Rafael Bittencourt fala sobre carreira solo e o Min.Toque no Altar

Rafael Bittencourt fala sobre carreira solo e o Min.Toque no Altar

Atualizado: Quarta-feira, 11 Maio de 2011 as 2:27

Casado com a fisioterapeuta Mariana Bittencourt há um ano e meio,  Rafael Bittencourt, líder do ministério Toque no Altar relata como concilia carreira solo e o ministério no Toque no Altar e a sobre sua cura de Meningite. Mariana fala da inversão de valores na juventude cristã.

Você já participou de vários congressos na Getsêmani, o que significa pra você estar participando do Magnificat 2011 (Congresso de Filhos de Pastores e Adoradores)?

Rafael: Sempre estive na Getsêmani com o Ministério “Toque no Altar” e hoje estou aqui em carreira solo.  Sempre sou muito bem recebido pelos irmãos. O Pastor Jorge me abençoa muito, sou fã de carteirinha dele. Ele é como o meu avô. O Pr. Marcus Gregório é como se fosse meu pai e o Pr. Jorge Linhares meu avô. Independentemente de estar no altar ou não, quando estou na Getsêmani sou muito abençoado.

No CD “Deus de Milagres” tem uma canção na qual você fala sobre a sua cura, fale um pouco do seu testemunho.

Rafael: Tive meningite meningocócica, não andava, não falava...,  tive duas paradas cardíacas, uma  parada respiratória e fui curado para a Glória do Senhor Jesus. Foi um milagre, uma bênção extraordinária. Muitas pessoas ao ouvirem essa canção no CD, vêem me procurar dizendo o que Deus fez na vida delas através dela.

Como concilia a carreira solo e o ministério no “Toque no Altar”?

Rafael: Não é fácil. As demandas do ministério “Toque no Altar” são intensas e as do meu ministério solo têm se tornado prioridade na minha vida. Creio que tudo tem um propósito. Se eu não traçar objetivos para o meu ministério pessoal chegará num ponto que perceberei que faltou alguma coisa.  

Atendo demandas do ministério coletivo e do ministério pessoal também. É como um pastor que precisa viajar para levar a Palavra de Deus e também ministrar na igreja local. Desenvolvo alternativas para essa situação para que mais pessoas no reino de Deus possam ser abençoadas.

Como vê a inversão de valores inclusive no meio da juventude cristã?

Mariana Bittencourt: Acredito que existem alguns movimentos no mundo que acabam interferindo na cabeça do jovem cristão. Atualmente estamos falando muito sobre o homossexualismo, uma questão muito forte. Como os cristãos devem lhe dar com isso?  Se o cristão não tomar cuidado com a mídia que focaliza diretamente no jovem tomando o errado por certo, fatalmente incorrerá no erro.  A mocidade precisa buscar cada vez mais a face de Deus, para não se perder.

As pessoas perderam a referência no casamento. Vivemos num tempo em que não se preza mais o enlace matrimonial e considera-se  normal o morar junto, sem oficializar a união.

Por: Raquel do Carmo e Renata G. Santana

veja também