MENU

Avião da Embraer pode ser customizado de 5 mil formas diferentes

Avião da Embraer pode ser customizado de 5 mil formas diferentes

Atualizado: Quinta-feira, 12 Agosto de 2010 as 12:07

Quem tem US$ 49,25 milhões (o equivalente a R$ 87 milhões, em valores de hoje) para gastar num avião executivo está à procura de um avião único. Quer uma ferramenta que ajude a aumentar a produtividade do negócio, conforto para descansar durante as viagens, autonomia para percorrer dois destinos sem escalas e um design exclusivo. De olho no nível de exigência dos compradores dos aviões de grande porte, a Embraer oferece para seus clientes um leque de opções na hora de decorar sua aeronave. Entre as opções, coisas simples, como a cor e o tipo do couro usado no acabamento dos assentos da cabine, até algo mais luxuoso, como uma televisão de 42 polegadas numa sala de TV e uma máquina de café da marca Nespresso na cozinha. O comprador pode escolher entre centenas de materiais e cores que, juntas, oferecem até cinco mil diferentes tipos de customizações da cabine. “A possibilidade de combinações é muito grande”, disse ao iG Augusto Salgado da Rocha, gerente de estratégia de produto da Embraer. “Não existem dois aviões iguais”.

A customização do Lineage 1000 é um processo longo, que começa na cabine de passageiros. Com 115 metros quadrados de área útil, ela é dividida em nove zonas onde são instalados assentos, mesas, sofás, camas e escritórios. Cada uma dessas zonas tem até seis módulos diferentes. Ou seja, é possível definir onde fica a sala de jantar, o quarto e até a sala de TV. O próximo passo é escolher os acabamentos, hora em que o número de opções se multiplica. Tome como exemplo o couro dos assentos: são 35 tipos diferentes, desde couro de vaca até de carneiro. Quando o assunto é o tecido que será usado para forrar as paredes internas da aeronave, o leque de opções fica ainda maior. São 700 tipos diferentes de tecidos em cores e materiais variados. É possível customizar a iluminação, o tipo de acabamento de madeira que vai cobrir as mesas, o carpete. A combinação de todas as opções faz com que o Lineage tenha até cinco mil tipos diferentes de customização.

A Embraer garante que até hoje nenhum cliente pediu algum material ou design que não estivesse no catálogo do Lineage 1000. Caso isso aconteça, o dono do avião tem duas opções. Uma delas é pedir para que a fabricante de aviões acrescente o material novo no avião, faça testes (que inclui desde o peso até o grau de flamabilidade) e certifique as mudanças com os órgãos responsáveis, como a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O trabalho pode levar de seis meses a dois anos para ficar pronto e seu preço varia de acordo com o pedido. Se for algo muito extravagante, que não será usado em outro avião, o proprietário tem de arcar com os custos. Caso a Embraer acredite que pode aproveitar a dica no seu catálogo, esse valor é diluído com outros compradores. A outra opção é procurar empresas especializadas na customização de aviões. Algumas são ligadas a companhias áreas, como é o caso da alemã Lufthansa Technik ou da inglesa Design Q.

A Design Q, aliás, é a empresa responsável por um dos projetos mais audaciosos de customização de aviões no mundo. A pedido de um príncipe saudita cujo nome não foi revelado (especula-se que seja Alwaleed bin Talal bin Abdulaziz Al-Saud, sobrinho do rei Abdullah, da Arábia Saudita), ela está redesenhando o interior de um A380, maior avião comercial do mundo. O projeto tem como objetivo transformar a aeronave num espécie de palácio voador. Ao todo, ela terá quatro suítes com cama de casal tamanho King Size e um tapete virtual que será usado pelos muçulmanos para rezar em direção a Meca, o local mais sagrado do mundo para o islamismo. Ele terá também uma sala com banho turco, sala de concerto para até dez pessoas, garagem para o automóvel Bentley e elevador panorâmico que desce até a pista para buscar os passageiros. Quando estiver pronto, vai custar US$ 300 milhões.

De acordo com a Embraer, os árabes são os responsáveis pelos pedidos mais extravagantes na hora de desenhar o interior de um avião. Um dos pedidos mais comuns vindos do Oriente Médio são torneiras folheadas a ouro para serem usadas nos lavabos. O motivo é cultural. Eles estão acostumados com esse tipo de acabamento em suas casas e querem levá-lo a bordo de seus aviões. Outros pedidos que, no passado, foram considerados estranhos acabaram caindo no gosto comum. É o caso dos chuveiros. Antes nenhum avião oferecia aos passageiros a chance de tomar um banho. Hoje, o Lineage 1000 tem lugar para até dois deles. Não é qualquer material, no entanto, que pode ser usado para decorar uma aeronave. O mármore é um exemplo. A pedra deixa o avião mais pesado, faz com que ela gaste mais combustível durante o voo e compromete sua autonomia. Por esses motivos, é muito difícil que um órgão dê sinal verde para que ele seja usado no piso das cabines.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também