Marcos Goes revela detalhes do CD disponível para download gratuito

Marcos Goes revela detalhes do CD disponível para download gratuito

Atualizado: Segunda-feira, 26 Setembro de 2011 as 2:52

Sem gravar músicas inéditas desde  A Vigília 7 - Vento e Fogo , de 2007, Marcos Goes volta a mostrar novas canções no CD  Góes & Violão , que está disponível para download gratuito no site do cantor .   De clima acústico, o álbum traz quatro novidades:  Criança aos meus olhos  e  Eu creio em Ti , versões de  Always be a child  (Ray Boltz) e  I believe in You (banda Stryper), ambas assinadas por Marcos Goes;  Me Consola  (Domício Jr.) e  Sejam os meus lábios  (Damáris Trindade). Nesta última, o cantor faz dueto com sua esposa, Valéria Goes.

Às músicas inéditas juntam-se releituras de grandes sucessos da música gospel, como  Escrevi (gravada pelo Novo Som),  Aos pés da cruz  (Kleber Lucas),  Promessa  (Renascer Praise),  Lágrima no Olhar  (Marquinhos Gomes),  Por Amor  (Kim) e  Casinha  (Janires). O repertório ainda traz a versão de Marcos Goes para  El Shaddai , de Amy Grant.

Apesar do título, o novo trabalho de Marcos Goes não se resume ao violão. Algumas músicas contam com as guitarras de Marcio Souza, os teclados e efeitos de Jefferson Oliva e a programação eletrônica de Mario Silveira. Thiago Paulo David (baixo e moringa) completa a banda que acompanha Marcos Goes. “A ideia foi criar um som ao mesmo tempo moderno e não muito lento. A presença de loops, sequências e outros ‘acessórios’ mostra que podemos usar a tecnologia na música sem perder a essência de algo intimista”, explica o cantor.

clique para ampliar Mas o protagonista do CD é mesmo o violão. Tanto que Marcos Goes dedicou ao instrumento a primeira do disco,  Afinando , na qual aparece fazendo exatamente o que sugere o título. “Quis mostrar que, naquele momento, eu estava tocando algo especial para a pessoa que vai começar a ouvir as canções. Durante todo o CD, percebe-se sinceridade e autenticidade, e era isso que eu queria transmitir ao cantar”, afirma.

Confira abaixo uma entrevista com Marcos Goes, na qual ele fala mais sobre o CD  Góes & Violão . Com a sinceridade que lhe habitual, o cantor também comenta o atual cenário do mercado gospel e adianta seus próximos projetos, entre outros assuntos.

Como surgiu a ideia do CD?

Surgiu há uns quatro anos, quando, a pedidos, pensei em algo que fosse acima de um trabalho acústico, algo extremamente intimista. Veio então a ideia do  Góes & Violão , com a concepção de ser feito nestes moldes: canções de adoração e louvor para orar e meditar, sem ser lento, mas bem introspectivo.

Este novo CD mistura músicas inéditas, compostas por você, e releituras de sucessos da música gospel, escritas por outros autores. Em meio a tantas formas diferentes de compor, você enxerga uma unidade, um propósito único, nas 14 faixas do CD?

O propósito sempre é edificar. Durante todos estes anos, tive a constante certeza em meu coração de que meu ministério na música evangélica não é o de entreter, mas levantar e trazer forças ao que está desanimado e prostrado. Por isso, dificilmente as pessoas me veem fazendo “shows” em palcos nas praças. É claro que esses momentos existem, mas minha vida ministerial tem sido dentro das igrejas, edificando o povo de Deus. Esse é o intuito das músicas deste CD, tanto as minhas quanto as de outros autores.

Como foi o processo de composição das músicas inéditas do CD?

Meu ministério na música evangélica não é o de entreter, mas levantar e trazer forças ao que está desanimado e prostrado Hoje em dia e sempre, graças a Deus, nunca me preocupei em fazer canções que sigam uma tendência ou um modismo de época. Sempre compus e cantei as canções que gostaria de falar para o Senhor. Elas contam histórias reais de minhas experiências e de minha família com Deus. São verdadeiros relatos de vitórias e clamores que entoamos ao Senhor nos momentos que já vivemos ou ainda iremos viver. Ser verdadeiro naquilo que dizemos ou cantamos a Deus é imprescindível.

Em um artigo publicado no site da CPAD , o Pr. Antonio Gilberto inclui a música nas corrupções da doutrina bíblica e afirma, entre outras coisas, que “a oração e o ministério da Palavra foram praticamente substituídos hoje pelo cântico nas igrejas”. Qual a sua avaliação disso, sob a ótima musical e pastoral?

Concordo com o pastor, mas não diria somente a música. É o “culto show” que ofusca o foco real e verdadeiro, que é o nosso Deus. Hoje, o mais importante é a atração que vai cantar, dançar e até pregar. Sem generalizar, o motivo principal que impulsiona o povo a ir à igreja é quem vai estar lá, e não o culto que se vai prestar ao Senhor. A grande verdade que baseia esta ideia é a de que não se cantam mais canções antigas – apesar de que, para mim, na música evangélica, não existe “flashback”. O que ficou para trás é obsoleto, o “novo de Deus" é que vale. Acho isso um tanto quanto inadmissível.

Você diria que a sua opinião sobre a música gospel atual se refletiu na escolha das releituras do CD – canções “clássicas” compostas basicamente nos anos 80 e 90?

Nunca me preocupei em

fazer canções que sigam uma tendência ou um modismo de época Na minha opinião, na vida cristã não existe o “velho”, o “clássico”. Ao definirmos assim, rotulamos algo que, apesar de antigo, pode e é constantemente usado pelo Espírito Santo para alcançar os corações das pessoas, mesmo hoje em dia, de uma maneira nova e eficaz. Ao cantar as canções “antigas” do meu repertório nas igrejas, o que tem acontecido é que, além de os jovens e adolescentes perceberem algo profundo, verdadeiro e bíblico, muitas pessoas desviadas têm voltado para o caminho de Deus, porque se lembram de quando se converteram e reconhecem o quanto estão distantes. Por isso tive a ideia de colocar também “releituras” dos anos 80 e 90, pois elas podem alcançar estas pessoas.

Você incluiu, num mesmo CD, músicas de Janires, Kim e Stryper, nomes que, cada um em seu tempo e com sua devida proporção, marcaram época. Eles trouxeram novos ares, novas ideias e um certo ar de ousadia e inovação à música gospel, sendo, muitas vezes, até incompreendidos por causa disso. O que você acha da carreira deles? Você vê alguma relação com o seu ministério ou com sua forma de pensar e agir?

Inovar sem adulterar a essência é digno, bom e Deus se agrada. Na época em que estes grupos e cantores estavam surgindo, trazendo suas canções, a música gospel passava por um momento de reestruturação e maior liberdade. Eram os hinários que predominavam, e então foi aí que a música mais espontânea e pessoal começou a aparecer. Realmente, novos ares e uma certa ousadia começaram a imperar, mas tudo dentro do conceito bíblico, sem nenhuma intenção de desrespeitar as doutrinas e os dogmas já vivenciados dentro das igrejas. Eu também surgi na década de 80 e senti muito do que eles viveram: incompreensão, discriminação... No final de tudo, hoje, os pastores nos respeitam e sabem que o que cantamos é o reflexo do que vivemos, e vivemos a palavra de Deus.

É muito comum, no meio gospel, a participação de familiares nos CDs. Por que você decidiu convidar sua esposa para um dueto na música  Sejam os meus lábios ?

Na minha opinião, na vida cristã não existe o “velho”, o “clássico” Minha esposa é minha metade. Sem ela, creio que não seria o homem, o servo de Deus, o marido e pai que sou. Minha família é tudo, não existe ministério sem família. Embrenhar-se na obra de Deus tendo uma família em frangalhos é viver sem autoridade para cantar e pregar a Verdade. Fiz isso para homenageá-la e mostrar a todos o quanto ela é importante para a minha vida. Não há nada de comercial nisso, só amor.

Assim como no CD Remix, você disponibilizou este disco gratuitamente para usuários cadastrados em seu site. Essa atitude tem relação com a pirataria? E como ficam as despesas com a produção?

O principal alvo é a pirataria. Se você não vende o CD, ele não pode ser pirateado. O mesmo vale para os sites que disponibilizam as músicas de graça. Faço isso pois tenho tido pessoas abençoadas que, através de parcerias, têm me ajudado nas gravações de meus trabalhos, tornando a gravação praticamente gratuita.

Como você avalia o atual momento do mercado fonográfico?

Inovar sem adulterar a essência é digno, bom e Deus se agrada Creio que as gravadoras em geral, tanto as evangélicas quanto as seculares, têm os seus dias contados. Recentemente, selos como Abril Music, Warner e outros fecharam as suas contratações e produções por conta da pirataria. Entendo que isso também acontecerá com as gravadoras evangélicas. Por isso, o que está valendo, a meu ver, é disponibilizar as músicas na internet, a fim de que aqueles que admiram seu trabalho e acompanham seu ministério possam ter as canções em primeira mão, como um presente e privilégio, valorizando o carinho e amor que lhe demonstram.

Este CD chegou a ser negociado com a Patmus Music, mas foi lançado de forma independente, como a maior parte de sua discografia. Apesar de sua opinião sobre as gravadoras, você ainda pensa em voltar a uma delas?

Penso que não. Já tive experiência de sobra. Participei de todas as principais gravadoras evangélicas do país. Lá fiz amigos e saí de todas com alegria e decência, nada devendo e deixando uma forte marca de seriedade, confiabilidade e honestidade. As gravadoras têm em seu pensamento corporativo a venda e o lucro, mas o meu alvo é o ministério. Faço música para abençoar, edificar e salvar através da palavra de Deus, não para formar ou passar uma performance, um estilo musical ou adquirir um troféu por uma grande vendagem nacional. Mas é como se diz: nunca diga nunca! Se surgir uma gravadora que tenha em sua proposta algo que se concilie à realidade do meu ministério...

Há algum tempo as pessoas lhe cobram um DVD. Quando virá?

Embrenhar-se na obra de Deus tendo uma família em frangalhos é viver sem autoridade para cantar e pregar a Verdade Tenho me empenhado em colocar no meu canal no YouTube, MARCOSGOESOFICIAL , os antigos vídeos – que são muitos – que trazem a minha história, para que as pessoas possam relembrar e cantar junto. Tem sido uma bênção! Recebo sempre, nas redes sociais, agradecimentos e felicitações pelas músicas. As pessoas se lembram daqueles momentos, se emocionam e pedem oração, pois algumas estão desviadas. Fico muito feliz. Estamos também reformulando o layout de nosso site, para algo melhor e mais moderno, onde colocaremos uma TV on-line passando, 24 horas por dia, clipes e mensagens feitas por mim e minha família. Tenho me ocupado com isso, pois entendo que no momento é mais importante que um DVD.

Quais são seus próximos projetos?

Neste mês de outubro, lançaremos uma cantata infantil de Natal, toda em uníssono, chamada  Feliz Aniversário Jesus . Ela é muito linda e bem animada, e eu faço uma participação especial na música Pelo espírito . Os cadastrados no site poderão baixar de graça e também comprar pela nossa loja o CD cantado e o playback. Creio que vai ser um “presentão” de Natal para as crianças e seus pais!  

veja também