros integrantes: o baixista Sagate Wagner Santos, o baterista Marcos Lima (Marcão) e o tecladista Wesley Rocha. Com o CD atual  "Qué Colá?", o rap da banda tem feito muitas pessoas "colarem" para ouvir a palavra de Deus.

Foi através da conversão de Jaime dos Santos, ex-integrante do grupo, que o Rap Sensation tornou-se uma banda gospel. Cacau conta que durante muito tempo não aceitava e rejeitava as palavras de seu amigo a respeito do evangelho: "Há muito eu rebatia, eu que era um dos componentes na época, há muito eu rejeitava, mas não teve jeito. Papai me arrastou, me colocou uma algema santa e me trouxe para o evangelho e hoje o Rap Sensation todo é de Cristo".

Antes do atual álbum Gospel "Qué Colá?", o Rap Sensation teve outros cinco trabalhos. "Então a gente tocava no mundo, a gente tocou muito no mundo. O Rap Sensation tem quase 21 anos. Eu sou o único da formação antiga, que era do mundão. Eu, o James e o DJ Zulu", conta Cacau. Mesmo com a idéia inicial de trocar o nome da banda para outro em português, o nome secular foi mantido com um propósito evangelístico. A banda acredita que com o nome divulgado no meio secular, fica mais fácil para as pessoas que conhecem o Rap Sensation perceberem a mudança no estilo e nas canções. Recebendo assim, a palavra de Deus de forma musicalizada.

A maior parte das composições é de autoria de Nino e Cacau, que na maioria das vezes trabalham em conjunto. Outras músicas são de autoria individual. Para o vocalista Nino, a vida dos integrantes da banda tem que ser coerente com o que escrevem e cantam: "A gente tem a missão de levar o evangelho de uma forma bastante rígida, não só o rótulo de evangélico. Procuramos a verdade, nós queremos inserir a verdade na vida das pessoas, porque é uma verdade que  a gente vive".

Sempre sorrindo e carregado de argumentos baseados na palavra de Deus, Cacau aponta que o rap dialoga principalmente com moradores das periferias, com usuários de drogas e com pessoas que têm uma vida ligada ao crime e à prostituição. Nino fala que no rap existe essa aproximação com o público: "O nosso foco justamente são os doentes. Como diz a palavra de Deus, quem precisa de remédio não são os sãos, mas os doentes. A nossa música é voltada ao pessoal da periferia. Quando nós éramos pessoas ímpias, pessoas que não conheciam a verdade, nós curtíamos essa música também. Sabemos que muitas pessoas gostam e essa é uma estratégia de evangelismo". Além da música, os integrantes têm também trabalhos pessoais de evangelismo, como visita a presídios.

Uma das músicas que faz parte do repertório do grupo é "Não na terra do sim". Cacau, autor da canção, entende a maneira como as pessoas vivem e se relacionam atualmente como um estilo de vida muito permissivo. "Eu já vinha notando na política, nos evangélicos também, em cristãos de outras religiões que dizem que são cristãos, uma inversão de valores. É o policial que vai para a cadeia hoje. Hoje, o povo em vez de tomar o remédio, toma veneno e joga o remédio no lixo, o povo em vez de comer o trigo, come o joio e joga o trigo no lixo. Eu quero passar que no século XXI o ser humano que recebeu o amor de Cristo está com o coração corrompido, que ao invés de pregar a paz, está pregando uma paz camuflada. É aquilo, se você não tiver nada a me oferecer eu também não dou. E hoje é assim, se não tiver nada para dar, nego não dá".

"Não na terra do sim" é também o título do novo álbum que ainda não tem data prevista para lançamento. "Hoje, pode se prostituir, pode fumar um baseado, dar uma cheiradinha numa carreirinha de droga, que não pega nada. Hoje, pode transar, pegar camisinha no governo", expôs Cacau. O vocalista Nino conclui de forma contundente: "A felicidade está numa porta estreita, em um caminho estreito".

veja também