Conheça mais detalhes do primeiro álbum de Deborah Coelho

Conheça mais detalhes do primeiro álbum de Deborah Coelho

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:28

CD Toma Teu lugar - Deborah Coelho .Toma O Teu Lugar é o primeiro disco solo da cantora e compositora Deborah Coelho.

O álbum foi produzido por Mazinho Diaz, que é marido da cantora, e é classificado no gênero pop/rock/adoração. Os arranjos são basicamente conduzidos pelas guitarras que trazem riffs, licks, efeitos e solos bem interessantes. Destaca-se também a dinâmica do dinâmica do back vocal e do instrumental que conta ainda com teclado (synths e loops), violão, baixo e batera.

O repertório de Deborah Coelho é autoral e trás músicas que falam de intimidade, fidelidade e cuidado de Deus, todas baseadas na palavra. As composições de Deborah são muito boas, com melodias bacanas e refrões muito bem construídos.

O cd conta com a participação de cantor Thiago de Hungria, na canção "Eis Me Aqui, Senhor" e do Rapper L-Ton do RJ, na música "Poderoso".

As faixas "Sou livre pra adorar" e "Deus tem o melhor" ganharam vídeos clipes em HD , gravados e produzidos pela H3O por Saulo Ortiz e Junior Hilton em São Paulo.

O repertório tem início com a pegada pop de 'Sem Ti não viveria'. A canção versa sobre a confiança na provisão e proteção de Deus. Destaque para os riffs de guitarra e para o back vocal formado por Thiago de Hungria, Philipe Daniel e Thamires Coelho.

A faixa título vem com um arranjo denso e cadenciado. 'Toma o Teu lugar' começa se desenvolve de forma cativante. A música é um clamor pela operação de Deus em nossa vida. Em breve será lançado um vídeo da canção.

Cordeiro de Deus possui um clima de louvor congregacional e mantém a audição no clima de balada melódica. É um belo momento de exaltação a Jesus Cristo. Conta ainda com alterações de dinâmica, muito bem executados pelo back vocal e pelo instrumental.

A seguir temos Eu te seguirei que volta a fazer alusão a suficiência de Cristo em nossa vida. Como diz meu amigo Felipe Lima, um pop rock honesto, sem muita firula e bem direto. Destaque para o guitarrista Silas Jardim (uma constante em todas as faixas) e para as coberturas de teclado.

'Sou livre para adorar' é um dos singles do álbum que virou vídeo clipe. O louvor, que traz os synths na primeira camada, é muito bem conduzido pela banda, enquanto o back vocal encaixa intervenções melódicas durante o desenvolvimento do arranjo. Sonzeira!

Em seguida ouvimos a primeira das participações especiais. Thiago de Hungria divide os vocais com a cantora em 'Eis me aqui Senhor', onde, novamente, temos um clima de louvor congregacional. Destaque para a interpretação de Thiago que encaixou muito bem no tom da música e no timbre de Deborah.

A veia pop rock volta a aparecer em Ele vem pra salvar, onde guitarra e synths se dividem na condução do tema com riffs e ornamentos empolgantes.

Em 'Poderoso' ouvimos a segunda das participações especiais. O rapper L-Ton (Gospel Beat) solta a rima neste empolgante hino de reconhecimento da grandeza e soberania de Deus. Nota 10!

'Deus tem o melhor' é outro dos singles do álbum que virou vídeo clipe. Disserta sobre o cuidado de Deus por nós de forma melódica e atraente.

Uma levada muito agradável de ouvir conduz 'Tua fidelidade'. Destaque para a o refrão e para a intensidade com que o back vocal marca presença nele. Os timbres de guitarra e as linhas de baixo também estão bem bacanas.

O cuidado de Deus volta a ser exaltado em 'Tú És fiel a mim', que possui coberturas percussivas e é conduzido por um violão folk auxiliado pelo piano. Destaque também para o loop de cordas que dá um chão bacana para a base e o vocal desenvolverem.

'Eu quero Te adorar' é outra que ficou muito bem construída. No final temos uma subida de tom dando um pouco mais de dinâmica no hino.

Apesar de estarmos na décima quarta faixa do set list, 'Cristo vive em mim' mantém o repertório com o fôlego do início. Realmente algo a ser destacado.

'Eu posso tudo' é outra que possui uma levada suave e agradável. Aqui, destaque para a condução do piano Rhodes e para as intervenções e coberturas de órgão.

A gravação termina com a pegada festiva e dançante de 'Eu vou' que fecha o repertório com um riff forte e marcante.

Por: Roberto Azevedo

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições