Regis Danese: Deus me falou que eu não sou cantor de uma música só

Regis Danese: Deus me falou que eu não sou cantor de uma música só

Atualizado: Quinta-feira, 17 Setembro de 2009 as 12

Por Adriana Amorim - www.guiame.com.br

Em 2008, com apenas quatro meses de seu lançamento, o CD "Compromisso", de Regis Danese, já havia vendido mais de 500 mil cópias. Desde então, a canção "Faz um milagre em mim" chegou a rádios, TVs e ambientes seculares, foi gravada em diferentes ritmos musicais e cantada em locais inusitados.

Em um novo momento de sua carreira, com mais de 1 milhão de cópias vendidas, apresentações em grandes casas de show e atuações em programas de televisão em rede nacional e internacional, Regis Danese falou ao Guia-me. O cantor revelou como imagina o futuro de sua carreira, as preocupações antes de apresentar-se em eventos e programas da mídia secular e locais inusitados para os quais já foi convidado. Também na entrevista, a participação de Joselito, o autor da canção que ficou conhecida por milhões de brasileiros. Confira:

Guia-me: Você está vivendo uma fase musical ainda mais surpreendente do que a que teve no ano passado, quando em poucos meses o CD Compromisso ultrapassava 500 mil cópias vendidas. Hoje sua canção chegou à mídia e ambientes seculares. Como você imagina seu ministério daqui a alguns anos?

Regis Danese: Olha, Deus tem falado ao meu coração, tem usado profetas, pastores, homens de Deus, dizendo que o melhor de Deus ainda está por vir. E Deus tem falado que músicas melhores que essa já estão prontas. Deus já enviou. Então eu creio. Porque quando Deus me chamou eu não queria, mas Ele falou: "Eu quero te usar entre as nações".

Já mudou muita coisa. Hoje eu tenho menos tempo com a minha família, embora eu esteja procurando ficar mais com ela e estar na estrada três ou quatro dias. Porque a esposa precisa de atenção, o filho, a nenezinha nova. Então é isso que Deus tem ministrado no meu coração. A gente recebe muitas críticas. "O Regis é cantor de uma música só". Deus falou assim: "A minha fonte não secou, a minha água não parou de jorrar". Águas vivas. É isso que eu creio. Um ministério que veio para ficar, se eu permanecer fiel. E eu tento fazer, porque a gente é cheio de defeitos, falhas, sou pecador, limitado. Mas, se eu permanecer fiel, Deus vai me honrar. E Deus tem me ensinado muito isso. Consagrar mais, jejuar mais, orar mais. A gente tem que pagar o preço. Jejuar ninguém gosta, porque você fica debilitado, mas só assim para a gente se encher. A gente não vai se encher tomando Coca-Cola e comendo numa churrascaria. Nós vamos encher a nossa carne. Mas, se a gente quiser se encher do Espírito Santo, precisa se esvaziar. Esvaziar do mal, buscar a face do Senhor.

Guia-me: Você entende que quebrou um paradigma na música gospel?

Regis Danese: Deus falou isso comigo e usou um profeta de casa no início e eu não acreditei. Usou o Joselito (compositor).

E ele falou assim: "Regis, Deus vai usar a sua vida para quebrar barreiras e aonde você vai ninguém nunca foi, você vai onde ninguém chegou ainda, mas depois da sua vida, depois que você conseguir atingir esses lugares, automaticamente a porta vai ser aberta para outros levitas entrarem nos programas seculares". Antes de eu entregar a minha vida para Jesus, Deus usou a vida dele para falar que eu iria louvar, iria gravar. Eu falei: "Não". Eu não queria fazer a obra de Deus.

[Joselito, vem cá]

Eu estou contando daquele dia ao telefone, da profecia das TVs, do secular, das barreiras.

Joselito (compositor de Faz um Milagre em Mim): Deus estava o levantando. Porque todo mundo sabe, não é segredo para ninguém, que o pastor Adhemar de Campos, na realidade, foi quem tirou a música evangélica da Igreja e trouxe assim para as rádios, mas estava limitado às rádios evangélicas. Mas Deus estava levantando o Regis para que a música evangélica tocasse somente no meio gospel, mas quebrasse barreiras. Ir às televisões mesmo, ir ao rádio secular. E Deus o estava levantando com essa função e ninguém iria segurar.

Foi uma revelação, Deus me mostrou. Não só falando comigo, mas profetizando, porque a Palavra de Deus diz que a profecia seja segundo a proporção da vossa fé. Mas essa situação foi uma revelação de Deus. Ele mostrou que faria isso com Regis, que ninguém iria segurar, e que o colocaria em lugares altos.

Guia-me: Falou que seria com a canção "Faz um Milagre em Mim", sua composição?

Joselito: Isso aconteceu logo que o CD saiu.

Regis Danese:  Mas Deus já tinha usado um pastor para falar. Eu não queria gravar essa música. Porque eu sabia que era uma pérola. Pensei: "Vou guardar para um próximo, já tem a Compromisso". Aí Deus falou: "Não, não, não. É nesse CD porque é a música que vai selar o seu ministério".

Aí Deus falou para a Pra. Vanessa, eu liguei para a Vanessa, uma intercessora. Ela disse: "Não, não, não, não, não. É nesse CD". Eu ía gravar o DVD, aí Deus falou: "Não, não é o tempo. Espera". E por isso eu não gravei o DVD. Eu sempre gostei de ouvir a voz do Senhor e não fazer a minha vontade, mas a vontade de Deus. Porque algumas vezes, quando eu não tinha o entendimento, mas já estava convertido, eu tentava fazer alguma coisa pela minha própria vontade, eu quebrava a cara.

Guia-me: Para quais locais mais inusitados você já foi convidado? Quais convites aceitou e quais não?

Regis Danese: Festa de Peão de Barretos, Parque de Exposições em Rondonópolis, Marília, Brasil todo; grandes casas de show que eu fazia com o "Só pra Contrariar" e que Deus me levando para glorificar. Muitos lugares. Agora os convites que eu recebi e não aceitei eu não quero falar ainda não, porque eu estou orando a Deus.

Guia-me: Antes de subir ao palco, ir a uma rádio ou TV secular, qual a tua maior preocupação?

Regis Danese: Minha preocupação é a pauta que será colocada, mas se Deus mandar eu vou.

Até o jeito da pessoa estar vestida ali, para que não cause escândalo. Às vezes pode virar um sarro, tirar um sarro da Palavra de Deus. Ah, mas isso eu não permito não. E se a pessoa vier falar, eu recrimino. Porque não se pode deixar as pessoas tirarem sarro da Palavra de Deus. Muitos fazem isso, mas graças a Deus, aonde o Senhor tem me levado, está havendo um respeito muito grande. O Ratinho respeitou muito, ouviu minha palavra, o olho dele encheu d'água. Lá no Silvio Santos também foi uma bênção, o auditório todo cantando. Acho que nem ele entendeu nada.

Graças a Deus, o Senhor tem me levado aos lugares certos. Interessante é que quando eu recebo esses convites de televisão, quando eu marco, dou minha resposta, depois tenho que lutar porque vêm muitos imprevistos para a gente não ir. Eu tenho enfrentado uma guerra muito grande, porque as pessoas que assistem a esses programas são somente 5% de evangélicos, a maioria não é cristã. É uma luta. Ah, quando eu fui ao Melhor do Brasil (programa da Rede Record), eu recebi muitas críticas, mas gostei porque uma menina me falou: "Olha, eu estava assistindo ao programa, gostei, comprei o CD e me converti, estou na igreja".

Guia-me: Você leva a música gospel para ambientes não cristãos. Como você analisa quando o músico é evangélico, mas trabalha com o secular?

Regis Danese: É muito complicado. Eu prefiro não julgar porque foi através de um evangélico que foi lá no "Só pra Contrariar" cantar pagode, através da vida dele, que deu um bom testemunnho, que eu encontrei Jesus. Então, eu prefiro não julgar, quem sou eu para julgar? Mas eu não iria.

Guia-me: Quais são os próximos sonhos de Deus para teu ministério? Algo que você queira muito fazer para o Senhor?

Regis Danese: Olha, tem muito a fazer. Tem muitos países esperando a gente.

Guia-me: Algum em especial?

Regis Danese: Não. Eu gosto tanto de ficar aqui no Brasil! Mas vou ter que ir para fazer a vontade do Pai. Por mim ficava aqui com a minha família, mas tenho que atender ao chamado do Senhor e fazer a obra Dele, porque senão quem paga o preço sou eu. Quando eu não queria fazer a obra de Deus, Ele falou para mim assim: "Se você não fizer a minha obra, você vai pagar um preço muito alto". Foi onde eu encarei o ministério, até então eu não queria. A África me espera, o Japão me espera, lugares que precisam ouvir a palavra de Deus.

É muito bom ministrar nos Estados Unidos, né? Mas tenho que ir ao lugar mais difícil, onde a Palavra não chegou ainda na mesma proporção, o que é diferente do Brasil, onde temos livre acesso.

Foto: Getúlio Camargo

veja também