MENU

BC baixa de 3,5% para 3% previsão de crescimento do PIB neste ano

BC baixa de 3,5% para 3% previsão de crescimento do PIB neste ano

Atualizado: Quinta-feira, 22 Dezembro de 2011 as 9:58

O Banco Central informou nesta quinta-feira (22), por meio do relatório de inflação do quarto trimestre, que a sua previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano recuou de 3,5% para 3%.

Essa é a terceira redução da estimativa do BC para o crescimento em 2011 - que estava em 4,5% no fim do ano passado, que depois caiu para 4% e para 3,5%.

"O Comitê avalia que está em curso moderação da expansão da demanda doméstica, em ambiente de perspectivas favoráveis para a evolução da atividade. Essa avaliação encontra suporte em sinais de que, apesar de indicarem arrefecimento, a expansão da oferta de crédito tende a persistir tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas e pelo fato de a confiança dos consumidores se encontrar em níveis elevados", informou o BC. Para 2012, o BC divulgou, pela primeira vez, sua estimativa de crescimento, que é de 3,5%. Com isso, a autoridade monetária prevê aceleração do crescimento em meio à crise financeira internacional.

Previsões do Ministério da Fazenda e do mercado

A estimativa do BC para o PIB deste ano segue abaixo da previsão do Ministério da Fazenda, cuja previsão oficial segue em 3,8%. Entretanto, o ministro Guido Mantega disse, recentemente, acreditar que o crescimento deste ano ficaria próximo de 3,2%.

Para 2012, a estimativa oficial do governo é de 5% de crescimento, mas o governo admite que a taxa de expansão deve ficar entre 4% e 5% no ano que vem.

A previsão da autoridade monetária, porém, está mais próxima do que acredita o mercado financeiro, que estima uma expansão de 2,92% para a economia em 2011 e de 3,40% para o próximo ano.

Setores da economia

Segundo as previsões do Banco Central, o setor agropecuário deverá crescer 2,9% neste ano, 0,8 ponto percentual acima da estimativa anterior (2,1%).

Para o setor industrial, a estimativa de crescimento do BC, para este ano, recuou de 2,3% para 2% - uma queda de 0,3 ponto percentual. No caso da indústria de transformação, recuou de 1,5% para 0,9% e, para a construção civil, de 5,2% para 3,4%.

Já a estimativa do BC para o crescimento do setor de serviços também recuou, passando de 3,5% (no relatório de inflação de setembro) para 2,9% de crescimento.

Do lado da demanda, a projeção do BC considera um crescimento de 4,1% neste ano, contra a estimativa anterior de 4,5%, cenário. Também recuou a projeção de crescimento para o consumo das famílias, de 5,6% para 5,1%.        

veja também