Marcos Góes comemora 25 anos de ministério

Marcos Góes comemora 25 anos de ministério

Atualizado: Quarta-feira, 6 Abril de 2011 as 8:39

Este foi um ano especial para cantor Marcos Góes. Além de comemora 25 anos de ministério, ele festeja 25 tambem de casamento. Ao lado de sua esposa, Valéria, o pastor criou nos caminhos do Senhor seus três filhos: Gabriela, 24, Rebeca, 22, e Leonardo, 12 (adotivo). Hoje com 48 anos, Góes mora em Teresópolis. Em entrevista a GeraçãoJC, ele fala sobre os desafios que promovem o  sucesso profissional e pessoal.

Falando sobre sua longa jornada de ministério, ele revela os quatro segredos que todo adorador deve guardar. Segundo ele, no início, “tudo é lindo”, quando o compositor escreve uma canção que estoura nas rádios do país inteiro, trazendo popularidade e fama. “O cara começa no serviço, na humildade, no louvor a Deus. No entanto, quando começa a ver que se catapultou de uma realidade mínima de público e de mídia para uma enorme, passa a despertar um carinho muito grande e assédio das pessoas. É neste momento que ele tem o sentimento de ‘poder’ e começa a viver a ‘síndrome de lúcifer’, se orgulhando daquilo que se tornou, achando que detém a glória” explica. Ele conta que um de seus maiores desafios foi passar por esta situação se mantendo sóbrio, sem se embebedar pelo sucesso.

A segunda questão é ser justo com todos apesar de sofrer injustiças. Góes alerta que as pessoas costumam criticar os cantores cristãos, mas existem pastores que usam a presença desses homens e mulheres de Deus para encher suas igrejas e explorar suas imagens para alavancar suas ofertas. Quando o cantor fala em ser justo, quer dizer não explorar a igreja como uma forma de enriquecer. Ele defende que a Casa de Deus deve abençoar os ministérios segundo as suas posses. Góes é radicalmente contra os cantores que usam as igrejas para conseguir lucro.

A terceira questão é viver da fé. Marcos Góes explica que já passou por momentos de dificuldade financeira, mas chorou aos pés do Senhor, e Ele providenciou a vitória.

Existe também a avareza no ministério. “Muitos são aqueles que acham que o ministério é seu. O que não é verdade. O ministério é de Deus e Ele derrama e retira a Sua unção segundo o Seu julgamento. De uma hora para outra, Ele pode tirar a unção”. A esse fator ele credita o sucesso e o insucesso de alguns cantores.

Vida dedicada a Deus Sua relação com o louvor começou ainda no tempo do grupo de louvor chamado JV (Jesus Vive), na década de 80, aos 14 anos, quando os filhos do pastor Amaury Jardim, líder na igreja em Bento Ribeiro (RJ), onde Góes se converteu, não estavam mais interessados em participar desse ministério. Neste momento, pastor Amaury perguntou ao então aluno de violão se ele gostaria de ministrar o louvor na igreja. Ele não pensou duas vezes e aceitou o convite prontamente.

Nesses anos de caminhada, Góes compôs sucessos como “Bem Querer I e II”, “Autoridade e Poder”, “Senhor Formoso És” e muitos outro. Seu ministério lhe proporcionou a oportunidade de conhecer todo o Brasil, Portugal, Londres e anualmente Góes tem viajado aos EUA e ministrado em igrejas para brasileiros e americanos. Ele conta que em uma de suas viagens para a América ministrava em uma igreja que marcou muito a sua vida. Após a ministração da canção “Bem Querer”, uma senhora bem idosa o abraçou e disse em inglês: “você tocou o meu coração. Você conseguiu alcançar o meu coração através da música”.

Nesses 25 anos, Marcos explicou que algumas vezes pensou em desistir. Ele já atuou como profissional na área de desenho industrial durante alguns anos, ao lado de seu tio, projetando sistemas de refrigeração para navios e plataformas petroleiros, e tinha um salário muito bom. Nesse tempo, Deus tocou seu coração para que largasse tudo para viver apenas do ministério. E o primeiro desafio foi o álbum “Autoridade e Poder” na década de 90. Desde então ele passou a viver da venda dos seus álbuns e da oferta destinada ao ministério nas programações a que passou a ser convidado. Ele conta também que já viveu dias em que sua família procurava algo para comer na dispensa e não encontrava. “Foi difícil, muito difícil. Já aconteceu de no mês não ter programações e minha família passar dificuldades, de nós olharmos a dispensa e buscarmos mais a Deus em oração porque ela estava vazia. Mas o Senhor supriu”.

De lá pra cá, Marcos Góes passou pelas principais gravadoras evangélicas do país e gravou inúmeros sucessos. Agora se prepara para novos desafios. Recentemente foi convidado pela Patimos Music para participar de um projeto que poderá fazer parte das comemorações dos 100 anos da Assembleia de Deus no Brasil. O intérprete e a gravadora estão em fase final de negociação.

Um dos projetos que o pastor tem para o futuro é o “Góes e Violão”, a gravação de um CD e DVD acústicos em um palco simples, num teatro, reunindo antigos e novos sucessos. O cantor não sabe ainda se este será um projeto independente ou se gravará pela Patmus Music.

Outro projeto que arde no coração do cantor e compositor é a transformação dos seus grandes sucessos em um ritmo mais acelerado, um projeto para levar o Reino ao público jovem que tem se alimentado de muita coisa que em nada se assemelha ao texto da Palavra.

   Por Mauro Sérgio/ Redação CPADNews

veja também