Sobre vocação, Nelson Bomilcar destaca a diferença entre ser profeta e ser poeta

Nelson Bomilcar destaca a diferença entre ser profeta e ser poeta

Atualizado: Sexta-feira, 30 Novembro de 2012 as 11:54

 

Através do twitter, Nelson Bomilcar lamenta a banalização da vocação e do dom pastoral, inclusive nos músicos que são consagrados ao pastorado.
 
Em uma sequência de publicações, ele fala da unção de músicos em busca de credibilidade ministerial de alguns líderes.
 
Confira o que escreveu Bomilcar:
 
 
"Tragédia na igreja. Desde 1989 ver líder religioso "ungir" seus músicos em pastores, já que não tinham credibilidade. A moda pegou no gospel
 
Banalização da vocação pastoral. Cantores/cantoras serem declarados pastores/apóstolos sem nenhuma credibilidade, já que cantam mentiras.
 
Pastores pentecostais/neopentecostais ungem músicos para trazer credibilidade para seus pseudo-ministérios. Promovem mega cultos de extorsão.
 
É preciso pregar o evangelho de 1 Co 15:1-3 e sua cultura e valores ensinadas por Jesus no Sermão do Monte Mt 5-7. Encorajamento mútuo.
 
É tempo de profetizar com a vida. Vida de submissão e obediência aos ensinos de Jesus. Amar e servir a Deus e ao próximo, fazendo discípulos.
 
Ser profeta. Boca e coração de Deus no mundo. Ser poeta. Boca e coração dos homens na terra.
 
Vocação/dom pastoral estão banalizados. Uma enxurrada de pseudo-pastores, inclusive músicos, desconhece as raízes da vocação pastoral. Triste."
 
 

veja também