MENU

Acionistas do Casino apoiam saída de Abilio Diniz do conselho

Acionistas de grupo francês votam pela saída de Abilio Diniz

Atualizado: Sexta-feira, 11 Maio de 2012 as 10:56

A maioria esmagadora dos acionistas do Casino votou nesta sexta-feira (11) a favor da decisão do grupo varejista francês de remover dois membros do seu Conselho de Administração, entre eles o empresário Abilio Diniz, informou o Casino no Brasil ao G1. 


Casino havia informado em março que seu conselho de diretores havia proposto a não renovação do mandato do presidente do conselho do Grupo Pão de Açúcar, após disputa travada pela tentativa do empresário de adquirir o Carrefour no Brasil, principal rival do Casino na França.


Também em março, o varejista francês havia informado ter enviado notificação ao empresário brasileiro sobre a decisão de exercer o direito de nomear o presidente do Conselho de Administração da Wilkes, holding de controle do Grupo Pão de Açúcar (GPA). A reorganização do controle acionário do GPA  está prevista para 22 de junho.
O conselho também propôs não renovar o mandato de Philippe Houze, presidente da varejista Monoprix, cujo controle é compartilhado pelo Casino e pela Galeria Lafayette. A Monoprix tem sido alvo de uma disputa por participação e controle entre ambas as companhias.


Os acionistas do Casino votaram a favor das propostas relacionadas a Diniz e a Houze em 99,74% e 99,85%, respectivamente.
Procurada pelo G1, a assessoria de imprensa do empresário Abílio Diniz disse que não voltaria a se pronunciar sobre o assunto, uma vez que já havia comentado a decisão tomada pelo conselho da empresa no fim de março.


Na ocasião, o empresário disse, em nota, que "durante os últimos doze anos, mesmo em momentos difíceis, defendeu os interesses do Casino e de seus acionistas, mantendo o compromisso de apoiar a companhia. Abilio Diniz espera que o Casino faça o mesmo enquanto acionista do Grupo Pão de Açúcar. O empresário informa ainda que mantém a posição de Presidente do Conselho de Administração do GPA".


Entenda o caso
O grupo francês conseguiu em julho do ano passado derrotar Abilio Diniz e seu rival Carrefour, que desejavam uma fusão das atividades das empresas no Brasil. O Carrefour anunciou na ocasião ter recebido uma proposta da empresa brasileira Gama, controlada pelo fundo BTG Pactual, supostamente com o apoio financeiro do BNDES, para criar uma coempresa com as atividades locais do Carrefour e GPA.


A fusão criaria um gigante brasileiro do setor de distribuição, com vendas anuais de 40 bilhões de dólares. Mas o conselho de administração do Casino rejeitou a oferta de fusão e o BNDES não confirmou o apoio, o que impediu o avanço do projeto de fusão.

Na ocasião, o Casino argumentou que a fusão teria o objetivo de impedir que o grupo assumisse o controle do Pão de Açúcar em 2012, como prevê acordos assinado em 2005.

veja também