Pregador Luo: "Deus é o Único-Incomparável em grau máximo"

Pregador Luo: "Deus é o Único-Incomparável em grau máximo"

Atualizado: Quarta-feira, 24 Julho de 2013 as 7:14

pregador luoO álbum duplo 'Único-Incomparável' demorou mais do que o previsto para ficar pronto, mas o mais recente trabalho do Pregador Luo, lançado há seis meses, continua conquistando os admiradores do rapper.
 
Embora algumas músicas já tinham sido lançadas por ele na internet, o disco traz algumas novidades.
 
"Ficou diferente de tudo o que já fiz antes, mas tudo se comunica. Eu procuro estar sempre inovando, não gosto de fazer mais do mesmo, embora, às vezes, mexer em time que está ganhando pode não ser muito bom, eu gosto de me arriscar. Eu tento me preparar para fazer músicas diferentes, foi isso que aconteceu", conta o rapper.
 
Uma das novidades que recebeu elogios foi a participação de Emicida na canção 'Inestimável'.
 
Em entrevista ao GUIAME, Luo conta a experiência da parceria com Emicida. "Ele é um expoente e, embora seja conhecido, ele está chegando agora e chegando bem, falando coisas coerentes com um discurso de protesto e reivindicação, que é algo que acho legal. Ele falou que cresceu me ouvindo e cantar com ele foi legal porque é um encontro de gerações que fazem a história acontecer. Sou grato a Deus por poder dar uma contribuição na história dele e ele na minha."
 
'Cacildz' é o nome de uma das faixas do UI. Quem é fã de humor já reconhece a expressão que ficou famosa por ser bordão do personagem Mussum, de 'Os Trapalhões'.
 
A canção é uma homenagem a Antônio Carlos Bernardes Gomes, verdadeiro nome do humorista Mussum. "A música sobre o Mussum eu tinha a ideia de fazer faz tempo porque nunca me ative apenas a músicas com 'Glória a Deus, levante as mãos, chuva, fogo, etc', sempre procurei resgatar a cultura, que para alguns evangélicos é irrelevante, mas para mim é relevante."
 
"Mussum foi um cara importante na cultura do país, na história da televisão, do humor. Veio do samba, do morro e venceu na vida, foi um dos negros mais talentosos que o Brasil conheceu e marcou a geração de milhões de pessoas. Foi um cara que me fez muito bem, diferente desse humor que a gente vê hoje. Nas tardes de domingo eu corria para casa mais cedo para assistir 'Os Trapalhões'. A música é uma forma de criticar algumas coisas, elogiar outras e cantar com humor", explica Luo.
 
O rapper lembra que o CD trata diversos temas que têm a ver com o nome do disco. "Eu falo de temas únicos-incomparáveis, e pessoas também: Kaká, Zé Roberto, Mussum e, principalmente fala de Deus, o Único-Incomparável em grau máximo."
 
 
GUIAME.COM.BR
 

veja também