Porque a Crítica é sempre uma Benção

Porque a Crítica é sempre uma Benção

Atualizado: Segunda-feira, 9 Maio de 2011 as 3:53

Lembro-me quando, pouco depois de entrar para o apoio da nossa igreja, um casal integrante da equipe de louvor me perguntou se podiam encontrar-se comigo; e para o meu horror, eles me apresentaram uma lista enorme de reclamações. Tivemos uma conversa sobre coisas que eles sentiam profundamente, referentes à direção que o culto estava tomando, e a coisas práticas como escolha da música, volume e a forma como eu estava liderando o louvor. Era para ser útil, mas eu senti como se fosse um motim. Achei seus comentários dolorosos, pessoais e diretos. Eu só estava tentando dar o meu melhor e ser obediente a Deus e à liderança da igreja que estavam me encorajando a ministrar. Eu tinha deixado uma carreira que eu amava para trás, queimei a ligação com a carreira, e lá estava eu, vivendo o sonho de ver a vida de louvor e adoração da nossa igreja ganhar vida, mas eu senti como se tivesse falhado. Naquela noite jantei com o meu líder, Nicky Gumbel, e expliquei a situação para ele. Eu estava preocupado com aquilo e eu não poderia liderar uma equipe dividida e que não me apoiava. Eu senti vontade de jogar a toalha e voltar para o trabalho regular.

Ele ouviu pacientemente e me deu alguns conselhos que eu nunca esqueci. Ele explicou que somos sempre abençoados quando somos criticados por que:

1- Se eles estiverem certos, você poderá aprender alguma coisa, e será uma bênção para você, mas

2- Se eles estiverem errados, você será abençoado, porque Jesus disse que nós somos abençoados quando as pessoas nos criticam injustamente, quando estamos servindo a Deus. "Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós." (Mateus 5:11-12)

Nicky me incentivou a procurar o grau de verdade no que eles estavam dizendo, para ver os seus comentários como uma bênção. Disse-me também que sem dúvida estava do meu lado, que achava que eu estava fazendo um trabalho brilhante e que era para continuar. Soube mais tarde que fora então o Vigário Sandy Millar (1939-1977 - bispo precursor do formato de congregação nas igrejas da Inglaterra) que usou as cartas de reclamações em vários aspectos no louvor e na adoração - mas sempre respondendo a si mesmo, e nunca transmitindo para as pessoas nada além do que entusiasmo. Ele estava sob essa barreira de proteção, afirmação e crença de que somos capazes de prosperar como uma equipe.

A crítica é uma garantia ao longo do caminho: as pessoas vão nos criticar quando estamos fazendo bem, quando estamos mal, quando vê sucessos ou fracassos. As críticas virão de fora da igreja, e, infelizmente, muitas vezes de dentro. Eu tenho notado uma tendência recente para criticar o "movimento de louvor e adoração contemporâneo" em uma aparente e interminável lista de defeitos: muito chato, muito complicado, muito alto, muito calmo, muito bem sucedido, muito banal, muito... o que quer que seja ... Se você está enfrentando críticas, tenha coragem. Se eles estão certos, você vai crescer com a experiência, se estão errados, você está tomando uma batida de Jesus - o que é um privilégio!

Se você tiver certeza que eles estão certos ou errados, ame-os e perdoe-os de maneira extravagante, porque nós estamos nisso juntos e quando tudo acabar vamos todos sair para a eternidade.

Para ler: Efésios 4

Por Al Gordon

veja também