MENU

Alimentos sobem após quatro meses e puxam alta da inflação oficial

Alimentos sobem após quatro meses e puxam alta da inflação oficial

Atualizado: Quarta-feira, 9 Dezembro de 2009 as 12

Depois de quatro meses de queda, os preços dos alimentos voltaram a subir em novembro e pressionaram para cima o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em sua terceira alta mensal consecutiva, a taxa alcançou 0,41% no mês passado, a maior desde maio, quando ficara em 0,47%.

No ano, o IPCA acumula alta de 3,93%, abaixo da variação de 5,61% registrada no mesmo período de 2008. Em 12 meses, o índice alcançou 4,22%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Principal pressão de alta sobre a inflação oficial, o grupo alimentação e bebidas registrou alta de 0,58%, após uma deflação de 0,09% no mês anterior. Com alta de 26,06%, a batata-inglesa foi o item que mais pesou no bolso do consumidor. Os brasileiros também pagaram, em novembro, 11,43% mais caro pela cebola, 5,74% a mais pela cenoura e 4,43% a mais pelo óleo de soja.

O IPCA é considerado a ''inflação oficial'' do país por ser a utilizada para o cálculo da meta de inflação do governo federal, que é de 4,5% ao ano. O índice é calculado pelo IBGE desde 1980 e se refere às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos.

Combustíveis têm nova alta

Embora em ritmo mais lento do que no mês anterior, os preços dos combustíveis continuaram subindo. A alta foi de 1,12%, em novembro, contra 1,74% em outubro. O litro do álcool combustível ficou 4,61% mais caro enquanto o da gasolina subiu 0,85%.

Influenciado pela alta de 18,03% nas passagens aéreas, os gastos com transporte também tiveram alta maior em novembro, de 0,61%, ante 0,51% no mês anterior, segundo o IBGE.

Também subiram de outubro para novembro as taxas dos grupos despesas pessoais (de 0,20% para 0,55%) e artigos de residência (de 0,38% para 0,43%).

Em sentido contrário, ficaram menores as variações de habitação (de 0,28% para 0,19%), vestuário (de 0,64% para 0,58%), saúde (de 0,30% par a0,24%), educação (de 0,04% para 0,01%) e comunicação (de 0,91% para 0,01%).

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para famílias de baixa renda, que ganham de um a seis salários mínimos, também ficou maior em novembro, passando de 0,24% no mês anterior para 0,37%.

No ano, o INPC acumula alta de 3,86%, abaixo do acumulado em igual período de 2008, quando ficara em 6,17%. Em 12 meses, o resultado ficou acumulado em 4,17%.

veja também