MENU

Atividade econômica desacelera em agosto, aponta Serasa

Atividade econômica desacelera em agosto, aponta Serasa

Atualizado: Terça-feira, 25 Outubro de 2011 as 10:37

A atividade econômica brasileira desacelerou em agosto, segundo aponta o Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica, também conhecido como PIB Mensal, divulgado nesta terça-feira (25).

Segundo o indicador, o crescimento econômico no país foi de 0,1% em agosto, sem influências sazonais. A taxa é inferior à alta de 0,3% registrada em julho. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o crescimento da atividade econômica foi de 3,1% em agosto. No ano, o indicador acumula alta de 3,5% e, em 12 meses, de 4,1%.   "A atividade econômica somente não registrou variação mensal negativa em agosto de 2011 porque ainda foi registrada elevação de 0,3% no setor de serviços. Já a atividade da indústria expandiu-se de 0,2% no mês de agosto e, por sua vez, o setor agropecuário registrou avanço de 0,1%", disse a Serasa, por meio de nota.

O crescimento da economia do país segue sendo puxado pelo consumo das famílias, que mostrou aumento de 0,7% em agosto, acumulando alta de 5,8% no período de janeiro a agosto. Após apresentaram recuo de 2,6% em julho, os investimentos se recuperaram e subiram 1,5% em agosto. O consumo do governo também cresceu: 0,2% em agosto. O setor externo, com as importações crescendo mais que as exportações (2,2% contra 1,8%), também contribuiu para segurar o crescimento da atividade econômica em agosto.

Com a alta de 0,1% da atividade econômica no mês de agosto, a taxa de crescimento trimestral passou de 0,6% no trimestre encerrado em julho para 0,5% nos três meses até agosto, "confirmando a atual trajetória de desaceleração da economia brasileira".

Na avaliação da Serasa, essa desaceleração é consequência das medidas de aperto fiscal e monetário introduzidas pelo governo contra a alta da inflação e também do agravamento do quadro externo e da alta das importações.

"Assim, a nova postura de redução da taxa básica de juros, em vigor desde o final de agosto, ainda demorará um pouco para surtir efeitos benéficos sobre o ritmo de crescimento econômico brasileiro", afirmam os economistas da Serasa Experian.

      Fonte :G1

veja também