Leo Fonseca sobre o CD 'Autor da Vida': "é meu Isaque"

Leo Fonseca sobre o CD 'Autor da Vida': "é meu Isaque"

Atualizado: Quinta-feira, 25 Novembro de 2010 as 2:46

O cantor Leo Fonseca, recém contratado da Canzion Brasil, lançou seu primeiro CD, 'Autor da Vida', no primeiro semestre de 2010.

Leo também é pastor e, apesar desse ser seu primeiro CD solo, ele já traz na bagagem algumas experiências em outros ministérios.

Fruto de testemunhos e experiências próprias, o CD Autor da Vida conta com algumas participações especiais, como a do amigo e pastor Chris Duran.

Em entrevista exclusiva, Leo Fonseca conta detalhes de seu ministério, do CD, e do projeto missionário que está envolvido. Confira:

Guia-me: Como foi o início do seu ministério até o primeiro CD solo?

Leo Fonseca: Eu passei quatro anos como tecladista e músico do 'Ministério Ouvir e Crer'. Alí foi onde eu comecei a crescer musicalmente. Gravei três CDs e um DVD com o Ministério em Goiânia e foi um período em que Deus me levou para outras nações, porque eu tive a oportunidade de viajar com eles para a Europa, fui para Lisboa e também para Zurique, na Suíça, e foram experiências maravilhosas. Depois disso eu tive a oportunidade de conhecer o pastor Chris Duran em uma das ministrações que ele fez em Goiânia e a gente estabeleceu um relacionamento, uma aliança, até que chegou um dia que ele me convidou pra entrar e servir o ministério dele. Eu conversei com os meus pais, que também são pastores na cidade de Morrinhos-GO, eles me apoiaram, me abençoaram e disseram: 'chegou um novo tempo, você foi músico do Ouvir e Crer e Deus está te levando para um novo campo'. Então eu comecei a viajar com o Chris Duran, debaixo da cobertura dos meus pais e isso abriu outra porta para mim (...) eu estive na França com ele em 2009, onde eu pude participar de um projeto que foi o primeiro CD e DVD dele em francês, foi um tempo muito intenso. Voltei a Portugal com ele também em maio do ano passado e com isso eu fui compartilhando meu sonho do CD com ele.

Guia-me: O seu CD tem algumas participações especiais. Como você escolheu esses convidados?

LF: O pastor Chris Duran foi sonhando comigo, ele dizia assim: 'Léo, quando você gravar esse CD eu quero contribuir pelo que você está fazendo para o meu ministério, quero fazer uma participação', aí nasceu esse CD e ele faz uma participação, a Mariana e o Felippe Valadão também. A minha irmã, Nery Fonseca, que nasceu e cresceu comigo, sonhando com esse projeto e o Pr. Deigma Marques, que era ministro do 'Ouvir e Crer' e foi um Homem que Deus colocou na minha vida para poder me ensinar. Fiz questão de envolvê-los no meu projeto porque foi com eles que eu aprendi muita coisa e eles me deram essa honra de entrar no projeto comigo.

Guia-me: As composições das canções do álbum são todas suas?

LF: Das doze faixas, somente uma não é minha, que é a faixa 5 'Como Ele nos Ama', que é uma versão de um cantor norte-americano, John Mark McMillan, e até o Jesus Culture gravou essa música, "How He Loves". O Hillsong também a gravou em inglês e muita gente já fez versão dela. Em português, que eu sei, a Alda Célia fez uma versão e eu também consegui a autorização para gravar, então gravei, porque mexe muito comigo, a letra dela é muito profunda, fala do amor de Deus e o quanto ele nos ama. E, tirando essa, as onze composições são todas minhas e foram geradas ao longo dos anos de experiências com Deus. Cada uma vem dealguma experiência particular que eu tive.

Guia-me: A canção 'Autor da Vida', que dá nome ao CD, é fruto de um testemunho seu. Pode contar como ela foi feita?

LF: Ela é muito especial, porque é fruto de um testemunho meu. Eu nasci com um dos pulmões atrofiados e, para os médicos, aquela situação era impossível de reverter, mas meus pais já eram cristãos, criam na Palavra, sabiam que Deus tinha um propósito na minha, oraram, intercederam e Deus fez um milagre, porque as radiografias mostravam que 50% de um pulmão já estava atrofiado e o outro estava atrofiando (...). O médico até falou: 'Se vocês crêem em milagres, no sobrenatural, foi isso que aconteceu com o seu filho'. Com isso, ano passado, eu estava orando sozinho no salão da igreja e Deus me fez lembrar desse testemunho e me veio um sentimento de alegria e gratidão, aí eu comecei a chorar e agradecer a Deus pela vida e Ele falou claramente ao meu coração que era para eu começar a tocar, tinha um teclado lá e eu comecei a dedilhar e Deus começou literalmente a cantar essa música para mim e a canção diz 'antes que eu viesse a existir, a minha história estava escrita por ti, autor da vida'. Ela foi brotando e eu percebi que era uma música nova, então eu peguei meu celular e gravei. Quando eu vi, a música estava praticamente pronta, mostrei pros meus pais e eles falaram que a música era profética por ser fruto do meu testemunho que ela iria tocar muitas vidas. Quando gravei essa música eu já tinha todo o repertório do CD pronto e Deus fechou o projeto com essa canção. O Chris Duran canta essa música em inglês, que é uma faixa bônus do CD. Fiz questão de gravar em inglês pelo propósito da música e por querer que ela vá além dos campos nacionais.

Há pouco tempo, agora, uma rede de televisão do Maranhão entrou em contato comigo através do site e me mandou o link de um vídeo mostrando que essa canção chegou a uma tribo indígena de lá e que eles a traduziram para o tupi guarani (...). Eu já posso ver os frutos do que Deus está fazendo através dessa música.

Guia-me: Você nasceu em um lar evangélico e cresceu envolvido com a igreja. Houve um momento que você teve certeza do seu chamado?

LF: Sim, sempre tem um momento em que você amadurece e pensa: 'poxa, será que é esse caminho mesmo?'. Uma das coisas que eu aprendi com os meus pais foi o livre arbítrio. Eles sempre ensinaram os princípios da Palavra, mas sempre deixaram a gente livre para poder escolher o caminho, porque a salvação é individual. Não tinha aquela coisa do 'você tem que ser [cristão] porque eu sou'; tem que ser porque é prazeroso e você quer experimentar isso. Muita coisa a gente vai aprendendo na infância e vai assimilando, mas chega um momento em que você entra em uma nova fase de maturidade e que você começa a entender coisas que até então não entendia. Aos 12 anos foi quando eu comecei a ver o que era ministério. Comecei a entender que ministério de louvor é muito mais do que ensaiar e tocar na igreja, que era muito mais profundo, Envolvia o tempo que você teria com Deus, o preço que teria que pagar, envolvia jejum, oração, santidade. Eu começava a lembrar dos princípios que meu pai tinha me ensinado, só que agora com os entendimentos do que eles representavam de fato (...) então, aos doze anos foi quando eu decidi fazer da música um ministério; meu pai me colocou na aula de teclado e em três meses eu já estava tocando canções da igreja, já comecei a ter a percepção de ouvir um cd e conseguir tirar uma música, aí comecei a me envolver com o ministério de louvor local (...), mudei de cidade e comecei a fazer curso de direito e, paralelamente, um conservatório de canto e piano, não abri mão da música, até que cheguei à fase do 'Ouvir e Crer', depois Chris Duran até chegar ao CD 'Autor da Vida'.

Guia-me: Sua amizade com o pastor Chris Duran já tem um tempo, como é esse relacionamento no ministério? Ainda realizam seminários juntos?

LF: Tenho feito muitos seminários com o pr. Chris Duran e viajei dois anos seguidos, servindo ao ministério dele e, agora com o CD, como estou divulgando o trabalho, temos feito muitos seminários de adoração juntos, ele ministra em um dia e eu em outro. Sempre que fazemos seminário juntos, eu toco teclado e faço back-vocal para ele e no outro dia ministro com a minha banda (...). Caminhar com o Chris me fez aprender muito com sua simplicidade e uma das coisas que eu aprendi é que, apesar de tudo que Deus fizer, tenho que sempre guardar o meu coração. Hoje, infelizmente, nós vemos muitos músicos que começam bem, mas perdem o foco, o conteúdo, e eu acho que o propósito é estar no centro da vontade de Deus. A partir do momento que a gente sai do objetivo, caímos no perigo de nos vangloriarmos e não deixarmos que a glória de Deus brilhe em nós.

O Chris me dizia: 'Leo, eu, no auge do sucesso deixei tudo por Jesus, então, não abra mão daquilo que Deus tem te dado'. Ele dizia que nunca teve um ministro junto com ele, e sentia falta disso. Eu acredito que ele nunca teve com nenhum deles a liberdade que ele tem comigo, porque ele me deu uma liberdade e eu dei uma liberdade a ele, de conversarmos e sermos amigos de fato. Somos cúmplice um do outro, temos uma aliança firmada em Deus mesmo.

Depois de três anos sem gravar, o Chris vai lançar o CD novo 'Meu Encontro', pela Graça Music, e ele me pediu autorização para gravar a música 'Autor da Vida' e falei que seria uma honra pra mim, porque quem não conhecer a música pelo meu CD e por minha voz, vai conhecer pelo CD e pela voz dele, e mais uma vez Deus confirmou que essa canção é realmente para tocar as nações. Ele amou o CD e poderia ter escolhido qualquer outra canção, mas escolheu a 'Autor da Vida', e eu me alegrei muito. Ele gravou em inglês e em português com arranjos diferentes, mas a Palavra de Deus está sendo levada e eu tenho certeza de que Deus vai usar muito o Chris através dessa canção.  

Guia-me: Seu CD está envolvido em projeto missionário. Que projeto é esse?

LF: Hoje tem um casal que está lá no Nepal, pastor Vinicius e pastora Patrícia. Faz dois anos que eles estão no Oriente. Deus deu uma visão para eles e eles estão em um propósito muito determinado, porque não é fácil deixar o Brasil e ir para uma nação desconhecida, onde tudo é tão difícil. Então eles foram e Deus colocou no meu coração que, quando meu CD ficasse pronto, era para eu investir na vida deles. Eu tive a oportunidade de viajar com eles pelo sul do Brasil, quando eles ainda estavam aqui e durante essas viagens Deus foi me dando canções que já estão no CD.

Eu falo que esse CD é meu Isaque, é um filho da promessa, e quando o CD nasceu, foi exatamente na época em que eles estavam voltando para visitar a família e conhecer novas igrejas que estavam querendo apoiá-los. Quando eu os encontrei no aeroporto eu contei que o CD tinha chegado e que agora era só investir neles, e contei o nome do CD, pois eles ainda não sabiam. O pastor Vinicius ficou surpreso e falou "Leo, você não vai acreditar. Deus me deu um projeto missionário, uma casa de recuperação para portadores do vírus HIV, lá no oriente e o nome é 'Projeto Autor e Criador da Vida", que é praticamente o mesmo nome do CD. Isso testificou aquilo que Deus tinha colocado no meu coração.

Uma porcentagem de cada cópia do CD - não importa se eu vendi ou doei o CD - é destinada a apoiar essa casa de recuperação, que fica nas montanhas do Nepal. É um lugar de difícil acesso, sem atendimento médico, eles não têm trabalho digno, trabalham nas pedreiras e isso tem prejudicado a saúde deles pelo fato de já terem o vírus e a imunidade baixa. O pastor abriu essa casa na qual acolhe as pessoas, as poupa do trabalho pesado e ensina as mulheres a costurar, bordar, fazer tapete e ensina os homens a fazer outra coisa que não desgaste a saúde, além de dar medicamentos. Isso tudo tem um custo muito alto, por isso o meu CD está investindo nesse projeto.

Guia-me: O cantor e pastor esteve em viagem missionária no mês de outubro, passou pela Índia e por Nepal e teve a oportunidade de conhecer de perto o projeto:

LF: Não existe maior privilégio que poder cumprir a vontade do Senhor. Nosso propósito de vida deve ser estar no centro do querer de nosso Pai Eterno e sem reserva nos entregarmos a Ele. E foi exatamente com esse propósito que neste último mês saí de nossa pátria amada e alcei vôos pelo Oriente Médio. Desde que recebi o convite para esta viagem, verdadeiramente missionária, imaginava que veria coisas impactantes, mas não imaginava nas proporções do que vi e vivi.

Todos os dias foram surpreendentes para mim, pois conhecer a realidade de uma outra nação nos faz refletir o quanto temos que agradecer a Deus, primeiro por conhecê-lo e termos a verdade dentro de nós, segundo por termos conforto, saúde e liberdade em nosso país para expressar o nosso amor ao Criador. Muitas vezes murmuramos com pequenas coisas, mas existe um povo que chora e não tem nenhum recurso para sobreviver. Existem nações que precisam conhecer o Deus Todo Poderoso.

Por Juliana Simioni

veja também