MENU

Ações da Telebrás desabam 13% na Bovespa

Ações da Telebrás desabam 13% na Bovespa

Atualizado: Quarta-feira, 24 Março de 2010 as 12

As ações da estatal Telebrás sofrem fortes perdas na rodada de negócios desta quarta-feira na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo).

A ação preferencial da Telebrás desvaloriza 13,01%, sendo negociada por R$ 1,47, e giro de R$ 14,94 milhões, com pouco mais de meia hora de pregão. O índice Ibovespa, principal termômetro dos negócios da Bolsa paulista, cede 0,47% no mesmo horário.

Conforme reportagem da Folha publicada hoje, o Tesouro Nacional emitiu nota técnica em que condena a reativação da Telebrás pelo governo Lula para gerir seu programa de banda larga, perspectiva que tem valorizado as ações da estatal.

É a segunda autoridade do governo a se opor à ideia. Na semana passada, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, já levantara publicamente restrições a que a estatal seja reativada.

Risco jurídico

Desde que o setor foi privatizado, em 1998, a função da Telebrás é administrar dívidas e pagá-las com receitas que obtém por meio das aplicações de seus recursos no mercado bancário.

Para o Tesouro, a estatal está exposta a muitas ações judiciais (era ré em 1.189 ações até o fim de 2009), e há risco de "contaminar" os ativos que seriam usados no programa de banda larga.

Segundo a Folha apurou, a nota técnica do Tesouro é vista como "consistente", embora a Casa Civil não esteja convencida dos argumentos das Comunicações e da equipe econômica.

Licitar a rede de fibras ópticas das estatais do setor elétrico, com 16.000 km, é uma das opções que o governo estuda para viabilizar o programa. Outra é usar os Correios ou o Serpro.

veja também