MENU

Após IOF maior, participação de estrangeiro na dívida cai pelo 2º mês

Após IOF maior, participação de estrangeiro na dívida cai pelo 2º mês

Atualizado: Segunda-feira, 20 Dezembro de 2010 as 4:09

A participação de investidores estrangeiros na dívida pública federal interna registrou queda de outubro, quando somou 10,19% de todo endividamento, para 10,03% em novembro, informou nesta segunda-feira (25) o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública do Tesouro Nacional, Fernando Garrido.

Em outubro e novembro, o estoque de títulos públicos nas mãos de investidores estrangeiros ficou estável em R$ 155,3 bilhões. "Mas como a dívida total subiu no mês passado, a participação dos investidores estrangeiros recuou", explicou Garrido a jornalistas.

Segundo ele, a "parada técnica" de um apetite maior dos investidores estrangeiros por títulos da dívida federal interna se deve ao aumento do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF), que foi autorizado em outubro deste ano pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Na ocasião, o IOF para aplicações de investidores de outros países em renda fixa (o que inclui títulos públicos) subiu de 2% para 6%. O objetivo é evitar uma queda maior do dólar, fator que prejudica as vendas externas brasileiras em um momento em que vários países buscam desvalorizar suas moedas - a chamada "guerra cambial".

"Para investidores de médio e longo prazo, dada a estabildiade econômica, o Brasil continua a ser um destino atraente para investimentos. Mas, para dois meses, é um prazo muito curto para avaliar [se o fluxo para o Brasil vai parar]. E os resultados que temos até agora são exatamente o esperado", concluiu Garrido, do Tesouro Nacional.

Por: Alexandro Martello

veja também