'Nunca Será' - Maurício Soares fala sobre a falta de senso crítica na carreira musical

Maurício Soares fala sobre a falta de senso crítico musical

Atualizado: Segunda-feira, 26 Março de 2012 as 3:02

O filme Tropa de Elite além de ser um arrasa-quarteirão nas bilheterias no Brasil e no exterior, também criou uma série de bordões que acabaram caindo nas graças do público e foram repetidos exaustivamente. Talvez o mais marcante seja o famoso: Pede pra sair! Mas além desse tivemos o “fanfarrão”, “faca na caveira” e não menos marcante: Nunca será!

E é justamente em cima deste bordão, o “Nunca Será!”, que falarei sobre as próximas linhas neste post.  Neste momento são 19h20, quarta-feira, dia 21 de março e  acabo de receber mais um CD em minha sala. O CD veio por Sedex (não me perguntem o porquê de tanta pressa!) sem qualquer aviso ou solicitação de minha parte. Abro o envelope e eis que salta como um daqueles bonecos de mola para assustar os incautos, o CD de um cantor que nunca ouvi falar. Com seu jeito pimpão, o cantor está de braços abertos na capa do CD. Acima da foto principal, mais três pequenas fotos como se ajudassem a compor um quadro daquelas fotos da década de 40 com as carinhas das crianças com o telefone na mão, fazendo biquinho e coisas do tipo.

Ainda na capa do CD, o nome do dito cujo, o título do CD e mais abaixo, inovação máxima! o telefone de contato do artista e a informação da faixa bônus do CD, o hit “Os loucos por Jesus”. Na contra capa, uma série de anúncios como de macacão de piloto de fórmula 1 e o playlist das músicas numa diagramação perfeitamente confusa.

Sinceramente não acredito muito em coincidências, mas achei interessante receber essa pérola artística musical justamente no momento em que começava a escrever este texto falando justamente do “Nunca Será!”.

Mais cedo, no reino da tuitolândia uma cantora muito educada me pediu para analisar o clipe que havia postado em minha timeline. Mesmo com toda educação, a cantora fez questão de frisar que eu poderia assistir e se tivesse alguma crítica construtiva, que me manifestasse. Por mais surpreendente que seja, afinal raríssimas são as vezes que confiro esses vídeos durante meu horário de trabalho, acabei cedendo à tradição e cliquei para conferir o clipe.

Foram angustiantes 1 minuto e meio, mais ou menos, onde a cantora ”bateu na trave” no mínimo por 3 vezes. A subida para alcançar a nota parecia um trem fantasma subindo para logo depois despencar em queda livre. Imagine a cena! Pois bem, com essa apresentação não me senti nem à vontade para comentar nada! Seja construtiva ou destrutivamente! Calei-me por completo! Nunca Será!

Nesta semana o clipe “Para Nossa Alegria” bombou na web e chegou a ficar em primeiro lugar na noite de 20 de março no TrendTopics no Brasil e em oitavo em todo o mundo! Fantástico! Então com tantas “ruincidências” animei-me a escrever e a categoricamente afirmar: Muitos que hoje estão gravando seus trabalhos, investindo seu dinheirinho suado, dedicando suas horas de lazer e apresentando-se pelos eventos e igrejas do Brasil, JAMAIS, NUNCA, EM TEMPO ALGUM, serão artistas de verdade! Nunca Será!

Recebo semanalmente dezenas de CDs. Em épocas como na Expo Cristã, são centenas! Deste montante, cerca de 20% são produtos honestos e não mais do que 5% são produtos com alguma possibilidade de aproveitamento. O que não quer dizer que estes 5% são sucesso! Não mesmo! Em um ano inteiro, não mais do que 2 ou 3 trabalhos realmente chamam a atenção, ou seja, temos muita coisa RUIM em nosso meio! Nunca Será!

E porque temos tanta gente despreparada querendo um espaço numa gravadora? Porque simplesmente não têm senso crítico! Outro dia estive num evento no norte do país. Um rapaz com violão à mão me presenteou com um CD de dupla sertaneja, mas vi que ele estava sozinho e perguntei perguntando: “mas cadê o outro?” E de imediato o rapaz me respondeu que o parceiro não era boa pessoa, que ele o abandonou no meio do caminho e que agora ele seguiria em carreira solo. Imaginem o que se fala e como se reage após uma resposta desta! “Ah, legal, melhor assim né?” Mas para quem pensava que a história acabava ali, o rapaz fez porque fez e conseguiu tocar no fim do evento, no momento em que todos estão de pé conversando. O cara cantou num misto de Zezé di Camargo com faringite com Luan Santana depois da operação de amigdalas. Uma graça! Nunca Será!

Seguindo minhas experiências traumáticas, participei de um festival de novos talentos recentemente, uma maratona que me tomou o dia inteiro. Foram 29 apresentações e ao fim, nada, absolutamente nada de novo e só um ou outro cantor que mereceu um pouco de atenção. Mas me impressionou como os candidatos vinham falar comigo. Eles realmente acreditavam que tinham uma carreira artística e que faltava muito pouco para tornarem-se um sucesso nacional! Triste ilusão! Nunca Será!

E o mais triste dessa minha profissão é que cabe muita das vezes a esse que vos escreve a função inglória de afirmar: Nunca Será! Lembro-me que há alguns anos atrás, quando ainda era diretor na Line Records fui apresentado a uma jovem senhora no saguão do hotel onde minha equipe estava hospedada durante a Expo Cristã. O hotel nem era tão próximo, na verdade, em termos de São Paulo, era até relativamente distante. Então me criou uma certa desconfiança o porque da coincidência daquela senhora estar no mesmo hotel nosso. Com o tempo fui descobrir que ela havia descoberto com alguém de minha equipe qual hotel ficaríamos hospedados para que ela pudesse me abordar com maior facilidade. A sorte dela é que não nos hospedamos no Transamérica, Maksoud, Renaissance, Hyatt!

Pois bem, essa senhora me presenteou com um CD e disse-me que havia recebido propostas de gravadoras pequenas, mas que ela só queria uma gravadora grande como a Line Records – naquela época a Line Records era uma das duas principais gravadoras do mercado – que outra menor não a interessava! Ouvi com educação e disse que o Ronaldo Fenômeno havia começado no São Cristóvão, time da segunda divisão do Rio de Janeiro. Que ele havia sido preterido no Flamengo e que só tempos depois é que começou uma carreira de sucesso no Cruzeiro de Minas Gerais. Ela ouviu minha explicação com uma cara ‘simpática’, digna do Anderson Silva no octógono do UFC.

Nos 3 anos seguintes essa senhora apareceu insistentemente nos eventos, encontrando-me nas minhas visitas à sua cidade e em todo tipo de oportunidade. Parecia uma alma me perseguindo, sempre com aquele CD em mãos e o mesmo discurso. Em um determinado dia resolvi exorcizar aquele encosto e disse que nem todo mundo que gostava de cantar poderia seguir uma carreira artística e blá blá blá! Nunca Será!

O duro é que muitas das vezes essa obrigação de trazer a pessoa à realidade nua e crua é transferida para os profissionais de gravadoras, às vezes de rádio ou mesmo promotores de eventos. Já tive o desprazer de ver pessoas chorando, dizendo que tinham uma promessa, que tinham uma palavra, um sonho e que eu não poderia frustrar aquele ideal. Que responsabilidade!

O principal objetivo deste post é esclarecer um ponto que vem trazendo enormes distorções em nosso meio. Gostar de cantar, apresentar-se durante os cultos de sua igreja local, ter uma boa voz, ser afinado, ter bastante dinheiro no bolso, ser filho do Bispo, gostar do André Valadão, identificar-se com a Cassiane, sonhar em apresentar-se no Raul Gil ou até mesmo conseguir gravar um CD com o melhor produtor do mercado, ter seu projeto gráfico criado pela Imaginar Design, ter um clipe com a marca Bruno Fioravanti, nada disso, definitivamente significa que você tem condições de ser um artista de verdade! Nunca Será!

O artista é nato! É  intuitivo! É alguém que naturalmente se destaca em meio à multidão. Um artista de verdade não mede esforços para alcançar seus objetivos. É alguém que consegue compreender o que o cerca de uma forma diferente. É alguém que apresenta uma proposta diferente. É alguém que ama o que faz. É alguém que lê um texto como este e se enche de força para romper com o ostracismo! Então, se tiver talento, foco e força de vontade: Sim SERÁ!

Pra matar a curiosidade de vocês, escrevi esse texto ouvindo atentamente o CD com o número de telefone na capa, o que posso afirmar categoricamente após ouvir cada faixa é que Nunca Será!

 

Por Mauricio Soares - publicitário, jornalista, amante da boa música, paciente, longânimo, solícito, alguém que sempre está pronto a atender e a ajudar as pessoas, mesmo que essa ajuda seja simplesmente dizer, assim na ‘lata’ o indefectível bordão: Nunca Será!

veja também