Indústria de instrumentos musicais investe no segmento evangélico

Indústria de instrumentos musicais investe no segmento evangélico

Atualizado: Sexta-feira, 24 Setembro de 2010 as 4:57

A música gospel rompeu os limites da igreja faz tempo. Diariamente surgem novos cantores e ministérios que apostam nos mais diversos estilos para transmitirem a mensagem de Cristo. Do clássico ao rock a música sempre esteve muito presente nas igrejas e tornou-se item obrigatório nos cultos, fomentando ainda mais a indústria de instrumentos musicais.

Segundo recente pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Música -  entidade que reúne os  principais fabricantes, importadores e distribuidores do segmento -  cada dez consumidores de instrumentos musicais e acessórios, quatro são evangélicos. A entidade estima que 40% da indústria musical seja absorvido pelos evangélicos, transformando o meio cristão no principal representante  e comprador destes produtos.

De olho neste filão de mercado e atentos ao potencial consumidor dos evangélicos, empresas buscam se aproximar deste público e movimentar ainda mais um mercado que faturou no ano passado cerca de R$ 555 milhões de Reais.

Diversas empresas do setor que participam da Expomusic 2010 - 27ª. Feira Internacional da Música, Instrumentos Musicais, Áudio, Iluminação e Acessórios afirmam  que o poder de compra dos evangélicos vem aumentando de forma representativa a cada ano.

Atuando no mercado há 92 anos e conhecida  por sua excelência na fabricação e distribuição de grandes marcas de instrumentos e acessórios musicais,a Izzo é uma das industrias que investem pesado no segmento evangélico.

Segundo a diretora de marketing da empresa, Simone Sturino, grande parte dos lojistas que distribuem seus produtos são evangélicos ou atendem somente esse nicho de mercado. “Estimamos hoje que 60% dos compradores dos produtos da Izzo são evangélicos e a perspectiva de crescimento e aquecimento deste mercado é muito grande” afirma Sturino.

Outra estratégia usada pela Izzo para conquistar o público evangélico é apostar no endorsement de artistas cristãos. Atualmente a empresa patrocina artistas como: David Fantazzini, Adilson Santos, Luis Fernando (baterista do Oficina G3) e o ministério Trazendo a Arca.

Simone explica que o endorse influência bastante na escolha do consumidor evangélico  e acabam se tornando uma imagem da marca e trazendo um retorno espontâneo. “O endorse trás um retorno significativo e rentável para nas vendas” diz ela.

Os evangélicos também proporcionaram grande destaque para os instrumentos sem muita tradição dentro do cenário geral da música brasileira. Quem garante isso é o diretor de Marketing da Habro Music, Nelson.

Para Nelson os produtos da Habro tem muito apelo no segmento gospel já que a grande maioria das denominações  tradicionais evangélicas possuem orquestras em suas igrejas e procuram muito por instrumentos de sopro e sinfônicos.

O fortalecimento e crescimento das igrejas no Brasil potencializou o mercado musical e gerou grande demanda e procura por instrumentos  diferenciados como: violinos, violoncelos,saxofone, entre outros. “O mercado destes instrumentos era muito restrito. Agora a maioria das igrejas os utiliza em seus cultos e isso gera crescimento nas vendas” finaliza Nelson.

Por: Pollyanna Mattos

veja também