Flavinho Souza: O caminho da salvação é estreito, mas é a única saída

“O caminho da salvação é estreito, mas é a única saída”, afirma Flavinho Souza

Atualizado: Segunda-feira, 10 Junho de 2013 as 11:27

Suas canções falam do único caminho para a salvação e da necessidade de uma caminhada diária com Jesus. Guitarrista, cantor e compositor, Flavinho Souza tem conquistado o gosto dos jovens cearenses com o seu estilo nem sempre convencional de fazer música.
 
Em entrevista exclusiva ao Portal Guiame, o músico falou sobre a repercussão do seu álbum mais recente – “Caminho Estreito” – e o lançamento de novos projetos para a sua carreira, como a banda Sétimo Andar.
 
Confira a entrevista na íntegra:
 
Guiame: O nome do seu primeiro trabalho solo gravado é “Caminho Estreito”. Como foi o processo de composição da música-tema deste CD? O que te levou a escolher essa música como o “carro-chefe” para nomear o álbum?
 
Flavinho Souza: Na verdade esta música é uma composição minha bem antiga,  foi composta no ano de 2001 em meio à toda aquela loucura do 11 de Setembro, onde o mundo foi impactado com caos do terrorismo que matou muita gente inocente por conta da disputa de poderes e interesses nos quais estas vítimas não tinham nada a ver. Isso me levou a compor sobre o caos do mundo na intenção de que as pessoas enxergassem a Deus e se entregassem a ele, pois o caminho da salvação é estreito mas é a única saída. Nomeei  o álbum com este título, pois acho que essa música é impactante e expressa o que eu quero passar para os ouvintes da minha música.   
 
Guiame: Como tem sido a aceitação deste trabalho pelo público?
 
Flavinho Souza: Tem sido surpreendente, pois este álbum tem pouco mais de um ano e já fizemos muitos shows. Temos uma agenda com eventos marcados praticamente pra o restante do ano de 2013 inteiro.
 
Guiame: Você está lançando um novo projeto: uma banda chamada Sétimo Andar. O nome é no mínimo curioso. De quem foi a ideia deste nome? Por que?
 
Flavinho Souza : "SÉTIMO ANDAR" é uma banda que se propõe não somente a tocar, mas tb a acrescentar valores de vida e musicalidade para dentro e fora das igrejas através de workshops de teoria, harmonia, improvização, composição e ministração da palavra de Deus. Este nome foi idéia minha e do meu baixista Fabrício Alves. Sétimo Andar refere-se ao andar de cima, que é o céu, sendo o sétimo por ser perfeito, tambem refere-se à nossa luta por um andar (caminhar) perfeito como andou Jesus Cristo no nosso meio.
 
Guiame: Uma das músicas deste novo trabalho é a “Compasso”, que fala sobre o desejo de sair do convencional na música. Este desejo se estende também aos trabalhos de vocês, às vidas de vocês?
 
Flavinho Souza: Na realidade nesta canção eu falo do meu desejo de sair do convencional  não na música, mas na minha vida. Deixar de viver do meu jeito pra viver conforme a vontade de Deus que é perfeita. A música expressa bem isso até mesmo no seu instrumental,por ser realmente bem fora do convencional, com compassos compostos que variam no decorrer da canção.
 
Guiame: O que você pode citar como pontos positivos de cada um destes seus dois projetos (solo – “Caminho Estreito” e Sétimo Andar)?
 
Flavinho Souza:  Eu acredito que os dois projetos tenham um grande ponto positivo em comum, que é o fato dos dois falarem do amor de Deus e do plano de Salvação por meio de Jesus Cristo.
 
Guiame: Para finalizar, você tem alcançado êxito ultimamente com os seus projetos no setor independente. Mas acredita-se que nem sempre foi assim. Que dicas você poderia dar com destaque para aqueles que querem começar a gravar CD’s ou que já estão batalhando um espaço há algum tempo?
 
Flavinho Souza: A dica que eu dou é a frase de um cara que conquistou aquilo o que almejou (Bill Gates): “Tente uma,duas,três vezes e se possível tente a quarta, a quinta e quantas vezes for necessário. Só não desista nas primeiras tentativas, pois a persistência é amiga da conquista. Se você quer chegar aonde a maioria não chega, faça aquilo que a maioria não faz.”
 
Por João Neto
 

veja também