"Quando as portas vão sendo abertas por Deus, tudo fica natural", afirma cantor Alex Alves

"Quando as portas vão sendo abertas por Deus, tudo fica natural", afirma cantor Alex Alves

Atualizado: Segunda-feira, 5 Outubro de 2009 as 12

Por João Neto - www.guiame.com.br

Deixar que Deus abra as portas naturalmente. Esse é o princípio de vida do cantor de rock gospel Alex Alves. Com oito anos de carreira, o artista cearense já teve experiências como jogador de futebol, vocalista em duas bandas, e atualmente administra sua carreira solo, lançando um CD acústico.

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, o cantor falou sobre sua história, o novo trabalho, sua participação no Ceará Music (um grande evento secular de Fortaleza (CE)), entre outros assuntos.

Guia-me: Você está com um CD acústico agora, o qual além de músicas suas, também apresenta canções de outros artistas. Como foi fazer todos esses rearranjos?

Alex Alves: Todos os arranjos do CD foram feitos por uma pessoa só: Moisés Veloso. Eu passava a música para ele e juntos víamos como iria ser feito. O CD ficou realmente todo acústico, com violões, baixo, batera acústica, gaita e teclados.

Guia-me: Você já teve alguma experiência de tocar nessa linha (acústica) ou a primeira vez veio junto com a ideia do CD solo?

Alex Alves: Esse show acústico já foi mostrado em um evento em Caucaia(CE) e foi um sucesso. Apesar de todas as músicas serem inéditas, o publico surpreendeu. Participou, cantando junto. Esse CD é o melhor da minha carreira, sem dúvida.

Guia-me: E como você acabou descobrindo isso? Qual parâmetro você usou pra concluir que este trabalho é o melhor da sua carreira?

Alex Alves: Porque esse CD foi muito elaborado. Tivemos muito tempo para analisar. Devido à correria da produção de eventos que eu faço, a gente levou muito tempo para a conclusão desse disco e nesse tempo a gente foi vendo com calma o repertório, os arranjos, e isso fez com que o CD ficasse muito bom. O disco apesar de ser acústico tem uma grande pegada e peso.

Guia-me: Este novo trabalho tem a contribuição do irmão Lázaro e de Kleber Lucas (cada um com uma música). Esses estilos acabam sendo bem diferentes entre si e de certa forma, diferentes do seu estilo. Foi fácil adaptar essas músicas para o seu disco?

Alex Alves: Na verdade, como a musica do Kleber era inédita, deu para fazer a minha cara e do CD. A do Lázaro foi uma música de um CD antigo dele, mas eu vi que tinha a ver a gente colocar no nosso acústico. Foi feita uma mudança de arranjos e ficou muito boa.

Guia-me: O nome do CD: ''Jesus'', é bem simples e direto, mas como veio a ideia do título?

Alex Alves: O disco fala de muitas histórias da vida de Jesus, da passagem dEle na Terra. Eu estava vendo um nome para colocar como título e Deus falou comigo: ''Coloca o nome que é acima de todo nome. O nome que tem poder, nome forte, o mais forte''. Então ''Jesus'' é o nome. Não precisa falar mais nada. Guia-me: Esse disco está com 13 músicas. Como foi a escolha do repertório?

Alex Alves: Na realidade, eu entro no estúdio e vou fazendo as músicas no decorrer das gravações, devido à correria. Por exemplo, às vezes eu tenho duas músicas prontas, entro no estúdio e começo as gravações e no decorrer vou fazendo outras músicas. Várias canções são feitas assim (dentro do estúdio), antes de começar as gravações, e assim vai acontecendo. Eu começo a música e quando vejo que não está legal, paro ali e vejo outra que Deus manda.

Guia-me: Nos shows também há todo esse direcionamento de Deus?

Alex Alves: Com certeza. Tanto nos shows nos quais eu canto, como os que eu organizo. Tenho colocado nas mãos de Deus. Às vezes a gente pensa que está fazendo a coisa certa e nofinal não dá certo. Então,a gente aprende a entregar nas mãos do Senhor para Ele orientar da forma que é melhor para fazer, já que sou tão pequeno para as coisas grandes que tenho feito só Deus mesmo.

Guia-me: Você falou sobre organizar shows também. Como conciliar organização de shows e sua carreira como músico?

Alex Alves: Na realidade, a prioridade no momento para o meu sustento tem sido os shows que organizo, e minha carreira tem sido muito ajudada por isso, já que a gente tem muitos contatos e formas de trabalhar.

Guia-me: Falando sobre a tua participação no Ceará Music, como surgiu essa ideia?

Alex Alves: A responsabilidade é muito grande. Na realidade, não surgiu a ideia. Eu conheci um dos responsáveis pelo evento e ali trocamos uma ideia sobre eventos. Falei que eu tinha um trabalho e assim ele disse: ''Me entrega esse CD para eu mostrar para todos da equipe do Ceará Music''. Eu dei o CD para ele e no outro dia já me ligaram, fechando a participação para a gente tocar no Ceará Music. Tudo muito natural. Quando as portas vão sendo abertas por Deus, tudo fica natural. Lembro-me que em outras oportunidades tentei ter uma participação nesse evento e não deu certo. Dessa vez, sem esforço, fui convidado pelo cara responsável pelo evento. A música está tocando na rádio Cidade, uma rádio secular e várias pessoas me perguntam o que eu vou tocar lá. Olha só a pergunta! E eu respondo ''claro que vou tocar as minhas músicas''. As pessoas acham que se você esta em um evento secular de grande porte, tem que cantar músicas seculares. Isso não tem nada a ver. Vou mostrar a minha música, falar de Jesus e não estou nem aí para quem vai gostar, quem não vai. Minha missão não é essa. Se Deus abriu as portas, não é para eu ir lá e cantar música secular. Com certeza, é para falar do amor dEle de uma forma que não agrida ninguém e que as pessoas possas entender isso. Jesus vai colocar isso no meu coração.

Guia-me: Em relação ao show em que você vai participar em novembro: o ''Crente Music'', qual será a intenção desse evento? Já vai ser na linha do acústico? Ou ainda elétrico?

Alex Alves: Esse Crente Music Festival já é o segundo.  Como no Ceará Music, a minha participação vai ser toda no acústico. A banda estava até vendo para o Ceará Music a questão do acústico com um pouco de guitarra, mas quando o guitarrista tocou, eu falei: ''Pare, pare, pelo amor de Deus. Pega o violão. Nada de guitarra. Tem que ser tudo acústico''. É isso que Deus tem colocado no meu coração. Mas o show está muito pra cima. Muito mesmo! Muito peso, apesar dos violões.

Guia-me: E como vocês conseguiram colocar ''peso'' nesse trabalho, mesmo sendo acústico? São os arranjos? A sincronia entre vocês da banda?

Alex Alves: Os arranjos e a própria musica e estilo fez com que ficasse com esse peso. Agora, o repertório foi escolhido para o Ceará Music. Justamente por isso escolhemos músicas que ficaram com mais peso.

Guia-me: No Crente Music, você estará com cantores de estilos diferentes, como o Rogéro Uchoa e o Fernandinho, por exemplo. Como você lida com essa diversidade musical?

Alex Alves: O próprio evento já tem vários estilos, como Voz da Verdade, Oficina G3, Kleber Lucas, Pr. Marco Feliciano, Fernandinho, então, isso ajuda muito. E cantar nesse evento é mais fácil do que no Ceará Music, pois todo mundo já conhece o nosso trabalho. Você está cantando para uma maioria crente. Diferente do Ceará Music, onde você está cantando músicas, falando de Jesus para uma multidão que está ali para ver O Rappa, Jota Quest, Biquini Cavadão. Então é uma missão gigante.

Guia-me: Falando um pouco sobre a tua história, quando foi que você descobriu que levava jeito para música e decidiu seguir essa carreira?

Alex Alves: Antes de ser evangélico, eu sempre gostei muito de música e sempre quis ter uma banda, mas nunca aconteceu. Eu era jogador de futebol, a prioridade era minha carreira de atleta, até que aceitei a Jesus e aos poucos fui me envolvendo com música, formei uma banda, depois outra, até chegar em minha carreira solo.

Guia-me: Você tem algum conselho para dar aqueles que estão começando agora na música?

Alex Alves: Tenho sim. Faça com amor o seu trabalho, para engrandecer o nome de Jesus. Sem pensar em fazer sucesso, sem pensar em ganhar dinheiro, sem pensar em ser ''o tal'', pois sempre que você for atrás disso tudo, essas coisas vão correr de você. Faça o seu trabalho e deixe Deus fazer acontecer tudo naturalmente, da forma dEle. Tudo que falei aqui foi de coração, não porque sou cantor evangélico e tenho que falar assim por uma regra de palavras, mas é o que sinto dentro do meu coração.

Por João Neto - www.guiame.com.br

Deixar que Deus abra as portas naturalmente. Esse é o princípio de vida do cantor de rock gospel Alex Alves. Com oito anos de carreira, o artista cearense já teve experiências como jogador de futebol, vocalista em duas bandas, e atualmente administra sua carreira solo, lançando um CD acústico.

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, o cantor falou sobre sua história, o novo trabalho, sua participação no Ceará Music (um grande evento secular de Fortaleza (CE)), entre outros assuntos.

Guia-me: Você está com um CD acústico agora, o qual além de músicas suas, também apresenta canções de outros artistas. Como foi fazer todos esses rearranjos?

Alex Alves: Todos os arranjos do CD foram feitos por uma pessoa só: Moisés Veloso. Eu passava a música para ele e juntos víamos como iria ser feito. O CD ficou realmente todo acústico, com violões, baixo, batera acústica, gaita e teclados.

Guia-me: Você já teve alguma experiência de tocar nessa linha (acústica) ou a primeira vez veio junto com a ideia do CD solo?

Alex Alves: Esse show acústico já foi mostrado em um evento em Caucaia(CE) e foi um sucesso. Apesar de todas as músicas serem inéditas, o publico surpreendeu. Participou, cantando junto. Esse CD é o melhor da minha carreira, sem dúvida.

Guia-me: E como você acabou descobrindo isso? Qual parâmetro você usou pra concluir que este trabalho é o melhor da sua carreira?

Alex Alves: Porque esse CD foi muito elaborado. Tivemos muito tempo para analisar. Devido à correria da produção de eventos que eu faço, a gente levou muito tempo para a conclusão desse disco e nesse tempo a gente foi vendo com calma o repertório, os arranjos, e isso fez com que o CD ficasse muito bom. O disco apesar de ser acústico tem uma grande pegada e peso.

Guia-me: Este novo trabalho tem a contribuição do irmão Lázaro e de Kleber Lucas (cada um com uma música). Esses estilos acabam sendo bem diferentes entre si e de certa forma, diferentes do seu estilo. Foi fácil adaptar essas músicas para o seu disco?

Alex Alves: Na verdade, como a musica do Kleber era inédita, deu para fazer a minha cara e do CD. A do Lázaro foi uma música de um CD antigo dele, mas eu vi que tinha a ver a gente colocar no nosso acústico. Foi feita uma mudança de arranjos e ficou muito boa.

Guia-me: O nome do CD: ''Jesus'', é bem simples e direto, mas como veio a ideia do título?

Alex Alves: O disco fala de muitas histórias da vida de Jesus, da passagem dEle na Terra. Eu estava vendo um nome para colocar como título e Deus falou comigo: ''Coloca o nome que é acima de todo nome. O nome que tem poder, nome forte, o mais forte''. Então ''Jesus'' é o nome. Não precisa falar mais nada. Guia-me: Esse disco está com 13 músicas. Como foi a escolha do repertório?

Alex Alves: Na realidade, eu entro no estúdio e vou fazendo as músicas no decorrer das gravações, devido à correria. Por exemplo, às vezes eu tenho duas músicas prontas, entro no estúdio e começo as gravações e no decorrer vou fazendo outras músicas. Várias canções são feitas assim (dentro do estúdio), antes de começar as gravações, e assim vai acontecendo. Eu começo a música e quando vejo que não está legal, paro ali e vejo outra que Deus manda.

Guia-me: Nos shows também há todo esse direcionamento de Deus?

Alex Alves: Com certeza. Tanto nos shows nos quais eu canto, como os que eu organizo. Tenho colocado nas mãos de Deus. Às vezes a gente pensa que está fazendo a coisa certa e nofinal não dá certo. Então,a gente aprende a entregar nas mãos do Senhor para Ele orientar da forma que é melhor para fazer, já que sou tão pequeno para as coisas grandes que tenho feito só Deus mesmo.

Guia-me: Você falou sobre organizar shows também. Como conciliar organização de shows e sua carreira como músico?

Alex Alves: Na realidade, a prioridade no momento para o meu sustento tem sido os shows que organizo, e minha carreira tem sido muito ajudada por isso, já que a gente tem muitos contatos e formas de trabalhar.

Guia-me: Falando sobre a tua participação no Ceará Music, como surgiu essa ideia?

Alex Alves: A responsabilidade é muito grande. Na realidade, não surgiu a ideia. Eu conheci um dos responsáveis pelo evento e ali trocamos uma ideia sobre eventos. Falei que eu tinha um trabalho e assim ele disse: ''Me entrega esse CD para eu mostrar para todos da equipe do Ceará Music''. Eu dei o CD para ele e no outro dia já me ligaram, fechando a participação para a gente tocar no Ceará Music. Tudo muito natural. Quando as portas vão sendo abertas por Deus, tudo fica natural. Lembro-me que em outras oportunidades tentei ter uma participação nesse evento e não deu certo. Dessa vez, sem esforço, fui convidado pelo cara responsável pelo evento. A música está tocando na rádio Cidade, uma rádio secular e várias pessoas me perguntam o que eu vou tocar lá. Olha só a pergunta! E eu respondo ''claro que vou tocar as minhas músicas''. As pessoas acham que se você esta em um evento secular de grande porte, tem que cantar músicas seculares. Isso não tem nada a ver. Vou mostrar a minha música, falar de Jesus e não estou nem aí para quem vai gostar, quem não vai. Minha missão não é essa. Se Deus abriu as portas, não é para eu ir lá e cantar música secular. Com certeza, é para falar do amor dEle de uma forma que não agrida ninguém e que as pessoas possas entender isso. Jesus vai colocar isso no meu coração.

Guia-me: Em relação ao show em que você vai participar em novembro: o ''Crente Music'', qual será a intenção desse evento? Já vai ser na linha do acústico? Ou ainda elétrico?

Alex Alves: Esse Crente Music Festival já é o segundo.  Como no Ceará Music, a minha participação vai ser toda no acústico. A banda estava até vendo para o Ceará Music a questão do acústico com um pouco de guitarra, mas quando o guitarrista tocou, eu falei: ''Pare, pare, pelo amor de Deus. Pega o violão. Nada de guitarra. Tem que ser tudo acústico''. É isso que Deus tem colocado no meu coração. Mas o show está muito pra cima. Muito mesmo! Muito peso, apesar dos violões.

Guia-me: E como vocês conseguiram colocar ''peso'' nesse trabalho, mesmo sendo acústico? São os arranjos? A sincronia entre vocês da banda?

Alex Alves: Os arranjos e a própria musica e estilo fez com que ficasse com esse peso. Agora, o repertório foi escolhido para o Ceará Music. Justamente por isso escolhemos músicas que ficaram com mais peso.

Guia-me: No Crente Music, você estará com cantores de estilos diferentes, como o Rogéro Uchoa e o Fernandinho, por exemplo. Como você lida com essa diversidade musical?

Alex Alves: O próprio evento já tem vários estilos, como Voz da Verdade, Oficina G3, Kleber Lucas, Pr. Marco Feliciano, Fernandinho, então, isso ajuda muito. E cantar nesse evento é mais fácil do que no Ceará Music, pois todo mundo já conhece o nosso trabalho. Você está cantando para uma maioria crente. Diferente do Ceará Music, onde você está cantando músicas, falando de Jesus para uma multidão que está ali para ver O Rappa, Jota Quest, Biquini Cavadão. Então é uma missão gigante.

Guia-me: Falando um pouco sobre a tua história, quando foi que você descobriu que levava jeito para música e decidiu seguir essa carreira?

Alex Alves: Antes de ser evangélico, eu sempre gostei muito de música e sempre quis ter uma banda, mas nunca aconteceu. Eu era jogador de futebol, a prioridade era minha carreira de atleta, até que aceitei a Jesus e aos poucos fui me envolvendo com música, formei uma banda, depois outra, até chegar em minha carreira solo.

Guia-me: Você tem algum conselho para dar aqueles que estão começando agora na música?

Alex Alves: Tenho sim. Faça com amor o seu trabalho, para engrandecer o nome de Jesus. Sem pensar em fazer sucesso, sem pensar em ganhar dinheiro, sem pensar em ser ''o tal'', pois sempre que você for atrás disso tudo, essas coisas vão correr de você. Faça o seu trabalho e deixe Deus fazer acontecer tudo naturalmente, da forma dEle. Tudo que falei aqui foi de coração, não porque sou cantor evangélico e tenho que falar assim por uma regra de palavras, mas é o que sinto dentro do meu coração.

Por João Neto - www.guiame.com.br

Deixar que Deus abra as portas naturalmente. Esse é o princípio de vida do cantor de rock gospel Alex Alves. Com oito anos de carreira, o artista cearense já teve experiências como jogador de futebol, vocalista em duas bandas, e atualmente administra sua carreira solo, lançando um CD acústico.

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, o cantor falou sobre sua história, o novo trabalho, sua participação no Ceará Music (um grande evento secular de Fortaleza (CE)), entre outros assuntos.

Guia-me: Você está com um CD acústico agora, o qual além de músicas suas, também apresenta canções de outros artistas. Como foi fazer todos esses rearranjos?

Alex Alves: Todos os arranjos do CD foram feitos por uma pessoa só: Moisés Veloso. Eu passava a música para ele e juntos víamos como iria ser feito. O CD ficou realmente todo acústico, com violões, baixo, batera acústica, gaita e teclados.

Guia-me: Você já teve alguma experiência de tocar nessa linha (acústica) ou a primeira vez veio junto com a ideia do CD solo?

Alex Alves: Esse show acústico já foi mostrado em um evento em Caucaia(CE) e foi um sucesso. Apesar de todas as músicas serem inéditas, o publico surpreendeu. Participou, cantando junto. Esse CD é o melhor da minha carreira, sem dúvida.

Guia-me: E como você acabou descobrindo isso? Qual parâmetro você usou pra concluir que este trabalho é o melhor da sua carreira?

Alex Alves: Porque esse CD foi muito elaborado. Tivemos muito tempo para analisar. Devido à correria da produção de eventos que eu faço, a gente levou muito tempo para a conclusão desse disco e nesse tempo a gente foi vendo com calma o repertório, os arranjos, e isso fez com que o CD ficasse muito bom. O disco apesar de ser acústico tem uma grande pegada e peso.

Guia-me: Este novo trabalho tem a contribuição do irmão Lázaro e de Kleber Lucas (cada um com uma música). Esses estilos acabam sendo bem diferentes entre si e de certa forma, diferentes do seu estilo. Foi fácil adaptar essas músicas para o seu disco?

Alex Alves: Na verdade, como a musica do Kleber era inédita, deu para fazer a minha cara e do CD. A do Lázaro foi uma música de um CD antigo dele, mas eu vi que tinha a ver a gente colocar no nosso acústico. Foi feita uma mudança de arranjos e ficou muito boa.

Guia-me: O nome do CD: ''Jesus'', é bem simples e direto, mas como veio a ideia do título?

Alex Alves: O disco fala de muitas histórias da vida de Jesus, da passagem dEle na Terra. Eu estava vendo um nome para colocar como título e Deus falou comigo: ''Coloca o nome que é acima de todo nome. O nome que tem poder, nome forte, o mais forte''. Então ''Jesus'' é o nome. Não precisa falar mais nada. Guia-me: Esse disco está com 13 músicas. Como foi a escolha do repertório?

Alex Alves: Na realidade, eu entro no estúdio e vou fazendo as músicas no decorrer das gravações, devido à correria. Por exemplo, às vezes eu tenho duas músicas prontas, entro no estúdio e começo as gravações e no decorrer vou fazendo outras músicas. Várias canções são feitas assim (dentro do estúdio), antes de começar as gravações, e assim vai acontecendo. Eu começo a música e quando vejo que não está legal, paro ali e vejo outra que Deus manda.

Guia-me: Nos shows também há todo esse direcionamento de Deus?

Alex Alves: Com certeza. Tanto nos shows nos quais eu canto, como os que eu organizo. Tenho colocado nas mãos de Deus. Às vezes a gente pensa que está fazendo a coisa certa e nofinal não dá certo. Então,a gente aprende a entregar nas mãos do Senhor para Ele orientar da forma que é melhor para fazer, já que sou tão pequeno para as coisas grandes que tenho feito só Deus mesmo.

Guia-me: Você falou sobre organizar shows também. Como conciliar organização de shows e sua carreira como músico?

Alex Alves: Na realidade, a prioridade no momento para o meu sustento tem sido os shows que organizo, e minha carreira tem sido muito ajudada por isso, já que a gente tem muitos contatos e formas de trabalhar.

Guia-me: Falando sobre a tua participação no Ceará Music, como surgiu essa ideia?

Alex Alves: A responsabilidade é muito grande. Na realidade, não surgiu a ideia. Eu conheci um dos responsáveis pelo evento e ali trocamos uma ideia sobre eventos. Falei que eu tinha um trabalho e assim ele disse: ''Me entrega esse CD para eu mostrar para todos da equipe do Ceará Music''. Eu dei o CD para ele e no outro dia já me ligaram, fechando a participação para a gente tocar no Ceará Music. Tudo muito natural. Quando as portas vão sendo abertas por Deus, tudo fica natural. Lembro-me que em outras oportunidades tentei ter uma participação nesse evento e não deu certo. Dessa vez, sem esforço, fui convidado pelo cara responsável pelo evento. A música está tocando na rádio Cidade, uma rádio secular e várias pessoas me perguntam o que eu vou tocar lá. Olha só a pergunta! E eu respondo ''claro que vou tocar as minhas músicas''. As pessoas acham que se você esta em um evento secular de grande porte, tem que cantar músicas seculares. Isso não tem nada a ver. Vou mostrar a minha música, falar de Jesus e não estou nem aí para quem vai gostar, quem não vai. Minha missão não é essa. Se Deus abriu as portas, não é para eu ir lá e cantar música secular. Com certeza, é para falar do amor dEle de uma forma que não agrida ninguém e que as pessoas possas entender isso. Jesus vai colocar isso no meu coração.

Guia-me: Em relação ao show em que você vai participar em novembro: o ''Crente Music'', qual será a intenção desse evento? Já vai ser na linha do acústico? Ou ainda elétrico?

Alex Alves: Esse Crente Music Festival já é o segundo.  Como no Ceará Music, a minha participação vai ser toda no acústico. A banda estava até vendo para o Ceará Music a questão do acústico com um pouco de guitarra, mas quando o guitarrista tocou, eu falei: ''Pare, pare, pelo amor de Deus. Pega o violão. Nada de guitarra. Tem que ser tudo acústico''. É isso que Deus tem colocado no meu coração. Mas o show está muito pra cima. Muito mesmo! Muito peso, apesar dos violões.

Guia-me: E como vocês conseguiram colocar ''peso'' nesse trabalho, mesmo sendo acústico? São os arranjos? A sincronia entre vocês da banda?

Alex Alves: Os arranjos e a própria musica e estilo fez com que ficasse com esse peso. Agora, o repertório foi escolhido para o Ceará Music. Justamente por isso escolhemos músicas que ficaram com mais peso.

Guia-me: No Crente Music, você estará com cantores de estilos diferentes, como o Rogéro Uchoa e o Fernandinho, por exemplo. Como você lida com essa diversidade musical?

Alex Alves: O próprio evento já tem vários estilos, como Voz da Verdade, Oficina G3, Kleber Lucas, Pr. Marco Feliciano, Fernandinho, então, isso ajuda muito. E cantar nesse evento é mais fácil do que no Ceará Music, pois todo mundo já conhece o nosso trabalho. Você está cantando para uma maioria crente. Diferente do Ceará Music, onde você está cantando músicas, falando de Jesus para uma multidão que está ali para ver O Rappa, Jota Quest, Biquini Cavadão. Então é uma missão gigante.

Guia-me: Falando um pouco sobre a tua história, quando foi que você descobriu que levava jeito para música e decidiu seguir essa carreira?

Alex Alves: Antes de ser evangélico, eu sempre gostei muito de música e sempre quis ter uma banda, mas nunca aconteceu. Eu era jogador de futebol, a prioridade era minha carreira de atleta, até que aceitei a Jesus e aos poucos fui me envolvendo com música, formei uma banda, depois outra, até chegar em minha carreira solo.

Guia-me: Você tem algum conselho para dar aqueles que estão começando agora na música?

Alex Alves: Tenho sim. Faça com amor o seu trabalho, para engrandecer o nome de Jesus. Sem pensar em fazer sucesso, sem pensar em ganhar dinheiro, sem pensar em ser ''o tal'', pois sempre que você for atrás disso tudo, essas coisas vão correr de você. Faça o seu trabalho e deixe Deus fazer acontecer tudo naturalmente, da forma dEle. Tudo que falei aqui foi de coração, não porque sou cantor evangélico e tenho que falar assim por uma regra de palavras, mas é o que sinto dentro do meu coração.

Por João Neto - www.guiame.com.br

Deixar que Deus abra as portas naturalmente. Esse é o princípio de vida do cantor de rock gospel Alex Alves. Com oito anos de carreira, o artista cearense já teve experiências como jogador de futebol, vocalista em duas bandas, e atualmente administra sua carreira solo, lançando um CD acústico.

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, o cantor falou sobre sua história, o novo trabalho, sua participação no Ceará Music (um grande evento secular de Fortaleza (CE)), entre outros assuntos.

Guia-me: Você está com um CD acústico agora, o qual além de músicas suas, também apresenta canções de outros artistas. Como foi fazer todos esses rearranjos?

Alex Alves: Todos os arranjos do CD foram feitos por uma pessoa só: Moisés Veloso. Eu passava a música para ele e juntos víamos como iria ser feito. O CD ficou realmente todo acústico, com violões, baixo, batera acústica, gaita e teclados.

Guia-me: Você já teve alguma experiência de tocar nessa linha (acústica) ou a primeira vez veio junto com a ideia do CD solo?

Alex Alves: Esse show acústico já foi mostrado em um evento em Caucaia(CE) e foi um sucesso. Apesar de todas as músicas serem inéditas, o publico surpreendeu. Participou, cantando junto. Esse CD é o melhor da minha carreira, sem dúvida.

Guia-me: E como você acabou descobrindo isso? Qual parâmetro você usou pra concluir que este trabalho é o melhor da sua carreira?

Alex Alves: Porque esse CD foi muito elaborado. Tivemos muito tempo para analisar. Devido à correria da produção de eventos que eu faço, a gente levou muito tempo para a conclusão desse disco e nesse tempo a gente foi vendo com calma o repertório, os arranjos, e isso fez com que o CD ficasse muito bom. O disco apesar de ser acústico tem uma grande pegada e peso.

Guia-me: Este novo trabalho tem a contribuição do irmão Lázaro e de Kleber Lucas (cada um com uma música). Esses estilos acabam sendo bem diferentes entre si e de certa forma, diferentes do seu estilo. Foi fácil adaptar essas músicas para o seu disco?

Alex Alves: Na verdade, como a musica do Kleber era inédita, deu para fazer a minha cara e do CD. A do Lázaro foi uma música de um CD antigo dele, mas eu vi que tinha a ver a gente colocar no nosso acústico. Foi feita uma mudança de arranjos e ficou muito boa.

Guia-me: O nome do CD: ''Jesus'', é bem simples e direto, mas como veio a ideia do título?

Alex Alves: O disco fala de muitas histórias da vida de Jesus, da passagem dEle na Terra. Eu estava vendo um nome para colocar como título e Deus falou comigo: ''Coloca o nome que é acima de todo nome. O nome que tem poder, nome forte, o mais forte''. Então ''Jesus'' é o nome. Não precisa falar mais nada. Guia-me: Esse disco está com 13 músicas. Como foi a escolha do repertório?

Alex Alves: Na realidade, eu entro no estúdio e vou fazendo as músicas no decorrer das gravações, devido à correria. Por exemplo, às vezes eu tenho duas músicas prontas, entro no estúdio e começo as gravações e no decorrer vou fazendo outras músicas. Várias canções são feitas assim (dentro do estúdio), antes de começar as gravações, e assim vai acontecendo. Eu começo a música e quando vejo que não está legal, paro ali e vejo outra que Deus manda.

Guia-me: Nos shows também há todo esse direcionamento de Deus?

Alex Alves: Com certeza. Tanto nos shows nos quais eu canto, como os que eu organizo. Tenho colocado nas mãos de Deus. Às vezes a gente pensa que está fazendo a coisa certa e nofinal não dá certo. Então,a gente aprende a entregar nas mãos do Senhor para Ele orientar da forma que é melhor para fazer, já que sou tão pequeno para as coisas grandes que tenho feito só Deus mesmo.

Guia-me: Você falou sobre organizar shows também. Como conciliar organização de shows e sua carreira como músico?

Alex Alves: Na realidade, a prioridade no momento para o meu sustento tem sido os shows que organizo, e minha carreira tem sido muito ajudada por isso, já que a gente tem muitos contatos e formas de trabalhar.

Guia-me: Falando sobre a tua participação no Ceará Music, como surgiu essa ideia?

Alex Alves: A responsabilidade é muito grande. Na realidade, não surgiu a ideia. Eu conheci um dos responsáveis pelo evento e ali trocamos uma ideia sobre eventos. Falei que eu tinha um trabalho e assim ele disse: ''Me entrega esse CD para eu mostrar para todos da equipe do Ceará Music''. Eu dei o CD para ele e no outro dia já me ligaram, fechando a participação para a gente tocar no Ceará Music. Tudo muito natural. Quando as portas vão sendo abertas por Deus, tudo fica natural. Lembro-me que em outras oportunidades tentei ter uma participação nesse evento e não deu certo. Dessa vez, sem esforço, fui convidado pelo cara responsável pelo evento. A música está tocando na rádio Cidade, uma rádio secular e várias pessoas me perguntam o que eu vou tocar lá. Olha só a pergunta! E eu respondo ''claro que vou tocar as minhas músicas''. As pessoas acham que se você esta em um evento secular de grande porte, tem que cantar músicas seculares. Isso não tem nada a ver. Vou mostrar a minha música, falar de Jesus e não estou nem aí para quem vai gostar, quem não vai. Minha missão não é essa. Se Deus abriu as portas, não é para eu ir lá e cantar música secular. Com certeza, é para falar do amor dEle de uma forma que não agrida ninguém e que as pessoas possas entender isso. Jesus vai colocar isso no meu coração.

Guia-me: Em relação ao show em que você vai participar em novembro: o ''Crente Music'', qual será a intenção desse evento? Já vai ser na linha do acústico? Ou ainda elétrico?

Alex Alves: Esse Crente Music Festival já é o segundo.  Como no Ceará Music, a minha participação vai ser toda no acústico. A banda estava até vendo para o Ceará Music a questão do acústico com um pouco de guitarra, mas quando o guitarrista tocou, eu falei: ''Pare, pare, pelo amor de Deus. Pega o violão. Nada de guitarra. Tem que ser tudo acústico''. É isso que Deus tem colocado no meu coração. Mas o show está muito pra cima. Muito mesmo! Muito peso, apesar dos violões.

Guia-me: E como vocês conseguiram colocar ''peso'' nesse trabalho, mesmo sendo acústico? São os arranjos? A sincronia entre vocês da banda?

Alex Alves: Os arranjos e a própria musica e estilo fez com que ficasse com esse peso. Agora, o repertório foi escolhido para o Ceará Music. Justamente por isso escolhemos músicas que ficaram com mais peso.

Guia-me: No Crente Music, você estará com cantores de estilos diferentes, como o Rogéro Uchoa e o Fernandinho, por exemplo. Como você lida com essa diversidade musical?

Alex Alves: O próprio evento já tem vários estilos, como Voz da Verdade, Oficina G3, Kleber Lucas, Pr. Marco Feliciano, Fernandinho, então, isso ajuda muito. E cantar nesse evento é mais fácil do que no Ceará Music, pois todo mundo já conhece o nosso trabalho. Você está cantando para uma maioria crente. Diferente do Ceará Music, onde você está cantando músicas, falando de Jesus para uma multidão que está ali para ver O Rappa, Jota Quest, Biquini Cavadão. Então é uma missão gigante.

Guia-me: Falando um pouco sobre a tua história, quando foi que você descobriu que levava jeito para música e decidiu seguir essa carreira?

Alex Alves: Antes de ser evangélico, eu sempre gostei muito de música e sempre quis ter uma banda, mas nunca aconteceu. Eu era jogador de futebol, a prioridade era minha carreira de atleta, até que aceitei a Jesus e aos poucos fui me envolvendo com música, formei uma banda, depois outra, até chegar em minha carreira solo.

Guia-me: Você tem algum conselho para dar aqueles que estão começando agora na música?

Alex Alves: Tenho sim. Faça com amor o seu trabalho, para engrandecer o nome de Jesus. Sem pensar em fazer sucesso, sem pensar em ganhar dinheiro, sem pensar em ser ''o tal'', pois sempre que você for atrás disso tudo, essas coisas vão correr de você. Faça o seu trabalho e deixe Deus fazer acontecer tudo naturalmente, da forma dEle. Tudo que falei aqui foi de coração, não porque sou cantor evangélico e tenho que falar assim por uma regra de palavras, mas é o que sinto dentro do meu coração.

veja também