MENU

Aumento de salários é risco para estabilidade da inflação, diz BC

Aumento de salários é risco para estabilidade da inflação, diz BC

Atualizado: Quinta-feira, 30 Setembro de 2010 as 12:24

Apesar da perspectiva mais otimista do Banco Central (BC) para o comportamento dos preços, que consta no Relatório Trimestral de Inflação, divulgado nesta quinta-feira, a autoridade monetária fez uma ressalva no documento alertando que um risco importante para a não concretização do cenário central advém das condições do mercado de trabalho.

Segundo o BC, o nível de emprego tem crescido de forma vigorosa, e atingiu a mais baixa taxa de desemprego desde o início da série histórica, em março de 2002. "O rendimento médio real, depois de oscilar ao longo de 2009, tem crescido desde o início do ano. O risco nessas situações é o de que o aquecimento no mercado de trabalho leve à concessão de aumentos nominais dos salários em níveis não compatíveis com o crescimento da produtividade, o que, em ambiente de demanda aquecida, tendem a ser repassados aos preços ao consumidor."

A projeção do Banco Central para a inflação oficial medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2010 foi reduzida de 5,4% para 5% pela autoridade monetária.

Para 2011, a estimativa para o IPCA caiu de 5% para 4,6%. Segundo o BC, as projeções são feitas com base na expectativa de manutenção da taxa de câmbio em R$ 1,75 por dólar e a taxa Selic (juro básico da economia) em 10,75% ao ano. No documento anterior, referente a junho, as previsões foram construídas com câmbio em R$ 1,80 e taxa Selic de 10,25%.

Estimativas revisadas

O BC também divulgou a revisão das estimativas trimestrais para a inflação. No acumulado de 12 meses no primeiro trimestre de 2011, a expectativa recuou de 4,9% para 4,4%. Para os 12 meses encerrados ao fim do segundo trimestre do próximo ano, a estimativa caiu de 4,8% para 4,4%. Para o terceiro trimestre de 2011, a previsão cedeu de 5% para 4,7%.

O BC também reduziu a estimativa para a inflação acumulada em 12 meses até o primeiro trimestre de 2012 de 5,1% para 4,7%. Já para o segundo trimestre de 2012, a estimativa cedeu de 4,8% para 4,4%. Por fim, o BC estimou pela primeira vez o IPCA em 12 meses até o fim do terceiro trimestre de 2012, em 4,4%. O centro da meta de inflação para 2010, 2011 e 2012 é de 4,50%, com margem de dois pontos para cima ou para baixo.       Postado por: Guilherme Pilão

veja também