MENU

Bancários fazem assembleia nesta segunda-feira para decidir greve

Bancários fazem assembleia nesta segunda-feira para decidir greve

Atualizado: Segunda-feira, 5 Outubro de 2009 as 12

Os bancários, em greve há 12 dias, realizam uma nova assembleia a partir das 17 horas desta segunda-feira, 5 de outubro, para decidir os rumos do movimento. A continuação da greve foi decidida pelos trabalhadores após duas rodadas de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), realizadas nos dias 1º e 2 de outubro, que terminaram sem acordo.

Os negociadores da Fenaban afirmaram que encaminharam as simulações discutidas aos respectivos bancos e que agora quem decide são os donos dos bancos, de acordo com o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

Segundo o sindicato, além das agências bancárias da região central da capital paulista e da Avenida Paulista, a paralisação será mais concentrada nos prédios administrativos onde estão escritórios dos presidentes dos bancos.

Balanço

Na última sexta, 7.053 agências bancárias ficaram fechadas e a greve atingiu todos os estados e o Distrito Federal, segundo a confederação. Em São Paulo, 32 mil trabalhadores de 740 locais de trabalho ficaram parados, segundo o sindicato dos bancários da cidade.

As áreas das agências bancárias que concentram os caixas eletrônicos e outros terminais de autoatendimento estão sendo mantidas abertas, para que os clientes possam usá-las, segundo o sindicato dos bancários em São Paulo.

Os bancários, em greve há 12 dias, realizam uma nova assembleia a partir das 17 horas desta segunda-feira, 5 de outubro, para decidir os rumos do movimento. A continuação da greve foi decidida pelos trabalhadores após duas rodadas de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), realizadas nos dias 1º e 2 de outubro, que terminaram sem acordo.

Os negociadores da Fenaban afirmaram que encaminharam as simulações discutidas aos respectivos bancos e que agora quem decide são os donos dos bancos, de acordo com o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

Segundo o sindicato, além das agências bancárias da região central da capital paulista e da Avenida Paulista, a paralisação será mais concentrada nos prédios administrativos onde estão escritórios dos presidentes dos bancos.

Balanço

Na última sexta, 7.053 agências bancárias ficaram fechadas e a greve atingiu todos os estados e o Distrito Federal, segundo a confederação. Em São Paulo, 32 mil trabalhadores de 740 locais de trabalho ficaram parados, segundo o sindicato dos bancários da cidade.

As áreas das agências bancárias que concentram os caixas eletrônicos e outros terminais de autoatendimento estão sendo mantidas abertas, para que os clientes possam usá-las, segundo o sindicato dos bancários em São Paulo.

Os bancários, em greve há 12 dias, realizam uma nova assembleia a partir das 17 horas desta segunda-feira, 5 de outubro, para decidir os rumos do movimento. A continuação da greve foi decidida pelos trabalhadores após duas rodadas de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), realizadas nos dias 1º e 2 de outubro, que terminaram sem acordo.

Os negociadores da Fenaban afirmaram que encaminharam as simulações discutidas aos respectivos bancos e que agora quem decide são os donos dos bancos, de acordo com o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

Segundo o sindicato, além das agências bancárias da região central da capital paulista e da Avenida Paulista, a paralisação será mais concentrada nos prédios administrativos onde estão escritórios dos presidentes dos bancos.

Balanço

Na última sexta, 7.053 agências bancárias ficaram fechadas e a greve atingiu todos os estados e o Distrito Federal, segundo a confederação. Em São Paulo, 32 mil trabalhadores de 740 locais de trabalho ficaram parados, segundo o sindicato dos bancários da cidade.

As áreas das agências bancárias que concentram os caixas eletrônicos e outros terminais de autoatendimento estão sendo mantidas abertas, para que os clientes possam usá-las, segundo o sindicato dos bancários em São Paulo.

Os bancários, em greve há 12 dias, realizam uma nova assembleia a partir das 17 horas desta segunda-feira, 5 de outubro, para decidir os rumos do movimento. A continuação da greve foi decidida pelos trabalhadores após duas rodadas de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), realizadas nos dias 1º e 2 de outubro, que terminaram sem acordo.

Os negociadores da Fenaban afirmaram que encaminharam as simulações discutidas aos respectivos bancos e que agora quem decide são os donos dos bancos, de acordo com o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

Segundo o sindicato, além das agências bancárias da região central da capital paulista e da Avenida Paulista, a paralisação será mais concentrada nos prédios administrativos onde estão escritórios dos presidentes dos bancos.

Balanço

Na última sexta, 7.053 agências bancárias ficaram fechadas e a greve atingiu todos os estados e o Distrito Federal, segundo a confederação. Em São Paulo, 32 mil trabalhadores de 740 locais de trabalho ficaram parados, segundo o sindicato dos bancários da cidade.

As áreas das agências bancárias que concentram os caixas eletrônicos e outros terminais de autoatendimento estão sendo mantidas abertas, para que os clientes possam usá-las, segundo o sindicato dos bancários em São Paulo.

veja também