MENU

83% das empresas vê capacidade produtiva suficiente para 2012

83% das empresas vê capacidade produtiva suficiente para 2012

Atualizado: Sexta-feira, 2 Dezembro de 2011 as 12:28

Oito em cada dez empresas prevê que sua capacidade produtiva será suficiente para atender à demanda esperada em 2012, ano em que a procura por produtos e serviços será marcada pelos efeitos da crise financeira interanacional, revela pesquisa divulgada nesta sexta-feira (2) pela Confederação Nacional da Indústria ( CNI ). O levantamento foi feito com 592 empresas do país, entre 14 de outubro e 14 de novembro deste ano.

Os números mostram que somente 16,4% das empresas afirmaram que sua capacidade de produção é inferior à demanda estimada para 2012. Para 17,7% dos pesquisados, suas empresas irão operar com "capacidade ociosa" no próximo ano, ou seja, abaixo de sua capacidade de produção, para atender à demanda prevista. Outros 65,9% acreditam que sua capacidade produtiva já é "adequada" para atender à procura por seus produtos. Deste modo, 83,6% das empresas veem sua capacidade suficiente para o próximo ano.

"É um cenário mais fraco [para os investimentos], que acompanha a moderação da atividade e as expectativas [dos empresários]. A principal dificuldade está aliada à incerteza. É um cenário que indica uma postura mais cautelosa em relação ao investimentos do que se iniciou no ano de 2011", disse o chefe da Unidade de Política Econômica da CNI, Flavio Castelo Branco.

Os dados da pesquisa mostram que os empresários estão preocupados com as turbulências externas e seus impactos na economia brasileira. A percepção de "incerteza econômica" em 2012 somou 75,7% dos entrevistados, contra 59% para o ano de 2011 e 69,8% para 2009 - ano também marcado pelos efeitos da primeira etapa da crise financeira.

Aquisições de máquinas e equipamentos

Apesar da percepção de que sua capacidade produtiva será suficiente para o próximo ano, e das incertezas advindas do cenário internacional, o levantamento também mostra que 86,6% dos entrevistados pretendem comprar máquinas e equipamentos.

Entretanto, o chamado "índice de difusão" dos investimentos, indicador que mede se o percentual de expectativa de aquisição de máquinas subirá de um ano para o outro, neste caso de 2011 para 2012, somou 55,7 pontos para 2012. É mais baixo do que o percentual de 2010 (61,2 pontos) e de 2011 (60,3 pontos). Entretanto, está acima do nível de 2009 (35,9 pontos).

"Muitas empresas querem comprar máquinas para melhoria do processo produtivo. Não necessariamente para aumentar a produção. Compra para se manter competitivo", explicou o economista da CNI, Marcelo Azevedo.

Grande parte das máquinas e equipamentos que a indústria pretende comprar em 2012, porém, será importada, segundo os dados da pesquisa da CNI. Das empresas consultadas, 62,7% pretendem comprar máquinas e equipamentos fabricados no exterior. Daqueles que pretendem comprar máquinas importadas, 35% avaliam que a participação dos importados no total das compras avançará.    

veja também