Gravadoras falham na promoção de download legal

Gravadoras falham na promoção de download legal

Atualizado: Sexta-feira, 12 Março de 2010 as 12

A indústria da música falha na promoção de alternativas legais para serviços de música on-line, segundo um relatório da Consumer Focus, órgão vinculado ao governo britânico que cuida dos direitos dos consumidores, publicado na segunda-feira (8).

Nove em cada dez consumidores que estão cientes sobre serviços de música só ouviram falar de duas marcas estabelecidas - iTunes e Amazon, de acordo com a pesquisa.

Segundo o jornal ''The Daily Telegraph'', dos 1.995 adultos entrevistados, quatro em cada dez pessoas são incapazes de dar um nome de serviços de música on-line - apesar de haver mais de 20 no mercado.

O Consumer Focus vê o crescimento do mercado legal de música on-line como a melhor maneira de combater a violação de direitos autorais on-line, mas alega que a indústria da música não está a promover as muitas alternativas legais.

Segundo o órgão, deve haver um modelo ''de música para que os usuários desfrutem de internet ilimitada e downloads de música legal, com uma taxa adicional mensal pequena''.

''A indústria da música está dando um tiro no próprio pé por não promover os serviços legais de música on-line. Se o compartilhamento de arquivo está causando os danos reivindicados pela indústria fonográfica, porque eles não estão colocando mais esforço para promover as alternativas legais?'', questiona Jill Johnstone, diretor internacional do Consumer Focus.

A Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês) estima que 95% dos downloads feitos em 2009 eram ilegais.

veja também