Louvor: Revelação e Reação

Louvor: Revelação e Reação

Atualizado: Segunda-feira, 9 Maio de 2011 as 2:28

“Tenho pensado no louvor em termos de janelas de revelação e reação. Que tipo de revelação a música que usamos produz nas pessoas quando cantam? Elas compõem um grande painel sobre Deus? As nossas reuniões de louvor demonstram suficientemente a graça e a glória de Deus, de maneira a despertar os corações adormecidos e desanimados? Estamos agindo de uma maneira que corresponda à revelação recebida? O louvor é sempre uma resposta à revelação.

Examinando estes dois aspectos da adoração, vejo que tenho dado mais atenção a um do que ao outro. Freqüentemente,na ministração do louvor, estou mais consciente do elemento da reação do que da revelação. Então, me pergunto, se não acontece o mesmo com outros líderes de louvor.

Em alguns cultos, fica óbvio que o líder de louvor está concentrado,acima de tudo, em obter uma reação da congregação.

A ênfase, infelizmente, não está na integridade e na essência da adoração. As pessoas recebem uma enxurrada de incentivos enfáticos para gritar, bater palmas, dançar ou qualquer outra coisa que se possa imaginar. Em vez de buscar um transbordar verdadeiro e significativo do coração, os líderes fazem uma espécie de competição de discoteca, onde ganha o participante mais exagerado.

Sim, é muito fácil apontar para o outro, mas será que sou diferente quando lidero o louvor? O que se passa na minha cabeça quando estou liderando?

Você já liderou reuniões nas quais sua mente usou o “palmômetro” no final de cada música, para checar se estava na direção certa? Afinal de contas, se as pessoas aplaudem no final das músicas mais animadas, significa que o culto está indo bem, não é? Será que às vezes me percebo sondando o horizonte da congregação à procura de algum sinal de vida? Alguns braços erguidos, talvez – isso pode significar que o louvor está funcionando! Em um momento de maior reverência, dou uma espiada para ver a reação das pessoas, para ver se há alguém de joelhos ou chorando?

Estou exagerando para chegar ao ponto. Mas espero que a idéia tenha ficado clara: muitas vezes sou levado a buscar uma reação das pessoas. Queremos ver resultados, não é?

Dançar, levantar as mãos, bater palmas e ajoelhar são coisas potencialmente boas. Mas, ao invés de ficarmos desesperados para ver essas coisas acontecerem (ou, o que é ainda pior, tentar fazer com que aconteçam), devemos estar mais interessados no que está atrás dessas reações (ou da falta delas). A diferença é sutil, mas muito importante para a atitude mental correta de qualquer líder de louvor.

E isso nos leva direto à revelação. Antes de nos consumirmos sobre como as pessoas estão reagindo, é bom estarmos conscientes do que está motivando a reação delas. Como líder de louvor, ou como compositor, precisamos estar mais atentos à santidade de Deus em nossas composições musicais e na nossa maneira de liderar. Quais os aspectos das maravilhas e da glória do Senhor que estamos apresentando às pessoas, para que elas coloquem seus corações em Deus? O que estamos fazendo contribui para que os corações, mentes e almas lembrem-se das obras de misericórdia que Deus tem realizado em favor deles e da maravilhosa graça que lhes foi ofertada?

A responsabilidade não é apenas nossa, é verdade. Todos os envolvidos no culto têm que fazer a sua parte. Mas, precisamos levar nosso papel mais a sério. Ao invés de tentar conduzir as pessoas (ainda que sutilmente) para uma certa reação, podemos mudar a abordagem. Vamos procurar escolher músicas que sejam tão carregadas de nosso glorioso Jesus, que acendam um fogo novo, produzindo uma reação que venha diretamente do coração das pessoas quando cantarem.

William Temple escreveu:

"Louvar é despertar a consciência quanto à santidade de Deus, Alimentar a mente com a verdade de Deus, Purificar a imaginação com a beleza de Deus, Abrir o coração ao amor de Deus e Devotar a vontade ao propósito de Deus".

Observe o quanto essa definição de louvor de W. Temple está centralizada na revelação. Aqui temos um homem que sabia que, se levamos as pessoas a se ligarem na santidade, verdade e beleza de Deus, o resultado é a devoção de sua vontade ao propósito de Deus. Precisamos derramar nossas vidas completamente no louvor.

Afinal, esta é a reação categórica de qualquer um que tenha verdadeiramente reconhecido a revelação avassaladora de Deus.”

Por Matt Redman

veja também