Bateras: Atitudes Profissionais

Bateras: Atitudes Profissionais

Atualizado: Sexta-feira, 18 Março de 2011 as 12:03

PROFISSIONALISMO na música é um assunto de grande interesse para todos músicos que desejam seguir suas vidas tendo a arte como profissão.

Como eu já disse: é um verdadeiro trabalho de "formiguinha" que devemos fazer, mas eu pergunto: você faz a sua parte?

Muitas vezes temos atitudes pouco profissionais e que acabam denegrindo não apenas a própria imagem, mas também a imagem dos músicos, de forma geral. E são pequenos gestos que podem pôr abaixo toda sua imagem de músico profissional. Alguns exemplos simples podem contribuir e muito com sua conduta profissional.

Equipamentos: o mínimo, que podemos exigir, quando contratamos por algum serviço, é a qualidade do serviço prestado, e no nosso caso, isso envolve diretamente a qualidade de nosso equipamento. Eu mesmo me preocupo em, sempre que for fazer alguma gig, dar uma geral no meu set, seja em estúdio ou em apresentações, isso irá demonstrar que você se preocupa e é responsável com seus pertences. Nunca é demais ter o máximo possível de baquetas, dos mais variados modelos, assim com pratos e tambores condizentes com o trabalho que irá desenvolver.

Apresentação: assim como seu equipamento, sua apresentação é importantíssima em qualquer trabalho! Pense da seguinte maneira: quando você faz qualquer entrevista de emprego qualquer, você certamente não irá se apresentar de bermuda, chinelos de dedos e uma surrada camiseta. Não, eu não pretendo que você use terno e gravata em suas gigs, mas utilizar uma roupa limpa, adequada ao local aonde vai se apresentar (em um casamento, você não vai tocar usando bermuda e camiseta sem mangas!), estar limpo e com boa apresentação, é a certeza de uma primeira boa impressão, e isso conta muito!

Administração de egos: infelizmente, você irá, pelo menos uma vez na vida, lidar com egos de produtores e músicos, mas este tipo de problema é recorrente em qualquer profissão, apenas mantenha-se distante de qualquer discussão sobre "competência". É muito importante que você saiba administrar seu ego também. Não ajuda muito chegar á um estúdio falando que gravou com todo mundo, quem tem endorsee de tudo, que sai em revistas todo mês e que é o melhor baterista do momento. Se for questionado sobre seus trabalhos anteriores (o que, geralmente ocorre antes de fechar qualquer contrato), mantenha sempre a humildade, mas não haja jamais com "falsa modéstia", pois isso pode soar mal para os demais. Seja sempre atencioso com todos, até mesmo com bateristas que irão gravar junto com você (em trabalhos com vários bateristas), pois eles não são seus "concorrentes", e sim, colegas de profissão! Há lugar para todos no mercado, e a união é a melhor solução para uma futura indicação como músico substituto. Muitos de meus primeiros trabalhos ocorreram desta forma, substituindo amigos com muitos trabalhos simultâneos.

Gigs: antes de aceitar qualquer gig, tenha certeza de que está apto para tal. Procure o máximo de informações, estude o repertório e pesquise referências em trabalhos anteriores do artista, ou do gênero musical. Isso irá fazer com que seu trabalho seja mais facilmente realizado e mostrará que você é um músico dedicado e preocupado com a qualidade do trabalho.Chegar no estúdio e tocar sua parte pode soar "mecânico" demais, e alguns produtores não gostam disso. Se lhe pedirem alguma sugestão, tenha certeza de que poderá contribuir para uma maior qualidade do seu trabalho.

Horários: algo tão simples, como cumprir horários, pode fazer com que sua presença em estúdios e shows seja mais freqüente. Chegar na hora é chegar atrasado! Seja sempre o primeiro a chegar, isso irá demonstrar seu real interesse pela gig, e além do mais, é sempre bom ter tempo hábil para lidar com seu equipamento (ou com o equipamento disponível) para que sua performance seja à contento do contratante. Habitue-se a ser o primeiro á chegar, e o último a sair, isso faz parte da vida de um baterista.

Conduta: pode parecer besteira, mas algumas coisas simples podem te trazer para "dentro" do trabalho, assim como podem te levar a porta de saída. Respeito com todos os envolvidos no trabalho deve ser imprescindível! Trate a todos com cordialidade e você irá acumular muitos pontos! Felizmente acabei me tornando grande amigo de todos os músicos e produtores com quem trabalhei em toda minha vida, e sempre que nos reencontramos "pela estrada", acabamos despertando o interesse mútuo de voltar á trabalhar juntos novamente. Seja solícito sempre, e, caso for utilizar seu próprio equipamento em uma gravação, auxilie ao engenheiro do estúdio sobre as particularidades do seu kit. Eu por exemplo sei que minha caixa tem um volume extremamente alto (sim, eu adoro isso), logo, uma distância de alguns centímetros da pele irá proporcionar um som mais bonito para gravações. Assim eu estarei economizando o tempo gasto com microfonação e, conseqüentemente, dinheiro dos contratantes.

Valores: é uma questão delicada em qualquer negociação profissional, mas é estritamente necessário deixar suas condições sempre transparentes! Faça os acertos necessários fora do estúdio, pois ali haver todas as preocupações relacionadas à música, e nada mais. Seja flexível em suas negociações, mas mantenha sua valorização! Como disse na coluna anterior: fui chamado para uma gravação e na hora de fechar os valores, me ofereceram R$ 200,00 para gravar um CD inteiro, o que é uma verdadeira falta de respeito com qualquer profissional da música! Procure sempre elaborar um contrato de prestação de serviços, para poder garantir seus direitos, e também, seus deveres. Consultar um advogado pode ser uma boa alternativa antes de assinar qualquer contrato.

Estes são apenas algumas atitudes simples, mas que podem fazer com que seu nome seja lembrado sempre que houver a necessidade de contratar um baterista.

Bom, este foi apenas mais um pequeno "passo de formiguinha" em direção à melhor qualidade para nossa profissão. Críticas, sugestões, e tudo que for necessário, escrevam-me!

Por Renato Siqueira  - www.batera.com.br

veja também