MENU

Alimentos e transportes desaceleram e IGP-DI recua em junho

Alimentos e transportes desaceleram e IGP-DI recua em junho

Atualizado: Quinta-feira, 7 Julho de 2011 as 9:45

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) saiu de leve alta de 0,01% em maio para recuo de 0,13% em junho, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira (7) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Em 12 meses, o indicador tem alta de 8,63% e, no ano, de 2,95%. Em maio, a inflação em 12 meses ficara em 9,14%.

  O IGP-DI é indexador das dívidas dos estados com a União. Também faz parte de uma cesta de índices usados para correção das tarifas de telefonia.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) recuou 0,19%. No mês anterior, a taxa foi de -0,63%. O índice de bens finais recuou 0,21%. No mês anterior, a taxa foi de &S208;0,45%. O índice do grupo bens intermediários apresentou taxa de variação de 0,01%. No mês anterior, o grupo assinalou taxa de &S208;0,41%. No estágio das matérias&S208;primas brutas, a taxa de variação avançou de &S208;1,10%, em maio, para &S208;0,44%, em junho.

Preços ao consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou queda de 0,18%, abaixo da apurada no mês anterior, de 0,51%. Houve desacelerações em 5 das 7 classes de despesa componentes do índice, com destaque para o grupo alimentação, cuja taxa passou de 0,47%, em maio, para &S208;1,03%, em junho. Nesse grupo, vale destacar o comportamento dos preços dos itens: hortaliças e legumes (3,08% para &S208;3,99%), frutas (&S208;2,23% para &S208;7,02%) e laticínios (2,23% para 0,21%).

Também apresentaram decréscimo em suas taxas os grupos: Transportes (0,01% para &S208;1,09%), Habitação (0,83% para 0,38%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,60% para 0,53%) e Despesas Diversas (0,19% para 0,13%).

Custo da construção

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em junho, variação positiva de 0,37%, também abaixo do resultado do mês anterior, de 2,94%. 2,94%. Os três grupos componentes do índice apresentaram desaceleração: materiais e equipamentos, de 0,49% para 0,41%, serviços, de 0,57% para 0,28%, e mão de obra, de 5,48% para 0,36%.          

veja também