UE reconhece possível reestruturação da dívida grega

UE reconhece possível reestruturação da dívida grega

Atualizado: Terça-feira, 17 Maio de 2011 as 12:16

* AUTORIDADES DA ZONA DO EURO FALAM EM REESTRUTURAÇÃO - REUTERS

* MINISTROS GREGOS SE DIZEM ABERTOS À IDEIA - Autoridades da zona do euro reconheceram nesta terça-feira, pela primeira vez, que a Grécia pode ter que reestruturar sua dívida.

Jean-Claude Juncker, que preside o Eurogroup, afirmou que é necessário avançar para o que chamou de "reestruturação branda" da dívida grega.

A prioridade da Grécia é levantar 50 bilhões de euros de privatizações e honrar a dívida, que chega a quase 150 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), disse. Mas alguma forma de reestruturação da dívida deve ser considerada.

"Se a Grécia fizer todos esses esforços, então devemos ver se é possível fazer uma reestruturação branda da dívida grega. Eu sou totalmente contrário a uma grande reestruturação", acrescentou.

Autoridades gregas rapidamente confirmaram a possibilidade. Os ministros do Trabalho e das Relações Exteriores disseram que Atenas estava preparada para discutir uma "reestruturação branda".

"Uma solução possível pode ser ampliar os vencimentos de modo voluntário com a participação de todos", afirmou a ministra do Trabalho, Louka Katseli.

Grécia e Espanha fizeram leilões bem-sucedidos de títulos públicos nesta terça-feira, mas o custo do seguro da dívida grega contra default aumentou.

Por semanas, importantes autoridades europeias negaram a ideia de uma reestruturação da dívida. Mas analistas acreditam que, no caso da Grécia, isso é inevitável dado o tamanho do endividamento e a incapacidade de o governo financiá-lo.

O vice-ministro das Finanças da Alemanha disse que os credores privados de bônus da Grécia devem aderir voluntariamente a uma reestruturação da dívida se Atenas não conseguir fazer mais reformas fiscais. Como convencer os credores a fazer isso é a grande questão.

Falando a repórteres durante um encontro de ministros das Finanças da União Europeia, Joerg Asmussen disse que a situação das finanças da Grécia é tão ruim que uma equipe da UE, do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Central Europeu (BCE) vai ter que passar uma semana a mais em Atenas para conseguir ficar a par dos problemas.

(Com reportagem adicional de Luke Baker, Noah Barkin, George Georgiopoulos e William James)

veja também