Oficina G3: "O D.D.G. está sendo um sucesso. Só temos que agradecer a Deus por tudo isso"

Oficina G3: "O D.D.G. está sendo um sucesso. Só temos que agradecer a Deus por tudo isso"

Atualizado: Quarta-feira, 18 Novembro de 2009 as 12

Por João Neto - www.guiame.com.br

''A gente achou incrível quando nos chamaram. Foi de Deus''. Com estas palavras o vocalista do Oficina G3, Mauro Henrique expressou sua alegria ao falar da recente contemplação do disco ''Depois da Guerra'' no Grammy Latino 2009.

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, o vocalista que veio de Brasília e entrou para a banda já no final do processo de gravação do CD falou com bom humor e espontaneidade não somente a respeito da satisfação de receber o tão concorrido prêmio, mas também sobre a emoção de ver milhares de jovens cantando as músicas - novas ou antigas - do grupo durante as apresentações do Oficina, expectativas para a chegada do DVD e cuidados necessários para que a sua voz se mantenha saudável para os shows.

Confira abaixo, a entrevista na íntegra.

Guia-me: Percebe-se que nos shows de vocês, as pessoas realmente cantam as suas músicas, ainda que elas sejam de um álbum recente. Como vocês se sentem ao perceberem que tanta gente, em diversos lugares do Brasil já está acompanhando o trabalho de vocês assim?

Mauro Henrique: Cara... fico sem palavras. Acho que quando você está trabalhando, fazendo as músicas, orando, recebendo de Deus, você quer ver o resultado disso e, esse é um resultado do trabalho do Oficina: a galera está cantando as músicas, o D.D.G está sendo um sucesso entre e a galera e a gente está muito feliz. Só temos que agradecer a Deus por tudo isso.

Guia-me: O ''Depois da Guerra'' está vindo em uma época de vitórias do Oficina G3, como elogios feitos a vocês fora do meio gospel - como no caso da comunidade do Metallica e em um artigo escrito pelo guitarrista do Sepultura, Andreas Kisser. Uma das recentes notícias sobre este novo trabalho foi a contemplação com o Grammy Latino. Como vocês avaliam mais este fato? Esperavam por isso ou não?

Mauro: Nesta questão de esperar, eu até que estava meio medroso, aliás, bastante medroso... eu acho que todo mundo estava meio medroso... tanto é que quando ela falou o nosso nome, cara, eu nem acreditei. Por vários fatores. É um CD que está muito pesado, estava concorrendo com CD's que eram de louvor e, hoje em dia há uma tendência para o louvor. Mas a gente achou incrível quando nos chamaram. Foi de Deus. A gente recebeu com todo o carinho. A gente dedica esse prêmio a todo mundo. O disco já está com mais de um ano. O prêmio veio em um tempo bom. Daqui a pouco a gente está lançando o DVD. Vamos mandar brasa, continuar trabalhando e levando a Palavra para a galera.

Guia-me: Vocês já têm alguma previsão de saída do DVD?

Mauro: Cara, essa é a pergunta de todos. A gente não está dando um dia certo, nada assim, justamente para não criar nenhuma especulação. A gente está trabalhando na pós-produção do DVD e a gente está tentando fazer o mais rápido possível, da melhor forma possível e vamos tentar fazer tudo para que no início do ano já estejamos com isso na mão, para já trabalhar em cima do DVD, a turnê do DVD ''Depois da Guerra'', o ''D.D.G Experience''.

Guia-me: Você mantém sua performance do início ao fim do show, cantando músicas que exigem muita potência vocal e sua voz se mantém clara e afinada durante toda a apresentação. Você tem algum segredo para conseguir esse desempenho?

Mauro: O Duca está falando aqui do meu lado que o segredo é o amor. É o Sazon, né? (risos). É até engraçado, porque eu até estava comentando com o Juninho ainda agora, depois do show (em Fortaleza - CE): ''Hoje rolou legal, meu! A minha voz foi bem do início ao fim e eu não estou tão cansado, estou falando normalmente''. Cara, descansar é fundamental para mim. Hoje eu notei isso na íntegra e, não comer antes do show também é fundamental. Ontem, por exemplo, a gente tocou em ''Floripa'', eu comi antes e isso acabou um pouco com a minha respiração durante o show. É muito esquisito (risos). Mas normalmente eu tento aquecer bem a voz também antes de cantar, mas a gente tenta cantar com o máximo de técnica possível, é claro. Essa questão da técnica é imprescindível, mas na ''vibe'' do show você acaba pecando muito na questão da técnica. A questão do palco e de você estar naquela energia toda ali. Você acaba deixando um pouco a técnica de lado, mas hoje eu consegui pensar mais tecnicamente, a gente terminou o show bem e eu torço para que seja sempre assim. Eu vou trabalhando em cima de probabilidades. Acho que se eu sempre descansar e não comer antes, agora vai dar certo (risos).

Guia-me: O fato de você ser também produtor musical influi de certa forma nessa técnica?

Mauro: Mais ou menos. A produção musical não está baseada totalmente em cima da técnica. Também tem a criatividade e toda essa coisa. Essa questão da técnica vem muito de estudo. Eu já dava aulas, então eu tinha que pesquisar para ensinar para a galera, também. Então vem disso, mas colocar a técnica em prática é um problema. Não é fácil, não.

veja também