Falai à Música

Falai à Música

Atualizado: Quinta-feira, 24 Março de 2011 as 3:43

"À música dos distribuidores de água, lá entre os canais dos rebanhos, falai dos atos de justiça do Senhor, das justiças a prol de suas aldeias em Israel. Então, o povo do Senhor pode descer ao seu lar." (Jz.5.11 - versão João Ferreira de Almeida).

"Mais alto que a voz dos que distribuem água junto aos bebedouros, recitem-se os justos feitos do Senhor, os justos feitos em favor dos camponeses de Israel. Então o povo do Senhor desceu às portas." (Jz.5.11 - versão Nova Versão Internacional).

"Escutem! A multidão em volta dos poços está falando das vitórias do Senhor, das vitórias do povo de Israel! Então o povo desceu para a sua cidade. (Jz.5.11 - versão Nova Tradução da Linguagem de Hoje).

Quero começar este artigo com uma pergunta: Qual a função de um ministro de louvor? Creio que a maioria responderia: Levar a igreja ou as pessoas que não conhecem o Senhor, à presença Dele. E essa é sem dúvida a resposta certa.

Não somente ministros de louvor, mas qualquer ministério, seja ensino, seja ministério infantil, dança, artes cênicas, ação social e etc, deve levar o povo até Jesus. Mas este texto é direcionado especificamente ao ministro de louvor.

O instrumento do ministro de louvor é a música. Esse é o bordão (como Moisés) que ele carrega para manifestar os feitos, a glória de Deus. O centro do seu ministério deve ser Jesus. O ministro deve conhecer bem o caminho que leva até Jesus para levar as pessoas até a presença Dele. Esse é o seu serviço.

O que tem me preocupado nestes dias, é por que infelizmente os ministros é que ainda estão sendo o foco das atenções? Por que depois de uma ministração o assunto da maioria dos ouvintes é a performance, a beleza poética e melódica das músicas, é a unção, é a voz maravilhosa do ministro? Isso me faz chegar a uma drástica, mas não pessimista conclusão: de que os ministros, ainda, estão conduzindo o povo para eles mesmos, em nome de Jesus.

Não quero de forma alguma culpar os ministros, dizer que eles têm levado o povo a focar neles e não em Cristo. Há aqueles sim, que infelizmente tem buscado a glória para si, mas há os sinceros que desejam levar o povo à presença de Deus. Mas ainda há deficiências tanto dos ministros como daqueles que estão sendo ministrados.

Os textos que coloquei acima contêm princípios de Deus para quem é músico na casa de Deus. O texto diz que há um grupo de distribuidores de água que canta enquanto tira água dos canais ou bebedouros, e continuam cantando enquanto distribuem essa água. "À música dos distribuidores de água...", Esse grupo tem um serviço específico e tem uma música, um som, uma voz. A Palavra nos diz que "Há, sem dúvida, muitos tipos de vozes (sons) no mundo; nenhum deles contudo sem sentido (direção)." I Cor.14.10. Nenhuma voz, nenhum som é sem sentido, sem direção. A questão é se o som que estamos emitindo tem sentido positivo ou negativo. O som positivo, é o que direciona para Cristo, o negativo é o que direciona para homem.

Nós ministros de louvor somos, ou deveríamos ser, distribuidores de água. Sabemos que Cristo é a fonte, o bebedouro. Nossa função é dar de beber desta água (mas para dar de beber é preciso estar transbordando desta água). E a forma que temos de repartir essa água viva é através da música, do som. Mas o texto não para por aí. Há outra música, outro som que deve se sobrepor à nossa música. Um som "Mais alto que a voz dos que distribuem água...".

Vou tirar o a craseado (À música...) para entendermos melhor o texto. Sem este "à", para se entender a frase, é preciso mudar a ordem das palavras, então veja o que o texto está dizendo: "Falai dos atos de justiça do Senhor para a música dos distribuidores de água". A música passa a ser um sujeito, um ser.

Então eu pergunto: Qual o som, qual a música que a nossa música têm ouvido? O que temos falado para a nossa música? A nossa música precisa urgentemente de ouvir de Jesus e de seus gloriosos feitos! A nossa música precisa romper ao som dos céus! O som do céu deve prevalecer sobre o som da terra. O som dos atos de justiça do nosso Deus deve entrar nas nossas linhas melódicas. E quando falo a nossa música, ou a sua música, não estou querendo dizer somente de música que compomos, mas de qualquer música que cantamos. Seja sua, seja de outro compositor, o som do coração de Deus deve penetrar no som que emitimos com nossa voz ou instrumento.

Quando leio cânticos como este de Débora e Baraque, de Ana (mãe de Samuel), Maria (mãe de Jesus), percebo que o centro dos cânticos é somente o Senhor. O de Débora chega a citar nomes de pessoas como Jael, mas nem por isso o centro se volta para o homem. Com o olhar, a mentalidade ainda desfocada em Jesus, muitos hoje ao ouvir Débora e Baraque poderiam fixar os olhos neles e dizer: "Nossa, que voz linda da Débora! Puxa, você ouviu aquela segunda voz que o Baraque fez¿ Que unção! Eles têm mais unção do aquele ministro que veio aqui o mês passado, eles são muito melhores!" E infelizmente é esse discurso que eu ainda tenho ouvido por aí!

O conselho que eu me dou e também a todos aqueles que ministram, seja na Casa de Deus, num casamento, num velório, num festival de pizza, seja lá onde for, é que antes de ministrar, vá pro seu quarto em secreto e coloque todas as músicas que você preparou para cantar ou tocar diante de Deus, e deixe Deus se revelar a você para que você fale à música sobre Ele. É como se você dialogasse com a música dizendo: "Hei música, se volte para o seu criador. Ele é o centro do seu som. Deixe Jesus cantar através de você." Esteja sensível a ouvir o som dos céus em meio às linhas melódicas das músicas que você preparou. Que o seu único e maior desejo como ministro seja levar as pessoas à Jesus! Que depois de uma ministração sua o assunto seja Cristo! Que as pessoas ao lembrarem daquele dia em que você ministrou se lembrem de Cristo e de Seus grandiosos feitos, e não de você, da sua voz, da sua unção, da sua performance.

Se alcançarmos isso como ministros de louvor, o povo, depois de uma ministração, vai poder voltar para casa descansado em Deus: "Então, o povo do Senhor pode descer ao seu lar." Depois de ter visto Cristo o povo pode voltar para casa transformado.

Medite nisto!

Deus abençoe!

Por Luciana Lacerda - (Equipe da Escola Adorando)

veja também