David Fantazzinni: "O cenário Gospel está crescendo muito por aqui"

David Fantazzinni: "O cenário Gospel está crescendo muito por aqui"

Atualizado: Segunda-feira, 14 Junho de 2010 as 5:25

Com uma agenda cheia de compromissos marcados como participações em programas de rádios e ministrações em diversas igrejas, David Fantazzinni esteve no último final de semana - dias 11, 12 e 13 - em Fortaleza (CE), divulgando o seu trabalho mais recente, intitulado ''Estou Aqui''.

Em entrevista exclusiva ao Guiame.com.br, o cantor falou sobre a satisfação de estar de volta à capital cearense, cidade esta que já o recebeu de braços abertos tantas vezes, que o próprio músico já perdeu as contas de quantas ocasiões essa visita lhe foi possível. Em seu depoimento, David também assumiu que a cada vez que recebe um convite para cantar e tocar em Fortaleza, não tem dúvidas de que será uma estadia agradável, além de reconhecer relevância da capital cearense no atual cenário gospel do país.

''[Quando venho à Fortaleza] eu sei que vou encontrar muita gente querida: irmãos amados, amigos, o Rogério [Uchôa] que é um amigo querido de muitos anos... Eu sei que eu vou encontrar coisas boas, presença de Deus, pastores que estão crescendo, igrejas que também estão que crescendo. Hoje eu sei que Fortaleza é a quarta maior capital do Brasil. Nós temos aí pelo país: São Paulo, Rio, BH e Fortaleza. Então o cenário gospel está crescendo muito por aqui, os eventos também. Então, igrejas e gravadoras, voltem os olhos para Fortaleza! Essa cidade é o quarto maior pólo de música gospel do Brasil, hoje'', disse.

''Estou aqui''

Falando sobre o seu trabalho mais recente - que já traz no título, uma intenção missionária - David abordou a questão da atual visão das pessoas em relação aos músicos cristãos no Brasil. Segundo ele, apesar de muitos ainda terem uma ideia errônea e generalizada sobre aqueles que se dispõe a viver de seu ministério - levando o evangelho por meio da música - essa concepção já está se desfazendo.

''As pessoas ainda têm aquela ideia enganosa, acham que o cantor gospel está rico, em casa, sai só para fazer grandes shows - e isso até acontece, talvez com uma minoria - mas a grande maioria dos cantores evangélicos ainda é de missionários, eles viajam muito, de ônibus, ficam por muitas horas sem dormir e têm um coração na obra, são servos de Deus, trabalham bastante e às vezes só para conseguir pagar as suas contas. Então existe uma ideia errada ainda, mas isso já está se desfazendo. Nós estamos mudando essa história e creio que outros adoradores também estão mudando essa história'', afirmou.

Técnica

Em alguns de seus trabalhos, David Fantazzinni já regravou em novas e rearranjadas versões, músicas conhecidas como ''Espírito, Espírito'' e ''Amigo de Deus''. Quando questionado sobre os seus métodos de trabalho na área técnica para rearranjos, o músico afirmou que que é preciso ter sensibilidade para perceber qual é a intenção da música e ver o que é possível trabalhar nela, sem ferir a sua essência

''Quando eu vou regravar uma canção, como por exemplo 'Eu Navegarei', nós pensamos de uma música calma, tranquila para falar ao coração e aquietar a alma... então colocamos um arranjo de cordas com uma gaita. Quando a gente vai rearranjar uma música, vai mesmo pelo coração, pelo sentimento, que é isso que a música nos transmite'', lembrou.

Produção

Falando sobre os processos de produção e a atenção que cada um deles exige, o músico revelou o seu desejo de acompanhar minuciosamente cada etapa da formação de um álbum - seja ele, CD ou DVD. Porém, outras atividades como o seu ministério pastoral na Igreja Bola de Neve de Sorocaba (SP), por exemplo não o deixam estar sempre presente fisicamente nos estúdios de gravação. Apesar disso, David afirmou que dá um jeito de acompanhar e dar sempre a sua opinião em cada detalhe.

''Eu acompanho tudo! Dou ideia em tudo, os arranjos, ideias, bases (...) Agora, pastoreando igrejas, eu não pude estar em todos os momentos da gravação desse CD, por exemplo, O Back Vocal eu não pude acompanhar, gravação de violão e guitarra também não pude acompanhar. Mas, por exemplo - aconteceu isso nesse CD, inclusive - Sentei para escutar e o arranjo não estava ficando como eu queria. Eu falei: 'Leandro, pára... desfaz tudo... não é nada disso. Volta! Não é isso. É assim' (e fui mostrando como eu queria). Quando eu voltei, no outro dia, já estava com uma cara nova. Mesmo eu não acompanhando 'ao vivo', presente no local, eu aompanho e reviso tudo. As coisas passam sob o meu aval. Senão não tem a cara do David Fantazzini'', brincou.

Para finalizar, o cantor falou de maneira espotânea sobre a sua vontade de conseguir acompanhar detalhadamente todo o processo de produção de seu mais recente trabalho e lembrou a importância de avaliar bem os profissionais que cuidarão de cada etapa.

''Total! A vontade que eu tive, foi de me trancar nesse estúdio até o CD ficar pronto, mas não dá. São oito meses de trabalho e a gente tem muitas responsabilidades e não pode parar a vida por isso. Então a gente confia no profissional que escolheu e o Leandro foi de extrema maestria nesse CD. Mandou bem pra caramba, um homem de Deus, super talentoso'', descontraiu.

Por João Neto - www.guiame.com.br

veja também