MENU

BB e Bradesco criam cartão ''brasileiro''

BB e Bradesco criam cartão ''brasileiro''

Atualizado: Quarta-feira, 28 Abril de 2010 as 12

De olho na inserção de cada vez mais brasileiros no sistema financeiro, Banco do Brasil (BB) e Bradesco criaram uma bandeira de cartões de crédito e débito 100% nacional. A nova empresa, batizada de Elo, nasce com patrimônio estimado entre R$ 15 bilhões e R$ 20 bilhões e vai concorrer com as tradicionais Visa, Mastercard e American Express.

"Uma bandeira nacional acaba sendo um projeto de afirmação do Brasil neste momento em que precisamos nos adaptar ao perfil do novo consumidor brasileiro", afirmou ao Estado o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, horas antes de participar da entrevista coletiva em que o negócio foi detalhado.

Segundo o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, a expectativa é de que os primeiros cartões cheguem ao mercado em 6 meses. O objetivo dos dois bancos é que, em cinco anos, a Elo tenha 15% do mercado. No fim do ano passado, havia 565 milhões de cartões de crédito e débito no País, que movimentaram R$ 444 bilhões.

A estimativa da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) é de que, neste ano, haja crescimento de 11%. BB e Bradesco têm uma fatia de mercado de aproximadamente 20% cada.

Ritmo forte. Trabuco e o vice-presidente do BB, Paulo Rogério Caffarelli, destacaram que o ritmo de expansão do mercado de cartões neste e nos próximos anos no Brasil será inferior apenas ao do crédito imobiliário.

No início, a Elo vai priorizar a expansão entre os não correntistas do BB e do Bradesco. Isso significa que vai investir em parcerias com empresas de outros segmentos da economia, sobretudo o varejo. A ideia, portanto, é ter como foco principal os cartões chamados de private label. Apesar disso, os executivos não quiseram citar nomes de companhias com as quais possa haver parcerias no futuro.

Tanto o BB quanto o Bradesco deixaram claro que a parceria envolverá apenas uma parte de seus negócios de cartões. Outra parte continuará funcionando como hoje. Isso significa que, para os clientes atuais, independentemente da bandeira (Visa, Mastercard ou American Express), nada mudará.

Controle. A Elo terá controle compartilhado entre os dois bancos, embora no papel o Bradesco tenha participação de 50,01% no capital e o BB, de 49,99%. "É apenas por uma questão jurídica", afirmou Caffarelli. Essa empresa será uma holding.

Embaixo da holding, haverá, a princípio, três divisões. A primeira delas, resumida como Negócios Bancários (Banco Elo), terá como foco os acordos com companhias para a emissão dos cartões private label.

A segunda, chamada de Administração e Serviços, cuidará da promoção da marca e abrigará a CBSS (antiga Visa Vale, empresa na qual BB e Bradesco também são sócios, com 45% cada um).

Por fim, haverá a divisão Participações, que terá sob o guarda-chuva a Cielo (ex-Visanet, que também tem BB e Bradesco como sócios principais, com participação de quase 29% cada um).

BB e Bradesco são, respectivamente, o primeiro e terceiro maiores bancos do País. Juntos, têm ativos totais que superam R$ 1,2 trilhão.

PARA LEMBRAR

Exclusividade acaba em julho

No dia 1.º de julho, acabará a exclusividade da Cielo (ex-Visanet) para processar as compras com cartões de crédito da bandeira Visa. Em 2009, a Redecard também deixou de ter exclusividade para processar os cartões da Mastercard. As medidas foram tomadas após pressão do governo e do Congresso para aumentar a concorrência no setor.

Por: Leandro Modé

veja também