MENU

Alimentos caem e São Paulo tem deflação

Alimentos caem e São Paulo tem deflação

Atualizado: Segunda-feira, 5 Março de 2012 as 8:55

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na capital paulista, teve variação negativa de 0,07% em fevereiro, ante alta de 0,66% em janeiro, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta segunda-feira (5).

Na terceira quadrissemana de fevereiro, o IPC-Fipe havia registrado acréscimo de 0,07%. Nos 12 meses até janeiro, a inflação pelo IPC chegou a 5,23%.

Todos os índices que compõem o IPC apresentaram queda da terceira para a quarta quadrissemana de fevereiro. O grupo habitação teve ligeira baixa no fechamento do mês. A inflação recuou de 0,43% na terceira prévia para 0,40% no levantamento final. Mesmo assim, ainda ficou acima do índice fechado de janeiro, que foi de 0,31%.

Já o grupo alimentação continuou em desaceleração. Depois de registrar inflação de 0,50% em janeiro, teve uma deflação de 0,88% na terceira leitura do fevereiro e passou para uma deflação de 0,98% no encerramento do mês.

Transportes registrou novamente recuo. Saiu de uma inflação de 0,31% no primeiro mês de 2012 para uma deflação de 0,06% na terceira quadrissemana de fevereiro e fechou o mês com deflação de 0,16%. O mesmo ocorreu com o item despesas pessoais. Após inflação de 0,87% em janeiro, baixou para 0,45% na terceira parcial do segundo mês do ano e fechou o levantamento mensal com 0,25%.

O índice Saúde teve desempenho parecido com o da habitação. Em janeiro, apresentou inflação de 0,40%, porcentual que avançou para 0,76% na terceira quadrissemana de fevereiro. Porém, no fechamento do mês, recuou para 0,50%. O segmento vestuário manteve-se no campo deflacionário. De uma deflação de 0,37% no terceiro levantamento de fevereiro, encerrou o mês com uma deflação de 0,44%. Porém, em janeiro, havia sido responsável por uma inflação de 0,60%.

O segmento educação manteve a tendência de queda porcentual. Por conta principalmente das compras escolares, teve uma forte inflação de 6,42% em janeiro. Este índice, contudo, foi caindo drasticamente a cada semana de fevereiro. Na terceira prévia, foi de 1,57% e recuou, agora, no fechamento do mês, para 0,47%.

veja também