MENU

Banco Popular da China anuncia que vai flexibilizar moeda do país

Banco Popular da China anuncia que vai flexibilizar moeda do país

Atualizado: Segunda-feira, 21 Junho de 2010 as 7:51

A China disse que vai deixar o iuan gradualmente mais flexível como parte dos esforços para melhorar seu regime de taxa de câmbio, informou a agência de notícias oficial Xinhua neste sábado (19), citando o Banco Popular da China.

Pequim tem estado sob forte pressão, especialmente dos Estados Unidos para permitir que o iuan se valorize a fim de ajudar a reduzir os desequilíbrios globais da economia, incluindo o enorme déficit comercial entre os EUA e a China.

O câmbio está fixo na China há 23 meses.

''É desejável prosseguir adiante com a reforma no regime da taxa de câmbio RMB e aumentar a flexibilidade da taxa de câmbio RMB'', afirmou o Banco Popular da China.

O iuan também é chamado de renminbi, ou RMB.

O BC chinês descartou uma valorização de uma só vez ou maior apreciação como muitos críticos esperavam, afirmando que ''não havia base para grandes flutuações ou mudanças'' na taxa de câmbio.

Entretanto, ficou claro que a China pretende com seu anúncio - publicado em inglês ao mesmo tempo que em chinês - marcar o fim da rigidez de facto da cotação do iuan em relação do dólar, que tem sido defendida como uma ''política especial'' para proteger a economia da crise financeira global.

Ainda é preciso esperar se o anúncio será suficiente para apaziguar os críticos, especialmente os parlamentares norte-americanos, que dizem que uma moeda chinesa subvalorizada dá uma vantagem comercial injusta.

''A economia global está se recuperando gradualmente. A recuperação e a retomada da economia chinesa se tornou mais sólida com a estabilidade econômica reforçada'', disse o banco central chinês no comunicado em seu website.

FMI elogia

A decisão chinesa é uma iniciativa bem-vinda que ajudará os consumidores chineses, afirmou neste sábado o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional, Dominique Strauss-Kahn.

A decisão do Banco Central da China de ''aumentar a flexibilidade da taxa cambiária e voltar ao regime de flutuação controada de antes da crise financeira global é bem-vinda'', afirmou Strauss-Kahn em um comunicado, acrescentando que um iuan mais forte se ajusta ao processo de avaliação mútua que os países do Gruo dos 20 discutirão em Toronto a partir da próxima semana.

Da mesma forma, a decisão ajudará a manter as rendas dos lares chineses e dará incentivos de investimento às indústrias que servem aos cosnumidores chineses, afirmou Strauss Khan.

veja também